Skip to content

As Origens do Pré-tribulacionismo

25 de agosto de 2009

arrebatamentoMilhares de pessoas desaparecerão repentinamente. Carros se desgovernarão nas ruas quando seus motoristas forem arrebatados. Aviões cairão quando seus pilotos se “desintegrarem”. O plantão do Jornal Nacional interromperá a Sessão da Tarde, ou a novela das 8, para noticiar as diversas tragédias que ocorrerão ao redor do mundo. Repórteres entrevistam esposos desesperados, dizendo que suas esposas desapareceram enquanto preparavam o jantar. Mães, aos prantos, dizem que viram seus bebês evaporarem em seus berços. Professores confusos pelo fato de pelo menos um terço de sua classe ter desaparecido. Um paciente, em pleno tratamento de canal, relata que ficou de boca aberta ao ver sua dentista flutuar e atravessar o teto do consultório, para nunca mais voltar. Um pastor atônito diz que percebeu algo estranho enquanto, entusiasmado, trovejava atrás de um púlpito seu mais novo sermão sobre os 5 Princípios Para uma Vida de Sucesso. Em todos os lugares, há relatos de pessoas desaparecendo. Por alguma razão, somente Brasília parece ter um dia normal.

Este é o cenário apocaliptico comumente pintado aos congregantes da maioria das igrejas de hoje. Livros e até mesmo filmes, como a série Deixados Para Trás, foram produzidos em torno destes relatos hollywoodianos. Diz-se que Jesus virá uma vez, secretamente, para arrebatar os santos e voltará uma vez mais, agora visivelmente e para reinar, após um período de sete anos denominado A Grande Tribulação.

É certo que Jesus voltará para nos resgatar, que haverá um arrebatamento e um período de tribulação pelo qual a terra passará. Algumas perguntas, no entanto, pairam no ar. Por exemplo, de onde se tirou a idéia de que Jesus voltará duas vezes – uma vez secreta e outra publicamente? Onde está escrito que a Igreja escapará da Grande Tribulação? Onde é que a Bíblia descreve uma tribulação de sete anos no final dos tempos? E, a prova dos nove: se dermos uma Bíblia a alguém que nunca tenha ouvido falar da teoria pré-tribulacionista, no final de sua leitura essa pessoa crerá em um arrebatamento pré-tribulacionista?

Ao longo desta série de artigos, veremos que não. Absolutamente ninguém que leia somente a Bíblia, sem as lentes da teologia dispensacionalista, chegará à conclusão de que a igreja será arrebatada antes da tribulação. Ninguém que leia somente as Escrituras poderá enxergar duas vindas de Jesus no final dos tempos. Mas, antes de começarmos a desconstruir esta doutrina, precisamos conhecer suas raízes.

Quando Tudo Começou

O ensino sobre a vinda secreta de Jesus antes da tribulação e do aparecimento do Anticristo tem sido crido e amplamente disseminado na Igreja contemporânea sem nenhum questionamento ou investigação. Poucos sabem que esta doutrina não reflete a crença dos Pais da Igreja, ou sequer foi ensinada pelos reformadores. Surpreendentemente, por mais de 1800 anos, ninguém havia ensinado ou ouvido falar em um arrebatamento pré-tribulacionista.

Comumente, associa-se a origem do pré-tribulacionismo a John Nelson Darby (1800-1882), teólogo inglês do século XIX e líder do grupo reformista Os Irmãos de Plymouth. Os biógrafos de Darby o chamam de “o pai do dispensacionalismo moderno”. Darby, sem dúvida, foi o principal porta-voz desta alternativa escatológica que divide a volta de Cristo em duas etapas. Nem todos os de seu tempo, porém, aceitaram esta teologia. Entre os contemporâneos de Darby que rejeitaram o pré-tribulacionismo estão Jorge Müller, William Booth (fundador do Exército da Salvação), Carlos Spurgeon e um teólogo chamado Samuel Prideaux Tregelles. Tregelles foi um teólogo do século XIX e integrante dos Irmãos, o mesmo grupo a que Darby pertencia.

Em 1864, em seu livro The Hope of Christ’s Second Coming (A Esperança da Segunda Vinda de Cristo), Tregelles refutou abertamente a nova doutrina como sendo antibíblica.1 Ele atribuiu o surgimento do pré-tribulacionismo, não a Darby, mas a uma falsa profecia proclamada por um dos membros da Igreja Católica Apostólica – grupo liderado pelo eloquente pregador escocês Edward Irving (1792 – 1834). A  profetisa em questão era uma jovem de 15 anos chamada Margaret MacDonald (1815 – 1840).

Na primavera de 1830, na cidade escocesa de Port Glasgow, Margaret recebeu uma profecia em que um grupo seleto de cristãos era arrebatado durante uma vinda secreta de Cristo. A profecia foi preservada na íntegra em uma obra entitulada Memoirs (Memórias), escrita por uma testemunha ocular dos acontecimentos, o médico e pastor escocês Robert Nolton.  Na obra, Nolton atesta que essa menina de 15 anos chamada Margaret foi a primeira pessoa a dividir a vinda de Cristo em duas etapas. Edward Irving também pregou a doutrina de um retorno secreto de Cristo. É incerto qual a relação entre a teologia de John N. Darby, a profecia de Margaret MacDonald e os ensinos de Edward Irwing. O que se pode dizer é que estes três personagens entraram para a História da Igreja como os difusores simultâneos de uma nova doutrina, totalmente desconhecida antes do século XIX.

Darby visitou a América seis vezes e levou consigo a doutrina do “escapismo” (como é conhecida entre alguns, em alusão ao fato de a Igreja “escapar” da Grande Tribulação). Nos Estados Unidos, um erudito chamado Cyrus Ingerson Scofield (1843-1921) foi exposto aos ensinos de Darby. Scofield considerava Darby “o mais profundo erudito bíblico dos tempos modernos”.2

Em 1909, Scofield publicou uma Bíblia com suas próprias notas marginais recheadas com o pré-tribulacionismo darbinista –  o famoso clássico da literatura dispensacionalista, entitulado A Bíblia de Scofield. A Bíblia de Scofield é sem dúvida a maior responsável pela disseminação da doutrina do escapismo nos EUA e, consequentemente, nos países evangelizados por missionários americanos, entre eles o Brasil.

Ao ser indagado se cria na doutrina das duas vindas de Jesus Cristo no final dos tempos, uma secreta e outra visível, o renomado avivalista G. Campbell Morgan (1863-1945) disse:

Enfaticamente, não! Conheço muito bem esta doutrina. Nos primeiros anos de meu ministério, cri nesta visão e a incorporei em um de meus livros. Mas, à medida que estudei mais o assunto, percebi o erro deste ensino […]. A idéia de uma vinda de Cristo secreta e à parte é uma divagação da intepretação profética, e não dispõe de absolutamente nenhum fundamento biblico.3

Assim como Morgan, muitos de nós aprendemos e ensinamos a doutrina do escapismo por muitos anos. Resta saber se teremos a mesma humildade que Morgan teve ao admitir o engano que cometeu. Espero colaborar com isso, nesta série de artigos sobre o Pré-tribulacionismo.

Continua na Parte 2.

Notas

[1] S.P. Tregelles, The Hope of Christ’s Second Coming, pp. 34-37.
[2] C.I. Scofield, Dr. C.I. Scofield’s Question Box, p.93.
[3] William R. Kimball, A Question of Timing, p. 179.


© Pão & Vinho

Este artigo está sob a licença de Creative Commons e pode ser republicado, parcial ou integralmente, desde que o conteúdo não seja alterado e a fonte seja devidamente citada: http://paoevinho.org.

Anúncios
26 Comentários
  1. Evelin Olívia Fróes permalink
    25 de agosto de 2009 19:40

    Olá Hugo!

    Não espere humildade dos escritores e leitores do blog Bible Prophecy Today. Certa vez questionei essa heresia do Arrebatamento Pré – Tribulacionista e recebi críticas ferozes, só faltaram me linchar! Não sabia que esses evangélicos da extrema direita, eleitores do Partido Republicano, poderiam ser tão arrogantes, orgulhosos e fanáticos! Teve uma leitora que teve a cara de pau de dizer que eu sou amilenialista e que não me importo com o Retorno de Jesus Cristo! Olha, veja só! Nesse blog a Democracia não é bem vinda, e eles ainda criticam os Democratas e chamam o Barack Obama de Anticristo! Não é ridículo?
    Você conhece o site do médico australiano Gavin Finley, o Endtime Pilgrim? acesse o site dele (não lembro a url dele), vale a pena! Ele é pós – tribulacionista e nesse site existem duas cartas, uma da holandesa Corinne Tem Bloom e outra da esposa do Billy Graham denunciando a heresia do Arrebatamento Pré – tribulacionista e os perigos de se crer nessa heresia (incluindo as conseqüências).
    Eu frequentei por alguns anos a Igreja Presbiteriana Independente e lá os evangélicos crêem nessa heresia. Pois eu nunca consegui acreditar nessa heresia, simplesmente não entra na minha cabeça!

  2. Hugo permalink*
    25 de agosto de 2009 19:58

    Oi Evelin,

    É bom ver você por aqui.

    Eu ainda não conheço estes nomes que você citou, mas vou dar uma pesquisada.

    Muitos pré-tribulacionistas não estão acostumados a serem confrontados. É um dogma que tem sido adotado por quase dois séculos na Igreja sem que ninguém investigue. Por isso, alguns teólogos dispensacionalistas surtam todas as vezes que alguém questiona essa doutrina. Li uma vez na Chamada da Meia Noite um artigo implicando que um determinado grupo era herege por não crer no escapismo. O pessoal do Bible Prophecy segue a mesma linha.

    Quanto à questão dos protestantes republicanos, eles são os maiores responsáveis pelo ceticismo entre os jovens deste país e pelo surgimento dos chamados cristãos liberais. Estou escrevendo um artigo a respeito do assunto.

  3. Evelin Olívia Fróes permalink
    25 de agosto de 2009 21:57

    Pois é Hugo, falta bom senso a esses cristãos de direita, como se Jesus Cristo fosse filiado a alguma ideologia política, pois todas elas (esquerda, direita, centro, o que for) são idéias humanas, carnais! Ah, devo corrigir o nome da holandesa: É Corrine Tem Boom. É por aí. Em todo o caso, ela é a autora do famoso livro O Refúgio Secreto (minha memória está falhando…), sobre uma família holandesa (a dela própria, pois é uma autobiografia) que abrigou, escondeu e protegeu vários judeus, fazendo parte da Resistência Holandesa durante a Segunda Guerra Mundial. Esse livro é muito bom!

  4. Evelin Olívia Fróes permalink
    30 de agosto de 2009 22:33

    Hugo, dessa vez não vou errar, porque ontem eu li alguns textos do site do Gavin Finley.
    1º) o endereço dele na internet é http://www.endtimepilgrim.org
    2 º) o nome da holandesa ilustre é Corrie Ten Boom
    3º) o nome da esposa do Billy Graham é Sarah Graham.

    Agora você não vai errar na pesquisa!

    O Gavin Finley escreveu textos excelentes sobre o Pré – Trib e o Pós – Trib. Também tem textos muito bons sobre Israelologia com uma tese surpreendente sobre a identidade das Dez Tribos Perdidas de Israel e a profecia de que o Cajado do Rei Jeroboão será restaurado (a restauração de todas as coisas que o Apóstolo Pedro falou inclui Israel, ou seja, as Doze Tribos!). Mais detalhes sobre as Dez Tribos Perdidas de Israel é só visitar o website do especialista Yair Davidiy http://www.britam.org. Não à toa, os evangélicos que crêem no Arrebatamento Pré – Tribulacionista desdenham da crença de que as Dez Tribos Perdidas ainda existam, eles pensam que elas estão extintas para sempre como o pássaro dodô. Será?

  5. walmison godoi permalink
    26 de outubro de 2009 16:02

    Prezado amigo,

    Sempre ouço as duas partes. Os pré e ou pós…. tenho familiares que divergem.
    Queria sanar uma dúvida!

    Dizem os pré….. quanto a primeira ressurreição antecederá à vinda de cristo, o arrebatamento, segundo paulo em tessanolicensses, I cor 15 etc etc….. mas joão diz que a primeira ressurreição ocorre depois da vinda de Cristo em apoc 20. Queria saber como resolve esta questão… se a primera ressurreição tem duas fazes porque não a primeira citada por paulo quando diz que seremos arrebatados é claro que quando ele diz nós não precederemos os que dormem é antes da vinda e joão diz que é depois, concordando assim com a primeira ressurreição também em duas fases juntamente com a vinda.
    Segunda pergunta porque foi dado vestes brancas, linho fino que são a justiça dos santos coisa que só vai acontecer quando a igreja (noiva) encontrar como noivo e neste momento é chamada de Esposa em apoc 19 quando joão continua a visão com a vinda de cristo depois? se é chamada de esposa aí e já recebeu as vestes brancas (se é que que Você conhece bem a doutrina do tabernáculo DENTRO DO apocalipse), sim é chamada de esposa e não noiva mais (já houve casamento) e pede-se que seja apresentada aos judeus principalmente na vinda logo após? tenho 50 dúvidas mais ou menos sobre estas diferenças quando quero acreditar no pós tribulacionismo. Acho que estão ocultando muita coisa que os pré-trib. dizem e mostram na bíblia.

    Como explicar levítico das 3 colheitas? uma primeira ressurreição de Cristo como primicias onde salvos do antigo testamento ressuscitaram e desaparaceram, e segunda colheita o arrebatamento e o rabisco da colheita os restantes dos gentios juntamente com os judeus? por que 3? Cristo as primicias, o arrebatamento a colheita e os rabiscos? conheces bem a doutrina e as festas do antigo testamento? a tipologia como um todo? De coração não me dão respostas nunca satisfatórias para acreditar em um sofrimento da igreja junto aqui.

    E quanto a sua questão de mandar alguém que nunca leu a bíblia e tirar as conclusões, já fiz o teste, com um mundano , sem vinculo com cristo, mandei ler os textos e a conclusão é que ele seria arrebatado. Fiz o teste mesmo amigo de verdade e lhe digo que não tentei dar nenhuma ajudinha para crerem no pré….

    abraços. Desde já obrigado pela atenção. Se possível me responda pelo email que coloquei. obrigado.

  6. Hugo permalink*
    27 de outubro de 2009 4:33

    Walmison,

    Penso que se você estivesse certo, e a ressurreição dos santos tivesse duas etapas, João teria se equivocado em descrever a ressurreição de Ap 20:5 como a PRIMEIRA ressurreição. Você citou Tessalonicenses e 1 Cor 15 para contrastar com Ap 20:5 e embasar sua premissa de que a ressurreição dos mortos se dará em duas etapas. Você poderia me mostrar nas Escrituras onde Paulo afirma que haverá alguma ressurreição antes do aparecimento do Anticristo e dos eventos registrados em Ap. 20? Por favor, cite os vv. em que você baseia seu pensamento de que “é claro que quando ele diz nós não precederemos os que dormem é antes da vinda”.

    Quanto a Ap 19:7-8, o fato de a Igreja ser chamada de “esposa” já no capítulo 19 é um ponto de apoio muito frágil para se estabelecer que vá haver algum “casamento no céu” que anteceda os acontecimentos narrados nos capítulos 20 e 21, por dois motivos:

    1) Dizer isso é excluir os vários judeus que serão salvos, assim como os demais santos da tribulação, do status de “esposa” – porque de acordo com sua linha de pensamento, este casamento se dará quanto estas pessoas ainda não estarão na presença de Deus. Entretanto, este casamento não pode ocorrer antes que todos os salvos estejam presentes na cerimônia (porque eles também fazem parte da Igreja). Este apartheid teológico criado pelo pré-tribulacionismo – que exclui judeus e os santos da tribulação das Bodas do Cordeiro – não tem absolutamente nenhum amparo bíblico.

    2) João está relatando uma visão profética de eventos que não ocorreram em seu tempo, nem tampouco no nosso. Em seu êxtase profético, é comum que alguns eventos se intercalem e até mesmo antecedam outros eventos que ainda não ocorreram dentro da cronologia da própria profecia. Em outras palavras, Apocalipse não pode ser interpretado como se seus eventos fossem narrados em perfeita ordem cronológica. Atente para o fato de que assim como João descreve as bodas do Cordeiro e a esposa que “já se aprontou” em Ap 19, ele volta a chamar a Igreja de noiva em Ap 21:9 e 22:17.

    Quanto as “três colheitas” de Levíticos, pediria que fosse mais específico quanto à passagem a que se refere. Mas de antemão, digo que não discuto simbolismos, somente passagens que afirmem fatos literais acerca do arrebatamento e da ressurreição. Digo isso porque valores simbólicos são agregados a certos elementos das Escrituras de acordo com as lentes teológicas pelas quais você lê a Bíblia. Todo simbolismo é relativo até que você tenha uma outra passagem que afirme literalmente a premissa que você quer defender. Não é saudável embasar doutrinas em meros simbolismos. Por isso, sugeriria que, se você quer realmente sanar suas dúvidas acerca deste assunto, não se enfoque tanto em simbolismos até que descubra na Bíblia alguma passagem que afirme de forma literal que o Dia do Senhor será dividido em duas etapas.

    Quanto à conclusão a que seu amigo mundano chegou: se ele chegou à conclusão de que será arrebatado, está certo. Todos seremos. A questão é quando. O teste que eu sugiro é o de um crente em Cristo ler o texto bíblico NA ÍNTEGRA, sozinho, sem ajuda de nenhum teólogo pré-tribulacionista, vivo ou morto. Penso que o que um mundano diz acerca da Bíblia não merece muito crédito, mas tenho sérias dúvidas se este seu amigo leu o texto bíblico na íntegra ou se foi exposto a certas passagens pré-selecionadas, isoladas e ordenadas na sequencia apresentada pelo pré-tribulacionismo. De qualquer maneira, peço que o consulte e poste aqui as passagens que o convenceram cabalmente de que ele será arrebatado ANTES da PRIMEIRA ressurreição citada em Ap. 20.

  7. 12 de fevereiro de 2010 22:15

    A Paz do Senhor Jesus Cristo seja com todos os irmãos, suas famílias e igrejas!

    Há sete anos, através do “meu” site http://www.bjcv.blog.br, eu venho alertando as igrejas, segundo a minha capacidade, de que: A igreja passará pela grande tribulação, e os que não forem avisados perderão a salvação. Esta é a mensagem que creio ter recebido de Deus em setembro (não me lembro com exatidão o mês) de1989 após minha conversão à Cristo. Desde aquela época eu espero por um sinal da parte de Deus que conduza os evangélicos a olharem e pregarem uma só mensagem, a saber: Jesus Cristo está às portas. Quando isto acontecer, infelizmente para muitos será tarde de mais, não por conta de Deus, mas porque será quase impossível que, como as cinco virgens loucas, os irmãos que rejeitam o arrebatamento após o período de grande tribulação causado pelo anticristo mudarem de posição, pois, a final, esta é a geração louvor. Só querem louvar, louvar e louvar, qualquer coisa fora disso é para eles anátema. Mas ainda há mais de sete mil que não dobraram seus joelhos as falsas doutrinas, entre elas a de que a igreja será arrebatada secretamente, invisivelmente antes que o anticristo se manifeste e seja ele derrotado por nosso Senhor Jesus Cristo na sua gloriosa volta sobre as nuvens para arrebatar, na primeira ressurreição, tanto os vivos como os mortos por testemunharem a sua fé até o fim.

    Não debaterei nem apresentarei textos Bíblicos para os contradizentes, pois os sinais falarão por nós, e um desses sinais é o crescente aumento “súbito” de irmãos que estão recebendo revelações do Espírito Santo de que uma grande tribulação se aproxima contra a igreja. O mundo das pregações da prosperidade e da vida material abundante logo ruirá, e aqueles que quiserem permanecer nesta ilusão terão que ou adorar a imagem da besta ou receber o seu sinal de identificação. Uma geração má e adúltera pede-nos provas, apesar das evidências diante de todos, de que falamos a verdade, e a única prova que terão é estarem eles aceitando a marca de identificação para poderem comprar e vender. Tarde demais!

    André M. dos Santos

  8. ROBSON MOREIRA permalink
    15 de abril de 2010 13:10

    Ola, estou tendo contato com este site e outros pos-tribulacionistas agora, embora de posição pré tribulacionista eu acho uma grande estupides chamar de herejes quem é pós ou mide tribulacionista ,eu estou preparado para encarar qualquer uma das situaçoes quer seja a volta de meu Senhor antes no meio ou depois da tribulacão e creio que para min e meus irmãos de diferentes situações o que inporta e estar em Cristo e perseverar ate o fim.
    Nas coisas esenciais a unidade nmas não esenciais a liberdade e em tudo a caridade “Calvino”

  9. mauro paiva permalink
    27 de junho de 2010 23:34

    Caros irmãos ,
    O dia e hora ninguem sabe……a biblia da sentido as tres teorias.Porque tanta preocupação ?Isto é o inicio das confusões que trará a apostasia como consequencia.Ninguem será salvo pelas obras. Irmãos a certeza é da salvação eterna.Creiam Deus nos ama,quando buscardes de todo o seu coração. Querem revelação peçam ,mas ,livrem -se de tudo e se esvaziem seu coração e se encham do nosso amado Deus… O EU SOU NOS BASTA…Eu creio no amor acima de qualquer entendimento, que eu possa morrer por meu Deus, porque num piscar de olhos estarei na Gloria.
    Que o amor do Espirito Santo possa me dar estratégia de atrair irmãos para a salvação.
    Não percamos tempo com teorias e sim com amor ao proximo, isso sim devemos desenvolver sem cessar. pois seremos cobrados por isso.GLORIA A DEUS , TODA HONRA A JESUS,OBRIGADO SENHOR PELO SEU ESPIRITO SANTO.
    ALELUIA .

  10. mauro paiva permalink
    27 de junho de 2010 23:46

    MARCOS 7 V 1 A 23
    GALATAS 5 V 13 E 14

    O QUE IMPORTA É A FÉ QUE OPERA PELO AMOR GALTATAS 5 V 6

    GALATAS 5 V 22A 26

    SE POSSIVEL LEIAM GAL. 6

    TUDO SE EXPLICA PELO AMOR.SOMENTE PELO AMOR.

    AMADOS IRMÃOS QUE POSSAMOS ESTAR JUNTOS NA ETERNIDADE E AGORA NA BUSCA DA VERDADE UNICA.JESUS, JESUS , JESUS

  11. MAX permalink
    18 de agosto de 2010 19:21

    Temos que ser maduros para considerar, que escatologia não é tão fácil de se interpretar. Sou arminiano, nem por isso chamo os calvinistas de hereges, leio suas literaturas, respeito-os e considero-os como irmãos. Tanto a visão pré, meso ou pós- tribulacionistas possuem suas referências bíblicas. É mais fácil atacar e classificar como herética uma corrente teológica do que aceitar algumas diferenças doutrinárias. Se a igreja tiver de passar pela grande tribulação, teremos de passar e honrar o nome de Cristo Nosso Senhor, se não, melhor ainda. Essa questão não interfere na salvação, e não nos fazem mais santos ou melhores, então sejamos maduros e sensatos para saber que nas doutrinas primárias UNIDADE, nas secundárias DIVERSIDADE.

  12. 23 de setembro de 2010 16:59

    Irmãos,

    Há pouco mais de um ano comecei a fazer comparações entre o pré e o pós e meus olhos se abriram. Gostaria de fazer as seguintes considerações:
    Me converti na Assembléia de Deus de Porto Alegre , no ano de 1987 (com 17 ANOS), oriundo de uma família não cristã (católica não praticante) onde somente eu me converti. Saliento isto para esclarecer que nunca tive nenhum tipo de vínculo com líderes da igreja, sejam eles familiares, de amizade, por posição, por liderança e etc e etc…Aprendi lá muitas coisas que nem imaginava relacionadas ao amor e a misericórdia de Deus para com o homem, mas também vi coisas que jamais imaginaria ver dentro de uma igreja. Sempre contestei muita coisa ,mas nunca a teoria pré-tribulacionista. Inclusive defendi esta teoria em minhas pregações sobre a iminente volta de Cristo. Os anos se seguiram e em 2006 sofri um revés financeiro e emocional muito grande. Ainda bem que tinha Jesus, esposa, filha, pais e irmã que me sustentaram. Minha visão sobre a vida mudou muito e comecei tudo não do zero, mas do (-zero). Todas as coisas começaram a ser feitas com aprofundamento e uma certa vagareza, inclusive minha posição quanto à palavra de Deus. Comecei a escutar menos as pessoas e a pesquisar e estudar mais as escrituras. Um dos temas que passei a pesquisar profundamente foi o arrebatamento da igreja de Cristo e abandonei de uma vez por todas a teoria pré-tribulacionista. Ela não se sustenta à luz da palavra de Deus. Tive que ser quebrado mais uma vez na vida e reconhecer que tinha uma visão deturpada da verdade quanto ao tema (arrebatamento). Bem, são mais de 50 arquivos, incluindo os originais com as palavras (em grego e hebraico originárias) , conteúdo que de forma alguma cabe neste comentário e que leva meses para se concluir. Mas uma coisa bem simples que gostaria de considerar é Mateus 24. Simples assim, sem ter que buscar referência de um livro para outro, estudo de Dr x, explicação de pastor Y etc. Leia com atenção! por exemplo, se vc manda seu carro no mecânico, vc não vai querer dizer o que ele tem que fazer, afinal de contas, se vc soubesse o que deveria fazer, vc o faria. Quem tem conhecimento é ele. Se vc vai no médico a mesma coisa, se vc vai no contador a mesma coisa, se vc vai no advogado a mesma coisa. Pois é, cada um na sua, com domínio total da sua especialidade e conhecimento. Em Mateus 24, Jesus Cristo, o Rei dos Reis, o Senhor dos Senhores……..fala sobre o futuro e sobre o seu retorno. Leia bem, é Jesus falando sobre o futuro (Ele é onisciente) e sobre o seu retorno (assunto pertinente primeiro a Ele que é o executor). Ninguém tem mais propriedade para falar de algo que Ele mesmo fará, e esse alguém não é qualquer um, é o centro da palavra de Deus, é o nosso Salvador, é a nossa esperança e por aí vai, tudo aquilo que vc cristão autêntico sabe. Então leia Mateus 24 e veja que está claríssimo que a igreja adentra à grande tribulação. Por isso passei a ser pós-tribulacionista. Irmãos, quero dizer-lhes que entendo que o fato de ser pré-tribulacionista não levará ninguém ao inferno nos dias de hoje, mas poderá levar quando se instaurar a tribulação, pois quem não se ateve a uma verdade explícita está acomodado(o) e esta acomodação leva à apostasia e ao não reconhecimento do sistema que implantará a marca da besta. Apocalipse fala sobre a marca, o nome ou o número do seu nome. Pode ser algo bem explícito, como pode ser algo bem sutil. E numa última consideração eu faço a seguinte pergunta: È mais fácil encher as igrejas com a teoria pré ou pós? Fiquem na paz e no amor de Jesus, amém!

  13. 28 de fevereiro de 2011 16:48

    Estou passando por este site lendo a matéria em capa e revendomeus proprios conceitos pre tribulacionistas e claro que irei pesquisa , tentarei não ser tendencioso, mas estar com o coração aberto. Todavia a verdade é que cristo vem, se antes, depois, após, não muda muita coisa na minha comunhão com Deus. Agora percebo que alguns são tanto exaltados como aqueles quem eles acusam. Sou criado nas Assembléias de Deus, nehuma referencia a exterminação das tribos de Israel, muito pelo contrário, sendo aprendi que as tribos voltarão para casa, em algum momento escatologico, também não acho valido os argumentos quem nem os pais da Igreja e nem os reformadores criam assim, uma vez que estes não detem a Inspiração em seus escritos – A volta de Cristo sinais e etc sempre levaram duvidas e emoçoes entre os cristãos, mesmo nas epocas Paulinas, – sei que chego tarde a estes comentarios porém quero registrar em resumo duas coisas: 1 – O estudo faz pensar e rever os conceitos 2- alguns comentaristas tem falado de um ambiente que não conhecem bem, e tudo o que nçao conhecemos bem gera noções erradas, o pentecostalismo e amplo e de muitas matizes, e para encerrar quem pesquisar verá que nao foram os pentecostais pre tribulacionistas que criaram um segragação religiosa ao ongo da Historia.

  14. 16 de março de 2011 12:16

    Hugo… Parabéns pelo texto!
    O mais completo que li até agora, sobre esta heresia!

    Sobre Corrine Tem Bloom… Procure por: Corrie Ten Boom
    Pesquise um livro e filme homonimos… “Refúgio Secreto”
    Onde ela conta como foi que escondeu judeus em sua casa
    durante a ocupação Nazista na Holanda!

    Shalom!

  15. Alexandre Costa permalink
    6 de novembro de 2011 13:17

    Presbiterianos interpretam simbolica e historicamente as profecias bíblicas assim como o fazem ao defender a doutrina da pré-destinação. Gostaria de dizer que fui em um seminário de escatologia cujo professor era um presbiteriano pós-tribulacionista e perguntei ao mesmo se sendo pré perderei a salvação, onde o mesmo respondeu que de maneira alguma pois qualquer escola que acreditasse não interferiria. Ora , chamam de herético os pré, e ao mesmo tempo dissem que o que nos cremos como herético não compromete a salvação?
    O que está nas Escrituras é a verdade, concordem ou não os teólogos, com as suas escolas.Nesse caso, não é a Bíblia que é pré-milenista pré-tribulacionista; é esta escola pré que é bíblica.
    A pre-destinação é defendida e criada em 1600 e todos vcs tomam como verdade e ao mesmo tem po condenam Darby por criá-las em século próximo. Citem então o Amigo dos presbiteriano Agostinho, a qual acabou com a interpretação literal das escrituras, ou tentou acabar, pois a não intrpretação literal acarreta não só a uma visão pós como também a HERÉTICA (DIREITOS IGUAIS) interpretação da pré-destinação como também do pós tribulacionismo.

  16. Alexandre Costa permalink
    6 de novembro de 2011 13:31

    CORRIGINDO, A INTERPRETAÇÃO SIMBÓLICA DAS ESCRITUAS(PROFECIAS) LEVA A CRENÇA DO PÓS E NÃO A DO PRÉ.
    OUTRA COISA. FAZ DE CONTA QUE VC ESTÁ NO ANO 102 d.C. E não provém de nenhum fato histórico rergistrado, não conhece nenhum teólogo , não sabe o que é hermeneutica nem nada. Será que Deus iria ter a vontade soberana que seus servos aprendessem o fim Is 46.9,10, COM BASE em registros e fatos históricos e com famosos teólogos a correta interpretação? quando aquele que o detém for retirado, o iníquio é revelado ao mundo. Então, espero não estar aqui para saber quem é o “camarada”. Quando falamos no plano de Deus para Israel e um para Igreja afirmamos que na eternidade será um só povo mas o cumprimento para a nação de Israel carne e osso vai se cumprir e Igreja nenhuma os substitui.

  17. 13 de novembro de 2011 2:32

    Alexandre,

    Fatos são fatos e contra tais fatos não há argumentos. O pré-tribulacionsmo possui raízes obscuras e surgiu somente no século XIX.

    Você apela a uma linha de argumentação questionável ao citar a doutrina da pré-destinação neste espaço. Este é um fórum de escatologia, não soteriologia. Minha inclinação teológica é arminio-wesleyana, ou seja, esta parte de sua argumentação para mim é irrelevante. Penso que sua argumentação histórica neste sentido está bem equivocada, mas não vou entrar no mérito da questão por não ser este o espaço apropriado.

    Somente faço o seguinte comentário: não sou calvinista, mas estou totalmente de acordo com este suposto presbiteriano pós-tribulacionista (uma combinação um tanto rara, visto muitos e não poucos reformados adotarem a linha escatológica amilenista), que lhe disse que escatologia é uma questão secundária à salvação. Qualquer um que pense o contrário está adicionando algo mais aos méritos da cruz de Cristo para a salvação, prática esta que SIM, pode ser chamado de heresia.

    AGORA, VOLTANDO AO ASSUNTO EM PAUTA, reitero que ninguém lendo somente a Bíblia enxergará um arrebatamento secreto e duas vindas do Senhor no final dos tempos. Toda a teoria de que haveria uma volta secreta para arrebatar a Igreja parte de uma conjectura, MAS NÃO ESTÁ NA BÍBLIA (se você encontrar uma só passagem que descreva esta vinda secreta, poste-a aqui, por favor). As Escrituras nos ensinam que “… assim também Cristo, oferecendo-se uma vez para tirar o pecado de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação” (Hebreus 9:28). As Escrituras não falam de uma terceira e quarta vinda, somente de uma segunda.

    TODOS os seus argumentos já foram respondidos nos links abaixo, e ainda espero por algum pré-tribulacionista que esteja disposto a engajar-se em um debate direto, refutando linha por linha as minhas argumentações, sem divagações ou especulações, mas de forma exegética e convincente:

    http://paoevinho.org/?p=863

    http://paoevinho.org/?p=870

    http://paoevinho.org/?p=931

    http://paoevinho.org/?p=1011

    Se quiser ser o primeiro a tentar, seja bem vindo. Fico no aguardo.

  18. Juliano Alencar dos Santos permalink
    30 de janeiro de 2012 15:31

    Olá, tudo bem? Achei muito interessante o artigo sobre as origens do pré- tribulacionismo e gostaria muito de poder entender como esse entendimento influenciou os missionários Daniel Berg e Gunnar Vingren, fundadores das ADs no Brasil quando ainda estavam nos EUA. Se o senhor puder me enviar o nome de algum livro para pesquisa eu agradeceria muito.

  19. silas permalink
    4 de abril de 2012 16:43

    A paz do Senhor.
    Eu tenho o mesmo desafio a muitos anos.
    Tenho comigo que o próprio contexto bíblico, nos leva a crer que a igreja deve demonstrar sua fé, para que na provação, na tribulação, a salvação possa se manifestar maior por parte de Deus. Sempre tem sido assim: O desafio da fé de Abraão, o povo no cativeiro egípcio quando as pragas caíram, Jonas no ventre do grande peixe,os amigos de Daniel na fornalha de fogo, Daniel na cova dos leões, Ester sem ser convidada entra na presença do Rei Assuero, para tratar da salvação do seu povo, nosso Senhor no Getsêmani, os apóstolos que segundo a tradição tiveram mortes cruéis, os nossos irmãos da igreja dos primeiros séculos, que muitas vezes não queriam o seu resgate por almejarem uma superior ressurreição. Hoje, aparece no cenário religioso, uma igreja presunçosa, orgulhosa, que sem nenhuma base bíblica não quer sofrer tribulações para provar a sua fé. É importante que alguém quando mencionou na postagem que o Espírito Santo não pode deixar a Igreja, pois isto é apostasia; na verdade não compreende as Escrituras, pois apostasia é o crente deixar o Espírito Santo. A Igreja do Senhor como corpo místico de Jesus, tem como modelo o seu próprio cabeça, Cristo, que sofreu todo tipo de humilhação e sofrimento.
    Passagens como Ap. 20:4,5 deixam claro que a primeira ressurreição, são para aqueles que não receberam a marca da besta; agora uma pergunta: existe arrebatamento sem ressurreição, se nós não precederemos os que dormem? A passagem de 2 Ts. 2:7, o que retém é o próprio Espírito Santo que irá passar a Igreja sob o teste da fé. Pois nós estamos na dispensação da Graça e do Espírito Santo. A de 2 Ts. 2:3 deixa claro que isso não acontecerá sem que antes se manifeste o homem do pecado o filho da perdição, e ele so sé revelará após os primeiros três anos e meio da grande tribulação, quando quebrar o pacto com Israel, é só olhar o que dizem os evangelhos sinóticos sobre a grande tribulação nos finais dos livros.
    Irmão Hugo, sempre fui tido como herético por pensar diferente, até dentro das Assembléias de Deus. Mas é importante que pessoas como você, e muitos outros, estão defendendo esta doutrina bíblica e preparando um povo que no momento estão não só enganados com esta heresia como despreparados quando se prontifica a ouvir estas verdades nos ensinos que ministramos.
    Um grande abraço, e a paz do Senhor Jesus Cristo.
    Pb. Silas

  20. Everton Ribeiro permalink
    26 de junho de 2012 16:57

    A melhor forma de nos policiarmos, é como Jesus disse simplificando os mandamentos…
    porque vendo essas atrocidades do mundo realmente nos iramos e clamamos por justiça…
    mas para quem crê, tudo isso deve acontecer para que seja confirmada as escrituras, mas devemos alertar os ímpios para que o sangue deles não seja cobrado em nossas mãos…
    e não podemos chegar ao pai senão pelo filho…
    e toda glória deve ser dita a Deus, mesmo que outros intercedam por você…
    mas digo os vivos, porque os mortos estão esperando a vinda do filho do homen…
    os mortos estão no vale de osso que Ezequiel viu…
    o povo de Israel, da terra prometida…
    Amém!

  21. Elizângela permalink
    23 de julho de 2012 23:14

    Boa noite irmãos,gostaria de salientar que o arrebatamento não tem nada a ver com a vinda de Jesus, pois a sua primeira vinda foi quando pelo Espirito Santo Maria concebeu Jesus em seu ventre, e a segunda vinda também chamada de segundo advento, sera quando Jesus retornar com a igreja para governar no milenio, o arrebatamento por sua vez acontece quando a ultima trombeta soar nos quatro cantos da terra então Cristo nos ares sem tocar na terra ira ressussitar primeiros os crentes mortos e apos ira arrebatar os crentes vivos,(I Ts 4.17) onde os mesmos serao transformados em corpos de luz nos ares,(ICo 15.52,54) lembrando que isso sera num abrir e fechar de olhos,(ICo15.52) como desvendar os mistérios de Deus para sua igreja,nem olhos viram nem ouvidos ouviram o que Deus tem preparado para aqueles que o amam(que o Temem) não me considero orgulhosa ao saber que não passarei pela grande tribulação e nem melhor que ninguém, o que vejo são pessoas que dizem conhecer e receber Jesus Cristo como unico e suficiente salvador, e permanecer numa vida de pecado, insubmissas, sem amor ao próximo,que vive uma vida de aparências buscando mais as coisas dessa terra do que as do Reino de Deus,se escarnecendo dizendo onde esta a promessa da vinda?(2Pe3.3,4),saibam amados que Jesus nos advertiu sobre os sinais dos tempos em que o amor de muitos se esfriariam, nação guerrearia contra nação, pai mataria filho e filho mataria pai,grandes terremotos aconteceriam, guerras e rumores de guerra, então os sinais estão ai mais ainda não é o fim,(2Ts 2.1-12).O que mais precisamos de ver e passar,prefiro crer que Jesus nos livrara antes que Deus derrame sua ira sobre a terra, pois Sua Palavra me garante isto.Agradeço a oportunidade em nome de Jesus,fiquem na paz.

  22. Cleber Gonçalves da Cunha permalink
    9 de agosto de 2012 17:30

    A paz do Senhor Jesus a todos,Deus tem me despertado num meio de pessoas que estão torcendo a palavra, ele abriu o meu entendimento e eu enxerguei .
    A vinda do Senhor é única,depois da Grande Tribulação.No livro de João capitulo 6 e vercículos39,40,44 e 54 Deus nos mostram que a ressurreição de todos os salvos, acontece no último dia,em 1 Tessalonicesses cap. 4 e vers.16 e 17, os resscitados e os vivos serão levados juntos a encontrar o Senhor Jesus nos ares.Como foi nos dias de Noé, ele e todos que estavam na arca ,ficaram salvos,os que ficaram de fora foram consumidos.Toda a igreja subirá junta.Os que não subirem serão mortos e ressucitados também no mesmo dia,pois também é dia do Juízo dos salvos e dos condenados João cap.5 vers. 28 e 29 e 2 Timóteo cap.4 e vers.1.Úl timo dia ,porque este céu e está terra será desfeita com fogo 2 Pedro cap.3 vers.7 e 10. O milênio não será aqui neste mundo,pois foi desfeito.A igreja estava material e foi transformada para espiritual.O Reinado de Cristo dá-se ínicio na sua vinda 2 Timóteo cap.4 vers.1,emJoão cap.14 e vers.2 e 3 nos mostram que o Senhor Jesus foi prepará lugar,virá outra vez e nos levará para ele,então vejo que não é nesta terra.Em Hebreus cap.11 e vers.14,15 e 16 a palavra nós monstram uma cidade celestial.

    Deus abencõe a todos que o amam,amém.

  23. Rilson permalink
    17 de agosto de 2012 18:17

    A Paz de Cristo aos amados! Sempre cri em 3 vindas de Jesus sem me aprofundar no assunto. Agora, percebo claramente que Ele se manifestará somente mais uma vez (João 14.3). Vejam que nesta passagem Ele diz: virei outra vez, no singular. Não diz “outras vezes”. Agora depois de compreender esta verdade do pós-tribulacionismo, meu entendimento se abriu para muitas outras coisas escritas na bíblia. Que Deus vos abençoe!

  24. Marcelo Amaro de Souza permalink
    27 de março de 2013 16:56

    Quanta falta de maturidade entre cristãos tão estudiosos da palavra de Deus. A adoção de qualquer dos posicionamentos, pré, meso ou pós tribulacionista, não faz de ninguém um herege, desde que qualquer pessoa creia que só há salvação em Jesus Cristo, pela graça e por meio da fé. Vamos parar com essa mania de chamar irmãos que tenham um posicionamento diferente do nosso de hereges, porque corremos o risco de estarmos cometendo injustiça, o que é pecado. Se a pessoa é Cristocêntrica, e aceita o sacrifício vicário de Jesus Cristo na cruz do calvário como única forma de salvação, tal pessoa é nosso irmão em cristo, quer seja ela pré-meso-ou pós tribulacionista. Portanto meus amados irmãos pré-meso ou pós tribulacionistas, mais amor , maturidade e menos julgamento, pois o amor é o dom supremo (I Cor.13). Fiquem na paz!

  25. 31 de março de 2013 15:26

    Marcelo, o texto acima faz somente uma exposição exegética. Em nenhum momento você leu nada que chame quem quer que seja de herege. Desculpe se você se sentiu atacado, mas o simples discordar, principalmente em temas como este, não significa atacar.

  26. Adir Ramos Magalhães permalink
    7 de fevereiro de 2014 22:06

    Marcelo Amaro de Souza,

    Prezado irmão Marcelo,

    Apreciei a sua forma de considerar o assunto, sinto mal quando vejo irmãos em Cristo que foram salvos pela graça, sem nenhum mérito próprio, abordar o assunto de escatologia de uma forma violenta, acusando aqueles que discordam das suas pesquisas como hereges. J.N.Darby e C.H.Spurgeon criam em posições diferentes sobre o assunto, assim como centenas ou milhares de dedicados servos do Senhor, diante dos quais, não somos dignos de do mesmo reconhecimento. Quem ousaria, na presença do Senhor Jesus, de chamar de hereje um destes homens? Um conhecimento histórico mais apurado deveria ser considerado antes de se fazer certas afirmações para que não transmitamos uma fofoca dos antepassados e não levemos as pessoas de hoje a se tornarem caluniadores dos servos do passado. Sou um estudante das Escrituras, a cada dia aprendo mais reconhecendo a sua profundidade, tenho aprendido a questionar as escolas teológicas e esperar que o Senhor com o tempo e experiência e maturidade me conduza às convicções necessárias. Se posso deixar um conselho aos outros: não mude de idéia da noite pro dia, não diga que estava enganado até ontem e hoje conhece a verdade, seja cauteloso, respeite a Bíblia, procure conhecer a história melhor, não aborde escatologia como um combate num ringue, somos irmãos. Nosso inimigo é Satanás.

    Um fraterno abraço!

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: