Skip to content

Hereges

2 de abril de 2014

Historicamente falando, “herege” é todo aquele que desafia o status quo. Os “hereges” são as pessoas mais felizes, mais apaixonadas, mais vibrantes, mais comprometidas e dedicadas, irrestivelmente atraídas por um alvo inalcançavel ou invisível a outros.

“Hereges” são os mais crentes em uma geração de incrédulos, os mais quentes em uma geração de mornos, os mais visionários em uma geração de míopes. “Hereges” são aqueles que clamam quando todos querem se calar, que correm quando todos querem dormir, que voam quando todos se arrastam e que ainda sonham quando todos se recusam a crer. “Hereges” são os que pregam as 95 teses nas portas das velhas catedrais, os que desafiam velhos paradigmas, o que irritam “reis” e “aristocratas” que engordam às custas do status quo.

“Hereges” são aqueles que transformam em boas novas as coisas boas que já haviam ficado velhas. São os chamados “obstinados”, “insubmissos”, “rebeldes”, “subversivos” e “dissidentes”, cuja consciência não está cativa às expectativas alheias, mas somente às expectativas de Deus. “Hereges” são os de braço forte, cujos calos e músculos se desenvolvem no remar contra a maré.

“Hereges” são o que dão à luz aquilo de que antes somente se ouvia falar, os que trazem cor, forma, cheiro e vida ao que estava limitado ao papel e ao mundo das idéias.

Sem profecia o povo se corrompe, e não há um só profeta que não tenha sido “herege”.

© Pão & Vinho

Este texto está sob a licença de Creative Commons e pode ser republicado, parcialmente ou na íntegra, desde que o conteúdo não seja alterado e a fonte seja devidamente citada: http://paoevinho.org.

Anúncios
One Comment
  1. Wanderlei permalink
    10 de abril de 2014 13:45

    Que bom que voltou a escrever irmão Hugo!

    Este artigo é a confirmação de algo que estava me corroendo a alma, Deus o sabe. E para mim, tem tudo a ver com a mensagem do Senhor Jesus que diz:

    “…Se chamaram Belzebu ao pai de família, quanto mais aos seus domésticos? Portanto, não os temais; porque nada há encoberto que não haja de revelar-se, nem oculto que não haja de saber-se. O que vos digo em trevas dizei-o em luz; e o que escutais ao ouvido pregai-o sobre os telhados”. Mateus 10:25-27.

    No Amor do Mestre, Graça e Paz!

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: