Skip to content

Ministra alemã propõe ‘Estados Unidos da Europa’ para superar a crise

28 de agosto de 2011

A ministra do Trabalho alemã, Úrsula von der Leyen, considera que a crise da zona do euro só pode ser superada desenvolvendo a união política do continente com a criação de um Estados Unidos da Europa. “Minha meta são os ‘Estados Unidos da Europa’, seguindo o exemplo de outros estados federais como a Suíça, Alemanha e EUA”, afirma em declarações à edição deste domingo (28) da revista “Der Spiegel”.

Úrsula também defendeu esta semana a exigência da Finlândia que os países que acudam o fundo do resgate do euro aprovem os créditos com suas reservas de ouro e figura entre os políticos destacados que discordam do discurso da chanceler federal, Angela Merkel.

“Uma união política permitiria unificar questões importantes em matéria de política financeira, impositiva e econômica, aproveitando as vantagens da grandeza da Europa, já que para enfrentar a concorrência global não é suficiente uma moeda comum”, disse.

Fonte: G1.

Anúncios

Ministra alemã propõe 'Estados Unidos da Europa' para superar a crise

28 de agosto de 2011

A ministra do Trabalho alemã, Úrsula von der Leyen, considera que a crise da zona do euro só pode ser superada desenvolvendo a união política do continente com a criação de um Estados Unidos da Europa. “Minha meta são os ‘Estados Unidos da Europa’, seguindo o exemplo de outros estados federais como a Suíça, Alemanha e EUA”, afirma em declarações à edição deste domingo (28) da revista “Der Spiegel”.

Úrsula também defendeu esta semana a exigência da Finlândia que os países que acudam o fundo do resgate do euro aprovem os créditos com suas reservas de ouro e figura entre os políticos destacados que discordam do discurso da chanceler federal, Angela Merkel.

“Uma união política permitiria unificar questões importantes em matéria de política financeira, impositiva e econômica, aproveitando as vantagens da grandeza da Europa, já que para enfrentar a concorrência global não é suficiente uma moeda comum”, disse.

Fonte: G1.

One Comment
  1. 29 de agosto de 2011 11:01

    A Paz do Senhor Jesus Cristo irmão Hugo e demais irmãos!

    Interessante esse comentário: “Uma união política permitiria unificar questões importantes em matéria de política financeira, impositiva e econômica, aproveitando as vantagens da grandeza da Europa, já que para enfrentar a concorrência global não é suficiente uma moeda comum”.

    O que ela disse foi que é necessária uma lei comum.

    “E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas, para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome. Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule o número da besta; porque é o número de um homem, e o seu número é seiscentos e sessenta e seis.” (Apocalipse 13:16-18)

    Se isso for verdade, cai por terra à possibilidade de a marca da besta ser uma moeda única, e sim uma marca que identifique as pessoas que farão parte do novo sistema.

    Fiquem todos na Paz de Jesus. Maranata!

    André M. dos Santos

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: