Skip to content

João Batista e seu movimento underground

24 de julho de 2011

Por Shane Claiborne:

O tumulto político na Palestina data de centenas de anos antes de Jesus, e sem entender um pouco dessa história fica fácil tratar Jesus como apenas uma figura icônica e não um ser humano real com ensinamentos e política para todos nós.

Herodes, O Grande , que eventualmente ganhou o título REI DOS JUDEUS, era um rei meio judeu que derramou sangue por toda terra através da escravidão, massacres e guerras. Ele não era muito querido, principalmente pelos judeus. Herodes matou seus próprios filhos. Após sua morte, os 3 filhos sobreviventes lutaram pelo trono, e o povo judeu novamente estava metido em uma bagunça real.

O Rei Antipas ( filho do Rei Herodes) acabou dispensando sua esposa e casando com a mulher de seu irmão. João Batista, primo de Jesus, tinha algumas coisas a falar sobre isso – as Escrituras registram a sua crítica sobre a ostentação de Herodes ( Mateus 14:3 a 5). João questionou todo estabelecimento e pessoas se ajuntavam a ele no deserto. João era o novo Êxodo. Ele convidava as pessoas dos centros da civilização pra virem ao deserto, às margens, para encontrar a Deus. Todos os sonhos de Roma foram feitos irrelevantes enquanto ele comia gafanhotos e fazia suas roupas com pele de camelo. E as pessoas não iam ao deserto apenas pra fugir do mundo, eles iam ao deserto para salvar o mundo.

Assim como os ancestrais de João no deserto que peregrinaram para fora das terras do Faraó, para essas pessoas as margens do império não eram apenas um meio, mas também o vórtex do Reino de Deus. Pessoas iam para o deserto para tirar Roma de dentro delas, purgando-se do Império e vendo o mundo despido da fabricação da civilização. Até os coletores de impostos e soldados, os ricos e os poderosos protetores do Império, deixavam os centros da civilização para encontrar Deus nas margens. E João pregava “arrependei-vos”, uma mensagem mais forte do que um neon pendurado na parede. Era um convite radical a repensar a maneira que vivemos. Pode ser traduzido por “mude sua mente”, “repense sua vida”, “pense em como você pensa”, ou “mude sua vida completamente”. Esse convite afeta tudo que somos e possuímos. Junto com esse convite ele disse aos que tinham dois casacos para compartilhar um com o estranho que sente frio.

As Escrituras dizem que Herodes queria matar João, mas tinha medo porque as pessoas o consideravam um profeta. João tinha um movimento underground e tanto de comedores de gafanhotos vestidos de pele de camelo e revolucionários no deserto. O historiador Josefo diz, “Herodes, que temia a grande influencia que João tinha sobre as pessoas, temia uma rebelião (pois as pessoas pareciam inclinadas a fazer qualquer coisa que ele dissesse) e achou melhor matá-lo para prevenir qualquer prejuízo que ele pudesse causar.

Fonte: Abrigo R15 via Solomon.
Tradução revisada por Pão & Vinho.

Anúncios
2 Comentários
  1. cristina permalink
    26 de julho de 2011 12:42

    Lindo texto, hoje não temos nenhum João no deserto … mas se procurarmos , certamente acharemos a Jesus , e esse está vivo, e seu espírito nos faz também o mesmo convite radical ,como o de João … arrependimento, mudança, e ainda mais do que João podia propor… Ele pode nos dar Vida e luz…

  2. ESdras permalink
    3 de agosto de 2011 9:59

    “JOão BAtista” está aí, no deserto, sendo a voz d Deus gritando: Arrependam-se, o Reino d DEus está perto! E isso, fora de dos muros d “JErusalém” a, q é controlada pelo império “romano”, a q tem nome, mas q está corrompida com o império! E, sim, muitos tem saido dela, vindo de todas as partes, todos os cantos, para ouvi-lo, e tem se voltado ao SEnhor! Saindo od arraial ao encontro de Jesus…fora desse arraial/acampamento! Ele tem sido Bom e Cheio de Misericórdia e graça!

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: