Skip to content

O Escapismo Pré-tribulacionista

28 de agosto de 2009

arrebatamentoAs Escrituras nos dizem que o Senhor guardará a Igreja da provação e da ira vindoura. Diz também que não fomos destinados para a ira, e faz alusão a um agente que detém o Anticristo até que chegue o momento de sua manifestação. Analisaremos estes versos em contraste com a cronologia escatológica que as Escrituras nos ensinam.

Começarei pelos escritos de Paulo:

… e para aguardardes dos céus o seu Filho, a quem ele ressuscitou dentre os mortos, Jesus, que nos livra da ira vindoura. (1 Ts 1:10)

… porque Deus não nos destinou para a ira, mas para alcançar a salvação mediante nosso Senhor Jesus Cristo” (1 Ts 5:9)

Como vimos em O Pré-tribulacionismo versus A Cronologia Bíblica, a Bíblia nos fala de um único Dia do Senhor pelo qual devemos esperar (não dois: um secreto e um público). Também nos ensina que este Dia do Senhor ocorre depois do aparecimento do abominável (2Ts 2:1-4, Ap 16:14-16). Mostra-nos uma única ressurreição dos justos após a tribulação (Ap 20:4-6). Consequentemente, mostra-nos um único arrebatamento, após a tribulação. Somente podemos concluir que a “ira” a que Paulo se refere certamente não é a Grande Tribulação, e sim a punição dos ímpios ou o Juízo Final. Esta foi a interpretação da Igreja por 1830 anos.

O dispensacionalismo pré-tribulacionista cria uma interessante relação entre o Anticristo e o Espírito Santo, como veremos abaixo:

Com efeito, o mistério da iniquidade já opera e aguarda somente que seja afastado aquele que agora o detém (2 Ts 2:7)

Baseados neste versículo, o pré-tribulacionismo afirma que o Espírito Santo está impedindo a aparição do Anticristo. Por lógica, sendo a Igreja arrebatada, o Espírito Santo se retirará da terra, abrindo o caminho ao iníquo que agora poderá devorar a terra, visto que os santos já foram retirados para serem preservados de seu furor.

O problema óbvio com esta doutrina é que haverá convertidos na terra durante o período de tribulação (Ap7 :9-14, Ap 13:7, Ap 14:12-13, Ap 20:4). Portanto, o Espírito Santo estará na terra – a não ser que algum teólogo pré-tribulacionista queira se aventurar em um debate de como as pessoas se converterão neste período sem serem convencidas de seu pecado pelo Espírito Santo, e como serão crentes genuínos, fieis até a morte, sem serem batizados com o Espírito Santo.

Além de violar a cronologia bíblica anteriormente discutida, o pré-tribulacionismo comete uma atrocidade ainda mais grave: nega aos santos da tribulação o status de Igreja. Os teólogos pré-tribulacionistas determinaram que tais pessoas, apesar de seu belo testemunho, são somente um “simulacro” de Igreja, mas não são o Corpo de Cristo. Não há nenhuma base escriturística para tamanha arbitrariedade. Enquanto houver convertidos sobre a face da terra, a Igreja estará presente e, consequentemente, o Espírito Santo de Deus.

Em nenhum momento Paulo diz quem é o agente que impede a manifestação total do Anticristo na terra. Um anjo poderia estar acorrentando este demônio, para liberá-lo na hora certa. O agente pode ser também um sistema de governo, ou até mesmo uma poderosa nação que  ofereça resistência à formação de uma Nova Ordem Mundial (nos dias atuais, esta nação seria os EUA). Não há respaldo bíblico que sustente a lógica de que “a Igreja se retira da terra com o Espírito Santo e deixa o caminho livre para o Anticristo”. Toda esta retórica surgiu de uma mera conjectura que com o tempo tomou força de doutrina.

Um outro verso comumente usado pelos pré-tribulacionistas é:

Porquanto guardaste a palavra da minha perseverança, também eu te guardarei da hora da provação que há de vir sobre o mundo inteiro, para pôr ã prova os que habitam sobre a terra. (Ap. 3:10)

Em primeiro lugar, temos que lembrar que esta palavra foi originalmente dita à Igreja em Filadélfia. A promessa era a de que o Senhor a guardaria da provação que viria sobre o mundo. A Igreja em Filadélfia não foi arrebatada. “Guardar da provação” aqui indica proteção sobrenatural durante a tribulação e não um arrebatamento. Do mesmo modo será com parte da Igreja no final dos tempos.

Continua na Parte 5.

© Pão & Vinho

Este artigo está sob a licença de Creative Commons e pode ser republicado, parcial ou integralmente, desde que o conteúdo não seja alterado e a fonte seja devidamente citada: http://paoevinho.org.

Anúncios
37 Comentários
  1. Evelin Olívia Fróes permalink
    28 de agosto de 2009 13:19

    Boa Hugo! Essa doutrina do Arrebatamento Pré – Tribulacionista é neurótica e causa neurose porque deixa às pessoas um espaço de tempo muito curto para o arrependimento e a conversão. Ao mesmo tempo que os pecadores acompanham o cumprimento das profecias eles percebem que têm pouco tempo para ser salvos e adotados por Deus, isso cria ansiedade. Essa heresia pré – tribulacionista transforma a Boa Nova de Jesus Cristo em Má Notícia, é um verdadeiro desserviço!
    E mais: essa doutrina do Arrebatamento Pré – Tribulacionista é a Teologia da Substituição em novas roupagens. Afinal os seguidores do Arrebatamento fazem clara distinção entre a Igreja e os Judeus, esquecendo – se dos Judeus Messiânicos (eles estariam numa espécie de limbo…). Que eu saiba a igreja que a Bíblia fala é aquela dos primeiros séculos, composta de Judeus e de Gentios. Que eu saiba a Igreja foi enxertada em Israel e não podada de Israel! Os seguidores dessa doutrina ( e o Jack Kelley escreveu isso no blog Bible Prophecy Today!) acreditam que os cristãos seriam arrebatados ao Céu e os Judeus ficariam na Terra, protegidos na cidade jordaniana de Bozrah. Em qual categoria esses hereges enquadram os Judeus Messiânicos? Aonde eles iriam durante a Grande Tribulação? É, realmente, um mistério que o fanatismo dos leitores do blog Bible Prophecy Today não permitiram que fosse elucidado.
    É ou não é um apartheid teológico?

  2. Hugo permalink*
    28 de agosto de 2009 13:26

    Evelin, você é bem perspicaz. O próximo artigo desta série é justamente a respeito deste “apartheid teológico” que você menciona. Inclusive, se me permite, usarei sua expressão como título.

  3. Evelin Olívia Fróes permalink
    28 de agosto de 2009 14:44

    Pode sim, fique à vontade. Na verdade é uma honra! Esse povo pré – tribulacionista vive babando ovo para os judeus e Israel ao mesmo tempo que crê e prega esse apartheid teológico. Mais hipócrita do que isso só mesmo sendo Fariseu!

  4. Jose Antonio permalink
    29 de agosto de 2009 12:11

    Ola Hugo, Pão e Vinho esta muito bom! Parabéns!
    Gostei muito deste tema sobre o arrebatamento da Igreja do Senhor.
    Hoje têm se feito muitas interpretações estranhas a respeito da volta de Jesus.
    Recentemente ouvi um pastor afirmando que a Igreja do Senhor seria arrebatada antes da Tribulação, e como base na bíblia usou Apocalipse 14.1-5.
    Ele dizia que somente os cento quarenta e quatro mil é que serão arrebatados, o restante da Igreja iria depois da tribulação.
    Eu, particularmente, creio que a Igreja será arrebatada depois da tribulação, pois esta servira para purificar a Igreja de Deus.
    Gostaria de saber de você se o texto de Ap, 14.1-5 e Ap.7:4 são mesmo.
    Será que estão falando dos mesmos?
    Obrigado Hugo, Deus te abençoe. Que você continue com esta Fé lúcida.

  5. 1 de setembro de 2009 12:57

    É isso ai mano, continue proclamando as verdades do Pai mano, Deus te dé revelações sem medidas que vc rompa alem daquilo que os homens podem te dar!

  6. Hugo permalink*
    3 de setembro de 2009 20:18

    Olá José Antônio,

    Obrigado por sua visita. Ap 7 e 14 nada falam sobre o arrebatamento. Penso que as pessoas desenvolveram um certo apego à idéia de um arrebatamento pré-tribulacionista e lhes custa abrir mão completamente do conceito. Já confrontei amigavelmente alguns pré-tribulacionistas que, no final, reconheceram que não há bases bíblicas sólidas para o arrebatamento secreto. No entanto, acabam tentando encontrar algo nas Escrituras por meio de alegorias em textos que nada falam a respeito do arrebatamento. Este é somente mais um exemplo disso.

  7. joao permalink
    21 de setembro de 2009 23:14

    A maioria dos cristãos no século XVIII era pós-milenista e historicista. Ou seja, eles entendiam que Jesus voltaria depois do Milênio e que os fatos e sinais profetizados no Apocalipse e noutras passagens bíblicas, já tinham se cumprido durante a história. Era comum interpretar os 1260 dias descritos no Apocalipse como 1260 anos, ou os 2300 dias descritos em Daniel como 2300 anos. Então, o pré-tribulacionismo surgiu nesse momento histórico e baseado nessa mentalidade. A idéia de iminência (a volta de Jesus ocorreria “a qualquer momento”, pois todos os sinais já tinham se cumprido durante a história), foi unida à idéia de livramento da grande tribulação, concepção divulgada a partir de uma “revelacão” recebida por uma integrante dos irvingistas. Anos depois, o modelo pré-tribulacionista foi sistematizado por John Darby, unindo os fundamentos surgidos entre os irvingistas com as premissas do dispensacionalismo.

    Com o passar dos anos, principalmente depois das duas guerras mundiais, a posição pós-milenista foi perdendo força, diante do inegável fato histórico de que os poderes mundiais caminham para a destruição e não para uma restauração espiritual generalizada anterior à vinda do Senhor. Atualmente, há poucos pós-milenistas, sendo que a maioria dos cristãos é pré-milenista (crê que o Milênio ocorrerá como resultado direto da volta de Jesus e não antes) ou amilenista (não crê que o Milenio é um periodo literal). Então, vemos que hoje a maior parte dos pré-tribulacionistas é pré-milenista, apesar de muitos não saberem que uma das bases originais do pré-tribulacionismo foi o pós-milenismo. Uma leitura que recomendamos àqueles que quiserem conhecer mais sobre as verdadeiras origens históricas do pré-tribulacionismo está na obra “The Life of Edward Irving”, de autoria de Mrs Olifant, publicada por Hurst e Blackett em 1865 na cidade de Londres, Inglaterra.

    Quando estudamos detalhadamente a história da Igreja primitiva, vemos que a mesma não aguardava apenas o arrebatamento e sim o retorno de Cristo para instaurar o seu reino. Na realidade, uma análise imparcial e sem visões pré-concebidas dos textos bíblicos que tratam dos acontecimentos relacionados à volta do Senhor, não permitem afirmar que o arrebatamento se dará num momento diferente da segunda vinda.

    Editado pela moderação.

  8. J. Silva permalink
    17 de outubro de 2009 1:47

    Parabéns ao pessoal deste site por este estudo objetivo e claro. Tudo aquilo que foge da doutrina original do Senhor, a mesma que foi ensinada pelos apóstolos, vivida e crida pelos primeiros irmãos, devem ser rejeitado.
    O pré-tribulacionismo tem produzido gerações inteiras de cristãos desinformados sobre as profecias bíblicas e desestimulados para buscar esse conhecimento do Espírito e das Escrituras. Ao mesmo tempo, a bem aventurada esperança da vinda do Senhor para dar-nos alívio da tribulação (II Tessalonicenses 1:7-10) foi transformada pelo modelo pré-tribulacionista num constante medo de ser “pego de surpresa” pela vinda do Senhor como um ladrão “a qualquer momento”, antes mesmo dos sinais profetizados pelo próprio Senhor como antecessores de Sua gloriosa volta (!).
    Continuem na força do Senhor e vamos orar para que todos cheguem ao pleno conhecimento da Verdade!

  9. Evelin Olívia Fróes permalink
    17 de outubro de 2009 14:03

    Não é porque a GRANDE MAIORIA dos evangélicos é pré – tribulacionista que a verdade está do lado deles. Os pré – tribulacionistas contam que Jesus Cristo virá TRÊS vezes à Terra: 1ª) no Seu nascimento até sua crucificação e ressureição; 2ª) para arrebatar a Igreja; 3ª) para inagurar o Seu Reino Milenar. Esquisito… a Bíblia diz que Jesus virá DUAS vezes! 1ª) no Seu nascimento até sua crucificação e ressureição; 2ª) para arrebatar a Igreja & para inagurar o Seu Reino Milenar. Os profetas do Antigo Testamento chamam a segunda vinda de O Dia do Senhor. Os profetas não falam de “Os Dois Dias do Senhor”!
    Está faltando interpretação sistemática da Bíblia para os pré – tribulacionistas, esses sim cheios de pré – conceito! Jesus virá como um Ladrão na Noite para as dez virgens despreparadas, sem o óleo que poderia acender suas lamparinas, e para o mundo também. Mas para as dez virgens sábias, que se precaveram com o óleo e que seguiram Seu conselho de vigiar e orar Jesus não virá como um Ladrão na Noite, pois elas já estavam preparadas, sabiam que Jesus viria no tempo determinado por Deus, e não de surpresa a qualquer momento. A doutrina da iminência é absurda, pois para quê vigiar os sinais, se Jesus pode voltar antes do cumpriomento de todas as profecias e antes da restauração de todas as coisas? Essa doutrina da iminência não tem nenhuma lógica!

  10. Eduardo permalink
    17 de fevereiro de 2010 17:43

    O que eu vejo são dois tipos de pessoas os pós e os pré-tribulacionista, querendo mais uma vez dividir a igreja, seja a tribulação antes ou depois, a igreja tem que está unida e não dividida em pre e pos, é isso qe o inimigo quer, respeito as dua linhas de raciocinio, e acho que as podem e devem frenquentar a mesma igreja e serem irmãos como Deus nos ordenou. Ou existe algum lugar na bíblia que diga que os pre não erdaram o reino dos ceus ou que os pós serão como restolho. Não caiam nessa não irmãos o que a bíblia nos diz claramente é que devemos estar preparados para o dia da sua vinda, em amor e perseverança.
    Apartheid teológico, que ISSO GENTE, se vcs levarem isso adiante vcs não vão pro céu nem antes e nem depois da tribulação e isso a bíblia é muito clara.
    Fiquem em amor, e união que esse assunto não venha rachar a casa de Deus.

  11. Hugo permalink*
    17 de fevereiro de 2010 19:06

    Eduardo,

    Eu também entendo que devemos estar unidos em torno de Cristo somente, e não em torno de doutrinas secundárias à salvação. O Tim LaHaye, autor de Deixados para Trás, vive aqui pertinho de casa. Moro praticamente em um reduto pré-tribulacionista e isso se reflete na Igreja: no meu próprio círculo de comunhão, muitos dos irmãos mais antigos são pré-tribulacionistas.

    Devemos viver em paz e comunhão com irmãos de qualquer orientação teológica, e me dedico a praticar este princípio. Mas a tolerância é uma vida de mão dupla: devemos ter a liberdade de expor nossas diferenças de pensamentos sem sermos acusados, por quem quer que seja, de querer causar divisão no Corpo de Cristo.

    Quanto ao termo “Apartheid Teológico”, refere-se ao modo como a teologia pré-tribulacionista desfavorece o povo judeu. Nada mais do que isso. Convido-o a ler o texto em questão, entender o contexto da expressão e depois, se quiser, escrever sua opinião na seção de comentários.

  12. Edye permalink
    21 de maio de 2010 21:14

    Permitam-me dizer que até depois de 20 e poucos anos de convertido eu fui um pré-tribulacionista ferrenho, mesmo tendo às vezes que lidar com a questão da santidade e do achar-me insuficiente “bom” para ser arrebatado com a igreja de acordo com a fábula que exime a Igreja do terror da GT.

    Li tudo disponível a respeito, a teologia do Wim Malgo e seus pares, comprei os livros do Tim la Haye, Left Behind serie, sem perder um livro e toda sorte de material pré-trib, (ainda guardo essa literatura para eventualmente utilizar como combustível futuramente).

    Mas certo dia algo fez um estalo dentro de mim, na verdade, era o Espírito Santo me acordando para a verdade das Escrituras, e a partir dali venho tendo experiências fortíssimas, sonhos, visões, palavras audíveis de Deus e revelações sobre como as coisas acontecerão nesse vindouro período de trevas sobre nosso planeta, lembrando que tudo está corroborado pelas Escrituras. Em 2006, enquanto lia um livro, em um piscar de olhos, fui levado em espírito até uma sala onde uma reunião secreta da ONU acontecia, nela Kofi Annan apresentava a abominação da desolação a alguns líderes mundiais como o “salvador” que impediria a humanidade de caminhar ao total colapso.

    Obviamente não estou levantando nenhuma bandeira de super crente ou ainda de dono da verdade. Mas sinto pesar pelo engano que causa a pseudo-teoria criada por Margareth Mcdonald, os irmãos de Plymouth e ainda por Scofield, aquele da famosa Bíblia, contrariando os 1800 anos de exegese sobre tema tão relevante para nós que vivemos neste milênio, e que infelizmente poderá levar muito crente a receber a marca.

    Vale lembrar que todos os argumentos pré-trib são refutados pela Palavra de Deus e quando tais argumentos são derrubados, os defensores pré-trib sempre dizem, em uma vã tentativa de dar um tiro de misericórdia no diálogo, a famosa frase sentimentalista, “imagine que Jesus vai permitir que sua Igreja sofra”. Sem contudo darem-se conta de que a Igreja de Jesus já tem sua parcela sofredora em países fundamentalistas islâmicos, católicos, budistas, e até em liberais europeus.

    Mas o resumo da ópera é o seguinte, como aconteceu a mim, Deus está acordando seu povo, muitos mais acordarão, pelo menos a metade, basta nos lembrarmos da parábola das dez virgens para entendermos o porquê…

  13. 17 de julho de 2010 13:32

    A Doutrina pré-tribulacionista é egoista, ela faz com que pastores e mestres ensinem aos outros que a igreja não vai passar pela grande tribulação, enquanto que nos paises do oriente médio e da Asia estão sofrendo grandes perseguições. É uma doutrina de fuga e de covardes, não prepara os cristãos para o martirio, se for possivel. já deixei de acreditar nisso a muito tempo…

  14. MAX permalink
    19 de agosto de 2010 1:03

    Meu comentário a respeito do comentário do CLAVIO JJ. Caro irmão Clavio JJ, uma coisa é uma tribulção a outra é a “Grande Tribulção”. Jesus disse que ela seria tão grande aflição que, nunca houve desde o principio do mundo até agora e nem tampouco há de haver Mateus 24. 21. A grande tribulação será por “imposição” a todos em “escala mundial”. Nos países mulçumanos e asiáticos, os nosso irmãos são mortos e perseguidos, mas é local e eles vão para lá voluntariamente conscientes do risco.

  15. ivan permalink
    28 de agosto de 2010 8:51

    Olá! Que a paz de Cristo reine em vossos corações.
    Desculpe a minha ousadia de fazer um comentário neste website, mas às vezes me pergunto se há, um povo mais sem união do que os chamados cristãos? Tenho notado que gostamos (digo isso me incluindo) viver se atacando! E o pior por debates teológicos que não chegam a lugar nenhum, exceto a ferir uns aos outros, será que em vez de ficarmos nesse campo de “batalha cristão” não deveríamos viver o amor de Cristo? Se a igreja será arrebata no conceito pré-tribalacionista ou amilenista, ou se há predestinação, ou se só os 144.000 vão ou não para o céu, ou ainda se devo guardar ou não o sábado, se devo usar véu ou não, enfim todos esses dogmas que ao longo dos séculos a igreja vem num constante processo de mutação, a pergunta que não cala em meu coração é: Como fica nosso Senhor Jesus Cristo assistindo nossas guerras? Quando olho a tv e vejo um pastor gastando milhões para usa seu programa “evangélico” para falar mal de outro pastor, quando entro no you tube e vejo os “pastores de Cristo” se digladiando como se estivessem numa arena de Romana, parece que vejo Cristo Chorando e dizendo ao Pai: Perdoa eles por que não sabem o que fazem!
    Pense nisto: Mais amor para nosso cristianismo, menos facadas em nossos irmãos.

  16. 28 de agosto de 2010 10:43

    Ivan,

    Este artigo não visa promover uma jihad entre pré e pós tribulacionistas, somente estimular a LIVRE discussão de diferentes escolas de pensamento. Escatologia não é uma questão essencial à salvação. O problema não é discutir escatologia e sim fazermos de questões secundárias como estas uma barreira entre eu e meu irmão.

    Qualquer censura à livre discussão, ainda que em nome de uma suposta união, deve ser desencorajada entre nós. As diferenças de interpretação são muito óbvias para que possamos simplesmente varrê-las para baixo do tapete e ignorá-las, ainda que sob o pretexto de uma suposta união. União não implica uniformidade de pensamento, e qualquer união que requeira a uniformidade é na verdade uma união mediocre que não está disposta a tolerar diferenças.

    Não vamos chegar a nenhuma união fingindo que somos todos iguais. Nos uniremos no dia em que tivermos liberdade de expor o que pensamos sem sermos julgados ou discriminados por isso. Não há verdadeira união na uniformidade de pensamento, e sim na tolerância à diversidade de pensamento. Assim, qualquer pessoa deve ter o direito de expressar-se exegeticamente sem ser julgado por isso.

  17. ivan permalink
    28 de agosto de 2010 18:30

    @Hugo: Hugo,
    Sei que a intenção de um debate teológico é de grande valia para pessoas com uma estrutura teológica, mas vejo alem deste ponto de vista, pois, pensemos na maioria do corpo de Cristo que “na verdade são leigos” em busca de um evangelho que os livres deste mundo caótico que vivemos?
    Vejo que você tem um bom embasamento teológico, e isto é gratificante, sabendo deste embasamento seu, creio que conheça um pouco da história da igreja! Principalmente do chamado movimento de Cristo (aquela igreja do primeiro século), pois aquela igreja que vivia em comunhão até mesmo no partir do pão era tão pura e estava tão preocupada com a comunhão entre os irmãos que seus “cultos” eram compostos por hinos e por uma história de Cristo contada pelo ancião de cada comunidade, não me lembro de ter lido que eles estavam preocupados com debates teológicos como estamos hoje! Só com a chegada dos chamados “pais da igreja” é que isso ocorre.
    Resumindo quando dizemos: há! é só um a forma de expressarmos e “estimular a LIVRE discussão de diferentes escolas de pensamento” ofendemos à muitos dos leigos que só querem encontrar paz em meio a este caos.

  18. 28 de agosto de 2010 20:29

    Ivan,

    Como já disse, não podemos ignorar as diferenças de pensamentos entre nós, algo já presente na Igreja Primitiva (ver Rm 14) e que não começou no segundo século. Paulo nunca disse que deveríamos fingir que somos todos iguais, em nome de uma política de boa vizinhança demagoga, mas que deveríamos aprender a tolerar as diferenças entre nós em questões secundárias.

    O que “ofende” na verdade é a imposição de idéias, quando quero enfiar o que penso goela abaixo das pessoas. Isso sim, é errado. Vivo em um ambiente em que a maioria é pré-tribulacionista e nem por isso deixamos de ter comunhão.

    Como já disse, abomino a censura sob qualquer pretexto. Se alguem se ofende pelo simples diálogo e diferença de idéias, então estas pessoas só aceitam comungar com quem é igual a elas ou nunca discorde delas. Essa atitude demonstra imaturidade.

    A intenção deste site não é ofender ninguém, mas não faz nenhum sentido eu deixar de escrever o que penso com medo de que alguém se ofenda. Se o conteúdo de meu blog é impróprio para o gosto, capacidade intelectual ou nível de maturidade de alguém, há muitos outros blogs que lhes servirão melhor. Afinal, a blogosfera representa a variedade e a democratização das idéias.

    Termino com as palavras de Agostinho:

    “NO ESSENCIAL, UNIDADE; NAS OPINIÕES, LIBERDADE; EM TODAS AS COISAS, O AMOR”

  19. antonio ramos pimentel permalink
    17 de setembro de 2010 19:49

    com pre ou pos ou amilenismo uma coisa eu sei jesus vira para salvar e arrebatar e faser o juizo final em fim um dia vamos morar no novo ceus e nova terra.

  20. 19 de setembro de 2010 23:21

    Olá irmãos

    Gostaria de dizer uma coisa:

    Quem detém o aparecimento do anticristo não é o Espírito Santo, não é a igreja.
    O que na verdade o retém é a própria palavra de Deus a qual diz que ele haverá de se manifestar no seu próprio tempo. (II Tes. 2:6)
    Então ele só pode aparecer no seu próprio tempo, e não noutro!
    Se o Filho de Deus só poderia vir ao mundo no determinado tempo predito nas Escrituras; imagina só o filho da perdição?
    Acaso ele vai se levantar por contra própria, no tempo em que quiser sem que tudo o que está determinado pelo Senhor esteja cumprido?
    Nunca!
    Então, por exemplo, o anticristo não poderia vir na época de Cristo! Não poderia vir no auge do império romano. Não poderia vir na idade média.
    Pois está escrito que a ciência se multiplicaria. (Dan. 12:4b)

    Não poderia vir enquanto o império dividido (os pés de ferro e barro) da estátua de Daniel 2 estivesse formado!
    E ele é a 11ª ponta da profecia de Daniel 7 a se levantar após a das 10 primeiras pontas; também é figura decisiva no acordo que dá início à 70ª semana (Daniel 9), e ele é a figura que há de quebrar o acordo firmado.
    Então só se manifestará mediante o cumprir da palavra de Deus, e da pregação do evangelho como testemunho a todas as gentes.

    Então, nada ou ninguém o fará vir fora de seu tempo!
    Vemos nisso que o que o detém, na verdade, é a palavra de Deus, pois os fatores são muitos, e precisam cumprir-se conjuntamente como ela prescreve.
    Lembrando que ela mesma diz que virá o tempo em que o Altíssimo Deus enviará fome sobre a terra! Não fome de pão nem sede de água, mas de ouvir as palavras do Senhor! E irão errantes de um mar até outro mar; e do norte até o oriente, correrão por toda a parte buscando a palavra do Senhor, mas não a encontrarão! (Amós 8:11-13)
    Ou seja, vem o tempo em que será tirada toda a palavra de Deus!
    Creio então, que após cumpridas todas as coisas p/ a vinda do anticristo no seu tempo, tempo da apostasia (ou seja, de negar a fé) então a palavra de Deus que já há cumprido tudo o que foi determinado pelo Senhor. Aí então, ela há de ser tirada.
    E não mais se achará!
    Quem creu creu, quem não creu não creu!
    Quem tem, tem! Quem não tem, não tem!
    Porque fechou-se a porta! (Luc. 13:24-25)

    E chegou o tempo do anticristo!
    No tempo de Cristo, podia-se receber a Cristo!
    No tempo do anticristo é o tempo de receber o anticristo!
    E quem não recebeu a Cristo, conhecendo-O, amando-O, e firmando-se Nele! Estará em grandes problemas, pois o tempo chegado não é mais o se firmar; mas o de pagar-se com a própria vida para não negar sua fé!

    Um abraço!
    A paz!
    Jefté

  21. carlos permalink
    13 de novembro de 2010 21:12

    paz
    obs: a questão é interpretação II Tessalonicenses 2: 1 diz sobre a vinda e a nossa reunião com ele (Cristo) só deve ser entendido sobre o arrebatamento,V2 Paulo dá alerta para a vinda de Cristo fora de tempo.V3 diz que Cristo não virá sem que antes venha a apostasia e se manifeste o homem do pecado.
    Apostasia : tem varios significados : afastamento da fé , abandono, desvio, retirada .
    Paulo usa a palavra apostasia aqui como retirada ou afastamento da igreja .
    Vamos ligar V6 E, agora, vós sabeis o que o detém, para que a seu próprio tempo seja manifestado.
    obs: até hoje tem um que o detém (impede o surgimento do anticristo)
    um é artigo pessoal qual é o papel do Espirito Santo João 16: 8 convence o mundo do pecado,e do juízo V10 o diabo já está julgado(condenado) o Espirito Santo é que está fazendo a obra hoje , negar isto é negar a verdade. V7 Porque já o mistério da injustiça opera; somente há um que, agora, resiste até que do meio seja tirado; então quando o que resiste (impede) até que do meio seja tirado, quem vive no meio da iniquidade é a igreja quem habita na igreja é o Espirito Santo.
    como o arrebatamento ou retirada é que de fato o anticristo surgirá. é só no fim da grande tribulação é que Cristo voltará e aniquilará o iniquo V8.

  22. 14 de novembro de 2010 2:21

    Carlos,

    Você simplesmente repetiu a teoria que o texto propõe a refutar e ignorou todas as questões levantadas no texto quanto a esta sua teoria.

    Onde você se baseia para dizer que a palavra “apostasia” se refere à retirada da Igreja da terra? No grego, ἀποστασία (apostasia) tem apenas um significado e não vários como você disse, e quer dizer ABANDONO no sentido de DESERÇÃO. Você pode citar SINÔNIMOS para a mesma palavra, mas isso não agrega um novo significado à palavra, apenas diferentes vocábulos QUE POSSUEM UM MESMO SIGNIFICADO. Nenhum dos SINÔNIMOS para a palavra apostasia tem haver com uma “retirada” no sentido de translado ou locomoção geográfica. Dizer isso é esticar o significado da palavra.

    Gostaria que você me explicasse o que é um “artigo pessoal” na lingua grega. Mas caso você se refira a um “pronome pessoal”, na frase “E agora vós sabeis o que o detém, para que a seu próprio tempo seja manifestado” (2 Ts 2:6), o único pronome é αὐτός (autos), na verdade um pronome reflexivo que pode ser traduzido como ela, ele, eles, elas, consigo,aquele, aqueles, etc. Não há nada no grego que nos indique o gênero e nem o número de sujeito em questão. Portanto, é impossível deduzir quem é o sujeito baseado unicamente na análise sintática da sentença em questão. A teoria de que seria o Espírito Santo é uma conjectura que tomou força de doutrina, mas por 1830 anos, nunca ninguém na história da Igreja enxergou isso no texto.

    Quanto as demais “incongruências teológicas” da teoria pré-tribulacionista, favor consultar os demais textos desta série.

  23. carlos permalink
    14 de novembro de 2010 12:57

    paz: Hugo

    Primeiro, a nossa palavra Portuguesa apostasia, não é a o termo exactamente equivalente para a palavra Grega apostasia. explicar um pouco sobre a palavra apostasia. A palavra Portuguesa apostasia significa rebelião, ou revolta, contra uma fé uma vez abraçada, porém a palavra Grega apostasia significa partida, e nada mais.

    O apelo do Apóstolo aos santos de Tessalónica para não se “mov[erem] facilmente” ou “nem [se perturbarem]” ou “de maneira alguma [serem enganados]”, baseia-se na verdade do Arrebatamento.
    Foi “pela” vinda, ou com base na “vinda do nosso Senhor Jesus Cristo, e 1 pela nossa reunião com Ele”, que ele rogou-lhes que não vacilarem.
    Esta era a “bem-aventurada esperança” deles e ele rogou-lhes para não deixarem que nenhum homem a tomasse deles, quer “por espírito” (isto é, o suposto dom de profecia), ou “por palavra” (isto é, por argumento), ou “por epístola, como de nós”2 (2:2).
    De todas as fortes evidências contidas nas epístolas aos Tessalonicenses de que o arrebatamento dos crentes para estarem com Cristo precederá a tribulação, os versículos de abertura de II Ts.2 são certamente os mais fortes.
    Deste modo, lembre-se, aphisteemi, a raiz do verbo no Grego da palavra apostasia, significa partida – e nada mais. Mais tarde discutiremos a “partida” específica a que se refere em II Ts.2:3. Mas primeiro, vamos ver um pouco mais sobre a apostasia, ou saída.
    “Se apostasia e aphisteemi, no Grego, significam o que nossa palavra ‘apostasia’ e ‘apostatar’ significam, porque é que Paulo sentiu, ao usar aphisteemi em I Tm.4:1, a necessidade de adicionar a frase qualificadora: ‘da fé’ para completar o sentido de aphisteemi naquele exemplo do seu uso?…. A palavra apostasia, portanto, no seu sentido original e puro no Grego, não adulterada pela adição de outras ideias impostas sobre ela pelo contexto em que tem sido usada, significa ‘uma partida.’”
    Ao explicar porque a Versão King James (no inglês) falhou em conservar as palavras “a partida” na tradução, o que os tradutores encontraram nas cinco versões que precederam a Versão King James, o Sr. Wuest salienta um erro técnico contido em todas as seis versões. O Sr. Wuest diz:
    “O erro fatal que os tradutores cometeram foi falhar em considerar o artigo definido antes da palavra apostasia…” (Ibid.). O artigo aqui denota uma referência anterior, porque este palavreado claramente implica que eles já tinham conhecimento do assunto.
    Então, o sentido das palavras de Paulo em II Ts.2:3 é que antes que a Tribulação possa vir, o “homem do pecado” precisa ser revelado e antes que isto possa acontecer, “a partida” precisa de vir “antes”.
    Quando o restringidor do “homem do pecado’’ for retirado, então poderá começar o Dia do Senhor (2.6,7). (a) O que agora o detém é, sem dúvida, uma referência ao Espírito Santo, pois somente Ele tem poder de deter a iniqüidade, o homem do pecado e Satanás (2.6). Esse que agora o detém ou resiste (2.7), leva no grego o artigo definido masculino e ao mesmo tempo o artigo definido neutro, em 2.6 (“o que o detém”). De modo semelhante, a palavra Espírito” na língua grega pode levar pronome masculino ou neutro (ver Gn 6.3; Jo 16.8 nota; Rm 8.13; ver Gl 5.17, sobre a obra do Espírito Santo a restringir o pecado). (b) No começo da tribulação, o Espírito Santo será “afastado” (v. 7). Isso não significa ser Ele tirado do mundo, mas que cessará sua influência restritiva à iniqüidade e ao surgimento do Anticristo.

  24. 14 de novembro de 2010 15:19

    paz: Jefté
    obs: voce disse isto: O que na verdade o retém é a própria palavra de Deus a qual diz que ele haverá de se manifestar no seu próprio tempo. (II Tes. 2:6)
    Não pode ser a palavra tirada , porque depois da era da igreja virá o tempo da ira de Deus (a grande tribulação) leia Apocalipse 14:6 -10 E vi outro anjo voar pelo meio do céu, e tinha o evangelho eterno, para o proclamar aos que habitam sobre a terra, e a toda a nação, e tribo, e língua, e povo.
    Dizendo com grande voz: Temei a Deus, e dai-lhe glória; porque é vinda a hora do seu juízo. E adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas.
    E outro anjo seguiu, dizendo: Caiu, caiu babilônia, aquela grande cidade, que a todas as nações deu a beber do vinho da ira da sua prostituição.
    E seguiu-os o terceiro anjo, dizendo com grande voz: Se alguém adorar a besta, e a sua imagem, e receber o sinal na sua testa, ou na sua mão,
    Também este beberá do vinho da ira de Deus, que se deitou, não misturado, no cálice da sua ira; e será atormentado com fogo e enxofre diante dos santos anjos e diante do Cordeiro.
    obs: Vemos que haverá uma evangelização geral para que o mundo não venha a adorar a besta , Deus neste tempo derramará a sua graça antes de castigar o mundo .
    Apocalipse 10: 11 E ele disse-me: Importa que profetizes outra vez a muitos povos, e nações, e línguas e reis.Vemos que depois da tirada do que impede( o Espirito Santo) , a iniquidade vai aumentar mais com o reino do anticristo,mas a palavra continuará em ação. depois te explico mais.

  25. 14 de novembro de 2010 22:34

    Carlos,

    Em primeiro lugar, um arrebatamento antes do surgimento do Anticristo traz terríveis implicações cronológicas à sequencia escatológica que o texto bíblico nos descreve. Há um rombo cronológico na teologia pré-trib que eu gostaria muito que você pudesse analisar no artigo “O Prétribulacionismo e o ladrão na noite“.

    Em segundo lugar, o artigo definido ὁ (o) somente demonstra que Paulo se refere a uma pessoa específica, mas não nos esclarece quem é o sujeito. E ainda que seja o Espírito, e que o Espírito deixe de restringir o que agora está restrito, não há absolutamente nenhuma base para ligar este evento ao arrebatamento da Igreja. Estas são conjecturas que com o tempo tomaram força de doutrina. Você mesmo está disposto a admitir que se o Espírito for o sujeito em questão, isso não significa que Ele será “tirado do mundo, mas [somente] que cessará sua influência restritiva à iniqüidade e ao surgimento do Anticristo.” Nestes termos, não há nenhuma necessidade de que a Igreja seja arrebatada ainda que o Espírito seja o agente restritivo. Portanto, visto que o uso do artigo definido ὁ é irrelevante ao ponto em questão (arrebatamento), pulemos para o ponto seguinte.

    A palavra aphistēmi quer realmente dizer DEIXAR, ABANDONAR, PARTIR, mas não traz em si mesma conotação alguma, quer seja a de uma partida ideológica ou de uma partida espacial (referente a um translado de um lugar a outro). Ela pode signficar tanto DEIXAR UMA IDÉIA, ABANDONAR A FÉ, DESASSOCIAR-SE DE ALGUÉM POR RAZÕES IDEOLÓGICAS como DEIXAR UM LUGAR, PARTIR DE UM LUGAR A OUTRO, DEIXAR UMA PESSOA EM UM LUGAR. No NT ela é usada das duas formas sempre acompanhada de um complemento que indique uma idéia ou outra. Em 1 Tim 4:1 a expressão “da fé” é usada para complementar aphistēmi , como você apropriadamente aponta em seu comentário. Mas o autor do texto mencionado, que usa isso a favor de sua teoria, ignora que este argumento é uma faca de dois gumes: igualmente, em nenhuma instância aphistēmi é usada sozinha com a idéia de locomover-se de um lugar a outro. Há um complemento sempre que a palavra é usada no sentido espacial também, o que prova que tanto o contexto ou um complemento se fazem necessários para que possamos entender se a palavra está sendo usada em um sentido ideológico ou espacial. Portanto, tal argumento é irrelevante.

    A palavra que aparece em 2 Ts não é aphistēmi e sim é ἀποστασία (apostasia). E ainda que as duas palavras compartilhem as mesmas raízes, ἀποστασία (apostasia) aparece somente mais uma vez em toda a Bíblia (Atos 21:21) no sentido específico de DESERTAR/ABANDONAR UMA IDÉIA. Não há absolutamente nada no contexto de 2 Ts 2 que indique que ἀποστασία (apostasia) tenha um significado diferente de At 21:21. Ao contrário, pelo contexto entendemos que a apostasia a que Paulo se refere se trata de um “abandono ideológico” e não um translado físico.

    Os crentes em Tessalônica estavam aflitos, confusos e precipitados quanto à Parousia, e o apóstolo nesta carta delineia alguns sinais que precederiam a volta do Senhor. Havia gente na Igreja que havia deixado de trabalhar, esperando a Parousia. Quando Paulo escreve aos Tessalonicences, ele tenta trazer alguma previsibilidade ao evento (ainda que o dia e a hora exatas sejam conhecidas somente pelo Pai, o Senhor Jesus nos ensina que é possível saber que o verão está próximo pelo estado das folhas das árvores – ver Mt 24.32-35). Por isso, nesta carta Paulo diz: “Calma, gente, calma! É necessário que estas coisas aconteçam primeiro, antes que venha o Senhor” (leia 2 Ts 2: 2 por um segundo, sem as lentes do pré-tribulacionismo, e verá isso nitidamente). Hora, pense comigo, Carlos, se a ἀποστασία (apostasia) se trata do arrebatamento secreto da Igreja, então como poderia servir de sinal visível aquela igreja? Que tipo de referência ou sinal profético Paulo estaria estabelecendo então, se tudo o que ele apresenta antes da volta do Senhor é um outro evento tão ou mais imprevisível que a volta do Senhor propriamente dizendo?

    A idéia de um arrebatamento antes da vinda do Senhor nesta passagem simplesmente não se encaixa no contexto, e causa uma tremenda contradição àquilo que Paulo nos explica nesta carta. É mais do que óbvio, pelo contexto, que Paulo se referia a uma apostasia da fé seguida pelo surgimento do Anticristo, fatos que a Igreja testemunharia e pelos quais deveria esperar antes da volta do Senhor. Sem este fator de previsibilidade profética, as advertências de Paulo neste capítulo não fazem nenhum sentido.

    Devemos salientar também que sempre que Paulo, João ou outro autor bíblico nos ensinam acerca de um arrebatamento ou translado espiritual, uma palavra com uma intensidade muito maior é usada: ἁρπάζω (harpazo), que quer dizer literalmente ARRANCAR, SACAR, PUXAR, LEVAR À FORÇA, TOMAR POSSE. Isso é o que quer dizer ARREBATAR. A palavra ἁρπάζω (harpazo) implica um sujeito passivo, pois Deus é quem o arranca de um lugar, e o toma para si de forma brusca, intensa e repentina. Quando Paulo diz aos Corintios que foi arrebatado ao terceiro céu (2 Cor 12), ele não diz que se locomoveu para lá e sim que FOI TOMADO, LITERALMENTE ARREBATADO POR DEUS DE FORMA REPENTINA. Assim será com a Igreja, e a propósito, ἁρπάζω (harpazo) é a palavra usada em 1 Tes. 4:17 quando Paulo REALMENTE nos ensina a respeito do arrebatamento.

  26. 16 de novembro de 2010 15:10

    paz : Hugo
    I Teesalonicenses 5:3Pois que, quando disserem: Há paz e segurança, então lhes sobre-virá repentina destruição, como as dores de parto àquela que está grávida, e de modo nenhum escaparão.
    vejo que para voce que é pós tribulacionista fica dificil interpretar este versiculo, porque?
    Como os pós acreditam que a igreja vai ser arrebatada no final da grande tribulação ou seja na volta de Cristo, faço a pergunta no final da grande tribulação o mundo estará em paz ou ruina? para que voce possa enxergar o V3 se voce notar bem o V1,2 diz que Jesus virá como o ladrão conforme V3 será num tempo de paz e segurança ,lembra que Paulo está falando com a igreja V4 Mas vós, irmãos, já não estais em trevas, para que aquele dia vos surpreenda como um ladrão;
    obs: aquele dia refere-se o dia que ele virá como ladrão arrebatar a igreja .
    este tempo de falsa paz só pode estar dentro do acordo de sete anos logo na metade (Daniel 9:27) e não no fim da grande tribulação é ai que entra a primeira fase da volta de Cristo para a igreja.
    Vou manter o nivel sem dizer que errado ou certo é Deus que deve ser exaltado.
    paz

  27. 16 de novembro de 2010 15:35

    paz: Hugo
    voce na tua crença tem dificuldade de aceitar o arrebatamento antes da grande tribulação, agora vou te explicar em outro angulo. Mt 24.32-35 Cristo fala da figueira fazendo uma comparação de uma arvore que começa despontar indica estar próximo o verão , voce sabe que Israel é representado no antigo testamento ser a figueira , Israel está de volta na terra natal e brotando ,isto marca a volta de Cristo para melhor compreensão leia Lucas 21: 29,30 , 31 diz quando isto acontecer o reino de Deus está perto, mas tudo isto marcará a segunda vinda de Cristo no fim da grande tribulação na guerra do armagedom. acaso quando começar a grande tribulação o cristão vai fugir? V20 há pessoas que interpreta isto sendo só no passado é claro Tito no ano 70 dc invadiu Jerusalém e sitiou e destruiu o templo , mas lendo corretamente diz sobre o futuro que os judeus cristãos irão sofrer perseguição Mateus 10: 23 Quando pois vos perseguirem nesta cidade, fugi para outra; porque em verdade vos digo que não acabareis de percorrer as cidades de Israel sem que venha o Filho do homem.(só pode ser para o futuro) até a volta de Cristo.
    Não vejo Paulo preparando a igreja para passar a grande tribulação , mas sim prepara para ser arrebatada.
    paz

  28. 16 de novembro de 2010 18:36

    Carlos,

    Todos estes argumentos já foram respondidos em outros artigos. Inclusive uma exegese de 1 Tes. 5 no artigo O Pré-tribulacionismo e o ladrão da noite. Clique no link e, depois de analisar os artigos, apresente sua réplica. No artigo o Pré-tribulacionismo e a Cronologia Bíblia também argumento que em nenhum momento a Bíblia descreve duas voltas do Senhor: uma em que ele vem para arrebatar a Igreja e a outra visivelmente. Mas, você simplesmente ignorou a citação e o link no comentário anterior, e quer agora pular para um outro ponto.

    Vamos combinar o seguinte? ARGUMENTO, RÉPLICA E TRÍPLICA. Todas as vezes em que uma colocação for feita, é necessário respondê-la antes de passar para um outro ponto. Julgo ter respondido seu comentário ponto por ponto (se deixei de responder algo, diga-me por favor), e aguardo sua réplica baseada nas questões que levantei anteriormente. Você não deve passar ao ponto seguinte antes de esgotar o ponto em questão, caso o contrário, a impressão que dá é que você está somente preocupado em defender a sua crença ao jogar argumentos ao ar, mas não está disposto a dialogar de forma racional. Não vou perder meu tempo com este tipo de debate.

    Não vou comentar a respeito de suas interpretações pessoais a respeito de Mateus e Lucas e outras passagens porque senão só eu vou estar queimando meus neurônios respondendo as suas colocações, e você vai estar jogando argumentos no ar sem responder o que eu te pergunto. Isso não seria justo, correto? Quando você entender de uma vez por todas que A CRONOLOGIA PRÉ-TRIBULACIONISTA ESTÁ COMPROMETIDA, então todas estas certas conjecturas que você aprendeu e adotou darão lugar a algo mais sólido e realista.

    Portanto, aguardo sua tríplica aos meus últimos comentários e os demais pontos podem ser debatidos nos tópicos apropriados. Para que não nos perdamos na diversidade infinita de argumentos aleatórios, vou redirecionar este debate à linha de discussão anterior. Gostaria que você começasse a reponder algumas perguntas que te fiz no último comentário:

    1) Você cita o uso do artigo definido para argumentar que o sujeito da sentença em questão é necessariamente o Espírito. Eu discordo e já disse porque. Mas ainda que o Espírito Santo seja o agente restrivivo, e visto que você está disposto a reconhecer que a retirada da restrição não significa necessariamente uma retirada total do Espírito da terra, onde você encontra bases NESTA PASSAGEM para ligar a retirada da restrição ao arrebatamento da Igreja?

    2) O que você tem a dizer a respeito do fator “previsibildidade” que mencionei no comentário anterior? Você não acha que seria uma contradição de Paulo querer controlar o frenesi em torno da volta do Senhor em Tessalônica e, ao falar de eventos que precederiam a vinda do Senhor, citar o arrebatemento, que na teologia pré-trib é um evento ainda mais imprevisível que a vinda de Cristo em si? O discurso de Paulo não faz mais sentido se entendermos que ele na verdade está delineando fatos e acontecimentos que ocorreriam antes da volta de Jesus, fatos estes que deveriam ser esperados e observados pela Igreja, servindo-lhes como sinais?

    3) O que você tem a dizer a respeito da palavra “harpazo”?

  29. 17 de novembro de 2010 9:24

    paz:Hugo
    obs: Vou dar agora a réplica: vou analisando textos por textos da tua crença.
    Mateus 24:44 Por isso, estai vós apercebidos também; porque o Filho do homem há de vir à hora em que não penseis. Lucas 12:40 Portanto, estai vós também apercebidos; porque virá o Filho do homem à hora que não imaginais.
    obs: Estes texto refere-se ao tempo da grande tribulação onde aqueles que vão aceitar a Cristo e também estarão aguardando a vinda de Cristo visivel ao mundo ,porque a vinda de Cristo pegará o mundo como um laço Lucas 21:35 Porque virá como um laço sobre todos os que habitam na face de toda a terra. então como ladrão não é só para os cristão mas para todo o mundo.
    II Pedro 3:10 Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela há, se queimarão.
    obs: Outro erro dos pós pensando que este Texto se aplica a vinda de Cristo e o fim do mundo ,mas não este versiculo só deve ser entendido o fim do mundo quando acabar o milenio Apocalipse 20:7-9 E, acabando-se os mil anos, Satanás será solto da sua prisão,
    E sairá a enganar as nações que estão sobre os quatro cantos da terra, Gogue e Magogue, cujo número é como a areia do mar, para as ajuntar em batalha.
    E subiram sobre a largura da terra, e cercaram o arraial dos santos e a cidade amada; e de Deus desceu fogo, do céu, e os devorou.
    obs: A não ser que os pós não acreditam num reino literal de mil anos antes do fim do mundo.
    Apocalipse 3:3 Lembra-te, pois, do que tens recebido e ouvido, e guarda-o, e arrepende-te. E, se não vigiares, virei sobre ti como um ladrão, e não saberás a que hora sobre ti virei.
    obs: Aplicar este versiculo para a v inda de Cristo é algo de alguém que não sabe manejar bem a palavra da verdade.
    Apocalipse 16;15,-16 E os congregaram no lugar que em hebreu se chama Armagedom
    obs: Aqui sim é a guerra do armagedom no final da grande tribulação marcará a vinda de Cristo voce sabia porque virá como um ladrão ? porque neste tempo o mundo estará totalmente nas mãos da besta porque os cristãos na sua maioria ele dizimou veja as pessoas que vão ressuscitar que não adoraram a besta Apocalipse 20:4 .
    I Tessalonicenses 5:1-4 já expliquei mostrando a ti que a falsa paz que o mundo viverá será destruida por Cristo V3 Pois que, quando disserem: Há paz e segurança, então lhes sobre-virá repentina destruição, como as dores de parto àquela que está grávida, e de modo nenhum escaparão.
    obs: quando diz lhes sobrevirão repentina destruição (refere-se ao mundo sob a besta)
    V4 Mas vós, irmãos, já não estais em trevas, para que aquele dia vos surpreenda como um ladrão;
    obs:Paulo alertando (vós) a igreja já não estais em trevas(não faz parte do pecado) para que aquele dia (o arrebatamento V1,,2 Mas, irmãos, acerca dos tempos e das estações, não necessitais de que se vos escreva;Porque vós mesmos sabeis muito bem que o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; (pegará o mundo de surpresa)
    V9 Porque Deus não nos destinou para a ira, mas para a aquisição da salvação, por nosso Senhor Jesus Cristo,
    obs: Isto precisa de uma hermeneutica para entender: João 5;24 Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida
    obs: Quando nós aceitamos Jesus Cristo nós passamos da morte(condenação eterna) para a vida eterna , não entraremos mais em condenação.
    Então se já somos salvos por Cristo o V9 deve ser entendido livrar da ira sendo a grande tribulação e não o juízo final. a palavra salvação deve ser entendida ser livrado da grande tribulação.
    Mateus 24:37-39 Em verdade vos digo que não passará esta geração sem que todas estas coisas aconteçam.
    O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar.
    Mas daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, mas unicamente meu Pai.
    E, como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem.
    Porquanto, assim como, nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca,
    E não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do homem.
    obs: é claro que se trata da geração que viverá a grande tribulação principalmente os judeus ., não passará ou seja verão todos os acontecimentos e a volta de Cristo nada a ver com a igreja.
    Atos 3:21 O qual convém que o céu contenha até aos tempos da restauração de tudo, dos quais Deus falou pela boca de todos os seus santos profetas, desde o princípio.
    Quem os profetas? os antigos V23-25 acontecerá que toda a alma que não escutar esse profeta será exterminada dentre o povo.Sim, e todos os profetas, desde Samuel, todos quantos depois falaram, também predisseram estes dias.
    Vós sois os filhos dos profetas e da aliança que Deus fez com nossos pais, dizendo a Abraão: Na tua descendência serão benditas todas as famílias da terra.
    Malaquias 4;5 ,6 Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível dia do SENHOR;E ele converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos a seus pais; para que eu não venha, e fira a terra com maldição. o V6 já se cumpriu em João o Batista.
    Agora Deus enviará duas oliveiras ou dois profetas Apocalipse 11:1-7 E deixa o átrio que está fora do templo, e não o meças; porque foi dado às nações, e pisarão a cidade santa por quarenta e dois meses.
    E darei poder às minhas duas testemunhas, e profetizarão por mil duzentos e sessenta dias, vestidas de saco.
    Estas são as duas oliveiras e os dois castiçais que estão diante do Deus da terra.
    E, se alguém lhes quiser fazer mal, fogo sairá da sua boca, e devorará os seus inimigos; e, se alguém lhes quiser fazer mal, importa que assim seja morto.
    Estes têm poder para fechar o céu, para que não chova, nos dias da sua profecia; e têm poder sobre as águas para convertê-las em sangue, e para ferir a terra com toda a sorte de pragas, todas quantas vezes quiserem.
    obs: Vão profetizar até a metade dos sete anos .E, quando acabarem o seu testemunho, a besta que sobe do abismo lhes fará guerra, e os vencerá, e os matará.
    Apocalipse 19:10 E eu lancei-me a seus pés para o adorar; mas ele disse-me: Olha não faças tal; sou teu conservo, e de teus irmãos, que têm o testemunho de Jesus. Adora a Deus; porque o testemunho de Jesus é o espírito de profecia.
    obs: Verdade mesmo, mas leia o V7-9 Regozijemo-nos, e alegremo-nos, e demos-lhe glória; porque vindas são as bodas do Cordeiro, e já a sua esposa se aprontou.
    E foi-lhe dado que se vestisse de linho fino, puro e resplandecente; porque o linho fino são as justiças dos santos.
    E disse-me: Escreve: Bem-aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro. E disse-me: Estas são as verdadeiras palavras de Deus.
    obs: Aqui está a grande verdade a igreja ou a esposa de Cristo para comemorar as bodas do cordeiro indica que terá que estar no´céu antes da vinda visivel ao mundo V1 nos mostra a igreja no céu V6 ouvi como que a voz de uma grande multidão, e como que a voz de muitas águas, e como que a voz de grandes trovões, que dizia: Aleluia! pois já o Senhor Deus Todo-Poderoso reina.
    Só no V13-21 é que vemos Jesus voltando e derrotando a besta eo falso profeta e o exército dela.
    V14 E seguiam-no os exércitos no céu em cavalos brancos, e vestidos de linho fino, branco e puro.
    obs: Voce não vê a igreja voltando de vestiduras brancas ,claro que tem os anjos também , eu te mostrei que antes da vinda de Cristo visivel a igreja estará festejando as bodas do cordeiro. dá para entender? fiz uma colocação versiculo por versiculo da tua crença.
    paz

  30. 17 de novembro de 2010 9:40

    paz: Hugo
    Harpazo; do lat. Rapto] retirada brusca, sobrenatural e inesperada da igreja deste mundo, culminando no encontro com Jesus nos ares
    obs: Quando voce lê Mateus 24:31 no pós acredita ser o arrebatamento da igreja , mas não é os escolhidos no texto deve ser entendido ser Israel. conforme o estudo acima te mostrei que a igreja no periodo da grande tribulação estará no céu comemorando as bodas do cordeiro Apocalipse 19:7-9 e voltará visivel com Cristo a derrotar a besta V14 .
    obs: Não há base Biblica para um arrebatamento visivel par o mundo vê a igreja sendo arrebatada isto é crença adventista .
    Atos 1:11 nos mostra Jesus voltando ao céu somente os salvos viram ele voltar e o mundo não viram nada, assim os anjos falaram a igreja que Jesus vai voltar lendo I Tessalonicenses 4:16,17 a igreja subindo e vendo Jesus nos ares , não há registro que o mundo vai ver isto é por isso que chama Harpazo (rapto ) porque isto porque ele vem como o ladrão raptar a igreja .
    a palavra retirada brusca não se encaixo no contexto , porque a retirada será pelo poder de Deus.
    mistério.
    paz

  31. 17 de novembro de 2010 11:22

    pa: Hugo
    Mateus 24:31 Reunirá os seus escolhidos (Isaias 43:5-7 Não temas, pois, porque sou contigo; trarei a tua descendência desde o Oriente e a ajuntarei desde o Ocidente.
    6. Direi ao Norte: entrega! E ao Sul: não retenhas! Trazei meus filhos de longe e minhas filhas, das extremidades da terra,
    7. a todos os que são chamados pelo meu nome, e os que criei para minha glória, e que formei, e fiz.
    obs: os judeus serão arrebatados não para o céu ,mas para sua terra natal (Israel) Atos nos dá uma ilustração Atos 8:39-40 Quando saíram da água, o Espírito do Senhor arrebatou a Filipe, não o vendo mais o eunuco; e este foi seguindo o seu caminho, cheio de júbilo.
    40. Mas Filipe veio a achar-se em Azoto; e, passando além, evangelizava todas as cidades até chegar a Cesaréia.
    obs: é desta maneira que os judeus espalhados em todo o mundo serão reunidos na terra santa.
    paz

  32. 22 de novembro de 2010 23:14

    @carlos:

    Quanto a palavra harpazo, não estou testando seus conhecimentos em grego, e tampouco te pedi a definição da palavra, pois eu mesmo já a havia escrito. Meu argumento é o de que esta é a palavra que Paulo usa para ensinar a respeito do arrebatamento, e não apostasia. A propósito, você não me respondeu as 3 perguntas que te fiz de forma direta. Uma vez mais quero lembrá-lo de que há uma ordem a ser seguida aqui. Não vou poder continuar este debate contigo se perceber que você se esquiva das perguntas diretas e se esconde atrás de argumentos que não estão no assunto em pauta. Certamente há muita coisa a ser debatida e seus pontos são importantes, mas temos que seguir uma ordem, caso contrário não chegaremos a lugar nenhum. Portanto, espero as suas respostas diretas para as 3 perguntas que te fiz acima. Sem rodeios, sem evasivas.

    Não entendi o que você quis dizer com: “a palavra retirada brusca não se encaixo no contexto , porque a retirada será pelo poder de Deus.” Você poderia explicar melhor?

    Quanto a sua teoria de que um arrebatamento visível é “crença adventista” (nunca ouvi isso antes, mas tudo bem): a Bíblia não nos fala de um arrebatamento visível, mas tampouco de um invisível. Somente nos fala de uma ÚNICA vinda de Cristo, visível a todo mundo, e de um arrebatamento que está atrelado a esta vinda visível.

    Quanto a At 1:11, está é um argumento bem questionável. Somente quinhentas pessoas viram o Senhor ressurreto, mas a Bíblia é clara que todos testemunharão a sua volta. Portanto, este seu silogismo está totalmente comprometido.

  33. 22 de novembro de 2010 23:23

    @carlos:

    Quanto a “iminência” da volta de Cristo:

    É bom lembrar que o Senhor Jesus menciona apenas uma vinda (logo após a grande tribulação) e adverte seus discípulos a estarem atentos a ela (Mateus 24:33). Toda a teoria de que haveria uma volta secreta para arrebatar a Igreja parte de uma conjectura, MAS NÃO ESTÁ NA BÍBLIA (se você encontrar uma só passagem que descreva esta vinda secreta, poste-a aqui, por favor). As Escrituras nos ensinam que “… assim também Cristo, oferecendo-se uma vez para tirar o pecado de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação” (Hebreus 9:28). As Escrituras não falam de uma terceira e quarta vinda, somente de uma segunda.

    Portanto, a passagem de Mateus 24:44 deve ser entendida de acordo com o seu contexto. É bom lembrar que nos versos anteriores, o Senhor afirma que seus discípulos deveriam esperar pelos sinais profetizados por Ele. Não faria o menor sentido Jesus detalhar vários sinais que antecederiam a ÚNICA vinda descrita por Ele – ao responder uma pergunta quanto ao dia de sua vinda -e depois inserir um arrebatamento secreto e totalmente inesperado em suas explicações.

    Portanto, ao levarmos em consideração o CONTEXTO da passagem, fica claro que as palavras do Senhor nesta passagem indicam que, em meio à tribulação pelas quais a Igreja passará, o Filho do Homem voltaria em um momento em que os discípulos “menos esperassem”, advertindo os discípulos a permanecerem firmes diante da perseguição que sofrerão e não esmorecerem jamais, pois todos correrão o alto risco de desanimarem e serem enganados durante a tribulação. Isso faz muito sentido, pois quando estamos passando pelo fogo ardente, muitas vezes pensamos que Deus no abandonou e que tudo está perdido. Mas as palavras do Senhor aqui servem como uma exortação para que a Igreja se mantenha vigilante. Esta interpretação faz muito mais sentido com o contexto da passagem.

    Isso está muito claro em Lucas 21, também citado por você. No verso 34, o Senhor nos adverte: “Olhai por vós mesmos; não aconteça que os vossos corações se carreguem de glutonaria, de embriaguez, e dos cuidados da vida, e aquele dia vos sobrevenha de improviso como um laço.” Ou seja, as advertências de Jesus se dão no sentido de que não devemos ser pegos de surpresa e o dia nos sobrevenha como um laço.

    A interpretação de várias escrituras que você citou partem de uma ótica cujo fundamento está comprometido. Assim, não vou me dar ao trabalho de refutar, uma a uma, suas conjecturas pré-tribulacionistas de que o arrebatamento deve se dar antes da tribulação somente porque “o dia do Senhor virá como o ladrão na noite”. Pela terceira vez, vou te direcionar ao artigo “O Pré-Tribulacionismo e o ladrão na noite”, onde esta questão já foi respondida. Lá fica claro que de acordo com Apocalipse, o dia do Senhor que virá como um ladrão, assim como a PRIMEIRA RESSURREIÇÃO DOS MORTOS, se dará somente DEPOIS DO ARMAGEDOM, o que joga o rapto para depois da tribulação (porque os mortos em Cristo necessitam ressucitar primeiro), antes do início do milênio que você cita.

    Quando você quiser ir lá e argumentar, a gente pode voltar a conversar. Porque de nada adiantará eu replicar seus argumentos (que partem de um fundamento equivocado) sem irmos direto ao FUNDAMENTO daquilo que você crê. Uma vez que você enteder que A SUA CRONOLOGIA ESTÁ COMPROMETIDA, então automaticamente deixará de levar em consideração certas conjecturas pré-trib na interpretação de certos versículos que citou, e começará a entendendê-los de uma ótica diferente.

  34. 22 de novembro de 2010 23:36

    @carlos:

    Essa sua idéia de que todos os judeus serão transladados sobrenaturalmente à Terra Santa como Felipe é pura conjectura. Só discuto fatos concretos que as Escrituras nos ensinam, não conjecturas.

    É muito engraçada a ginástica que vocês fazem para construir suas idéias. Primeiro diz que Mateus 24 é uma palavra para Israel somente e que não posso usá-lo para descrever a sequencia de eventos ali delineadas para entender o que ocorrerá no final dos tempos (obviamente, porque compromete a cronologia pré-trib).

    Mas você mesmo contradiz sua própria premissa ao usar Mateus 24:44 para pregar um arrebatamento secreto pré-tribulacional da Igreja. Isso se chama interpretação seletiva, Carlos. Afinal de contas, Mateus 24 é para Israel somente ou para a Igreja em geral?

  35. 23 de novembro de 2010 20:41

    paz
    Hugo
    voce é pós só enxerga a igreja passando a grande tribulação
    Mateus 24:44 Por isso, estai vós apercebidos também; porque o Filho do homem há de vir à hora em que não penseis.
    obs: aplicar a igreja está fora do contexto ,imagina V15 Quando, pois, virdes que a abominação da desolação, de que falou o profeta Daniel, está no lugar santo; quem lê, atenda;
    obs: V15 diz da hora que começará a grande tribulação com certeza será em Jerusalém.
    V16 Então, os que estiverem na Judéia, fujam para os montes;
    obs: quem sãos que estará na Judéia? é gentio ou judeus?
    quem lá guarda o sábado V 20 E orai para que a vossa fuga não aconteça no inverno nem no sábado;acaso se aplica aos gentios? V17 E quem estiver sobre o telhado não desça a tirar alguma coisa de sua casa;( acaso a igreja vai fazer como a mulher de Ló ? Lucas 17: 32,33 . V 22 E, se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas por causa dos escolhidos serão abreviados aqueles dias.
    quem serão os escolhidos neste tempo? só pode ser entendido os judeus , porque o templo ficará em Jerusalém e é lá que começará a grande tribulação Mateus 10:23 E odiados de todos sereis por causa do meu nome; mas aquele que perseverar até ao fim será salvo.
    Quando pois vos perseguirem nesta cidade, fugi para outra; porque em verdade vos digo que não acabareis de percorrer as cidades de Israel sem que venha o Filho do homem.
    Então o alvo será os judeus e não a igreja, estes judeus serão aqueles que vão aceitar a Cristo neste tempo , entendeu? ligar o arrebatamento na segunda vinda de Cristo é ir além da interpretação ,voce não crê nisto? obs: Verdade mesmo, mas leia o V7-9 Regozijemo-nos, e alegremo-nos, e demos-lhe glória; porque vindas são as bodas do Cordeiro, e já a sua esposa se aprontou.
    E foi-lhe dado que se vestisse de linho fino, puro e resplandecente; porque o linho fino são as justiças dos santos.
    E disse-me: Escreve: Bem-aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro. E disse-me: Estas são as verdadeiras palavras de Deus.
    obs: Aqui está a grande verdade a igreja ou a esposa de Cristo para comemorar as bodas do cordeiro indica que terá que estar no´céu antes da vinda visivel ao mundo V1 nos mostra a igreja no céu V6 ouvi como que a voz de uma grande multidão, e como que a voz de muitas águas, e como que a voz de grandes trovões, que dizia: Aleluia! pois já o Senhor Deus Todo-Poderoso reina.
    Faça a pergunta: Nesta visão João vê a igreja no céu , bem antes da segunda vinda visivel, porque só vemos Jesus voltar no V14-19 E seguiam-no os exércitos no céu em cavalos brancos, e vestidos de linho fino, branco e puro.
    E da sua boca saía uma aguda espada, para ferir com ela as nações; e ele as regerá com vara de ferro; e ele mesmo é o que pisa o lagar do vinho do furor e da ira do Deus Todo-Poderoso.
    E no manto e na sua coxa tem escrito este nome: Rei dos reis, e Senhor dos senhores.
    E vi um anjo que estava no sol, e clamou com grande voz, dizendo a todas as aves que voavam pelo meio do céu: Vinde, e ajuntai-vos à ceia do grande Deus;
    Para que comais a carne dos reis, e a carne dos tribunos, e a carne dos fortes, e a carne dos cavalos e dos que sobre eles se assentam; e a carne de todos os homens, livres e servos, pequenos e grandes.
    E vi a besta, e os reis da terra, e os seus exércitos reunidos, para fazerem guerra àquele que estava assentado sobre o cavalo, e ao seu exército.
    obs: Aqui é ou não é a segunda vinda de Cristo? onde estava a igreja antes?

  36. 25 de novembro de 2010 0:03

    Carlos,

    Você é muito apaixonado por suas próprias ideias, irmão. Não responde minhas perguntas, e se esconde atrás de seus próprios argumentos.

    Como dito aqui anteriomente, eu não vou ser o único a estar queimando neurôneos para refutar suas premissas. Está na hora de você fazer o mesmo.

    Eu já lhe ofereci minha interpretação de Mateus 24:44. Como disse, é uma contradição pensar que o Senhor estivesse falando de sinais proféticos a serem vistos pelos discípulos e de repente introduzir a idéia de um arrebatamento totalmente inesperado. Você comete a mesma contradição na passagem de Tessalonicenses, contradição esta que você nunca me esclareceu, apesar de eu ter te feito a pergunta acima.

    O pós-tribulacionismo conhece as passagens de Apocalipse e as interpreta satisfatoriamente. Apocalipse é uma visão profética e NÃO ESTÁ RELATADA EM ORDEM CRONOLÓGICA. Há eventos em diferentes capítulos que são paralelos, e visões do futuro dentro de uma mesma visão profética.

    O problema, amigo, é que não é boa prática hermenêutica utilizar-se de SÍMBOLOS E CONJECTURAS para a formação de doutrina. Você precisa primeiro construir seu fundamento em fatos concretos e interpretar simbolismos proféticos à luz deste fatos concretos, e não o contrário.

    E os fatos concretos são esses: 1) a Bíblia fala de uma única vinda de Jesus antes do Milênio, não duas. 2) João diz claramente em Apocalipse que o dia do Senhor que vem como um ladrão ocorrerá depois do Armagedom, assim como a ressurreição dos mortos em Cristo – o que joga o arrebatamento para depois do Armagedom.

    Quando é que você vai lá no tópico apropriado responder esta pergunta? Esta é a quarta vez que te peço para deixar de rodeios e ir direto ao fundamento de nossas desavenças. Como disse, uma vez que você entenda que seu fundamento está equivocado, certos simbolismos de Apocalipse serão interpretados de outra ótica.

    Vamos combinar algo: primeiro você responde a questão cronológica, e depois que você o fizer, eu interpreto Apocalipse para você, verso por verso, se quiser, OK?

  37. Jefté permalink
    11 de dezembro de 2010 20:54

    Olá irmãos

    Carlos
    Você diz:
    Não pode ser a palavra tirada , porque depois da era da igreja virá o tempo da ira de Deus (a grande tribulação) leia Apocalipse 14:6 -10 E vi outro anjo voar pelo meio do céu, e tinha o evangelho eterno, para o proclamar aos que habitam sobre a terra, e a toda a nação, e tribo, e língua, e povo.
    Dizendo com grande voz: Temei a Deus, e dai-lhe glória; porque é vinda a hora do seu juízo. E adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas.

    Ora, irmão, como não pode ser tirada a palavra, se está dito:
    “Eis que vêm dias, diz o Senhor JEOVÁ, em que enviarei fome sobre a terra, não fome de pão, nem sede de água, mas de ouvir as palavras do Senhor.
    E irão vagabundos de um mar até outro mar, e do norte até ao oriente: correrão por toda a parte, buscando a palavra do Senhor, e não a acharão.
    Naquele dia as virgens formosas e os mancebos desmaiarão de sede.” (Amós 8:11-13)

    Quanto ao dizer do anjo em Apocalipse:
    “E vi outro anjo voar pelo meio do céu, e tinha o evangelho eterno, para o proclamar aos que habitam sobre a terra, e a toda a nação, e tribo, e língua, e povo.
    Dizendo com grande voz: Temei a Deus, e dai-lhe glória; porque vinda é a hora do seu juízo. E adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas.” (Apc. 14:6-7)

    Ora, irmão; reparemos: A proclamação do evangelho eterno feita pela anjo já é a exortação p/ todos temerem a Deus.
    Essa é a proclamação feita pelo anjo quando diz: “Temei a Deus, e dai-lhe glória; porque vinda é a hora do seu juízo. E adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas.” (Apc. 14:7)

    Reparemos novamente: no verso 9 do mesmo capítulo (Apc. 14), outro anjo proclama também com grande voz para que não adorem a besta.

    Portanto, isso não contradiz a profecia sobre a retirada da palavra de Deus da terra. Amós 8:11-13
    E II Tes. 2:4 quando será retirado aquilo que detém o anticristo, a saber, a palavra de Deus.

    Jefté

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: