Skip to content

O Sangue

2 de maio de 2011

Por Watchman Nee:

O Sangue é para expiação e, em primeiro lugar, relaciona-se com a nossa posição diante de Deus. Precisamos de perdão dos nossos pecados cometidos para que não caiamos sob julgamento; e eles nos são perdoados, não porque Deus não os leva a sério, mas porque Ele vê o Sangue. O Sangue é, pois, primariamente, não para nós, mas para Deus. Se eu quero entender o valor do Sangue, devo aceitar a avaliação que Deus dele faz e, se eu não conhecer o valor que Deus dá ao Sangue, nunca saberei qual é o seu valor para mim. É só na medida em que me é dado conhecer, pelo Seu Espírito Santo, a estimativa que Deus faz do Sangue, que eu próprio aprendo o seu valor, e vejo quão precioso o Sangue realmente é para mim. Todavia, o seu primeiro aspecto é para Deus.

Através do Velho e do Novo Testamento, a palavra “sangue” é usada em conexão com a idéia da expiação, segundo creio, mais de cem vezes, e sempre, e em toda a Escritura algo que diz respeito a Deus. No calendário do Velho Testamento há um dia que tem grande significação quanto aos nossos pecados, o Dia da Expiação. Nada explica esta questão dos pecados tão claramente como a descrição daquele dia. Em Levítico 16 lemos que, no Dia da Expiação, o Sangue era tomado da oferta pelo pecado e trazido ao Lugar Santíssimo e ali espargiu sete vezes diante do Senhor. Devemos compreender isto muito bem. Naquele dia, a oferta pelo pecado era oferecida publicamente no pátio do Tabernáculo. Tudo estava ali à vista de todos, e por todos podia ser observado. Mas o Senhor ordenou que nenhum homem entrasse no Tabernáculo, a não ser o sumo sacerdote. Era somente ele que tomava o sangue,e, entrando no Lugar Santíssimo, o espargia ali para fazer a expiação perante o Senhor. Por quê? Porque o sumo sacerdote era um tipo do Senhor Jesus na Sua obra redentora (Hebreus 9.11- 12), e, assim, em figura, era o único que fazia este trabalho. Ninguém, exceto ele, podia mesmo aproximar-se da entrada. Além disso, havia relacionado com a sua entrada ali, um único ato: a apresentação do sangue a Deus como algo que Ele aceitara algo em que Ele Se satisfaria. Era uma transação entre o sumo sacerdote e Deus, no Santuário, fora da vista dos homens que se beneficiaram dela. O Senhor exigia-o.

O Sangue é, pois, em primeiro lugar, para Ele. Mas, anteriormente, encontramos descrito em Êxodo 12.13, o derramamento do sangue do cordeiro pascal, no Egito, para redenção de Israel. Este é, creio um dos melhores tipos, no Velho Testamento, da nossa redenção. O sangue foi posto na verga e nas ombreiras das portas, enquanto que a carne do cordeiro era comida no interior da casa; e Deus disse: “Vendo Eu sangue passarei por cima de vós”. Eis outra ilustração de o sangue não se destinar a ser apresentado ao homem, e, sim, a Deus, pois que o sangue era posto nas vergas e nas ombreiras das portas, de modo que os que se encontravam em festa dentro das casas não pudessem vê-lo.

Deus está satisfeito

É a santidade de Deus, a justiça de Deus, que exige que uma vida sem pecado seja dada em favor do homem. Há vida no Sangue, e aquele Sangue tem que ser derramado em favor de mim, pelos meus pecados. Deus requer que o Sangue seja apresentado com o fim de satisfazer a Sua própria justiça, e é Ele que diz: “Vendo eu sangue passarei por cima de vós”. O Sangue de Cristo satisfaz Deus inteiramente.

Talvez esteja errado; sinto, porém, com muita convicção, que há entre nós quem pense desta maneira: “Hoje fui um pouco mais cuidadoso; hoje procedi um pouco melhor; esta manhã, li a Palavra de Deus com mais fervor, de modo que hoje posso orar melhor”. Ou, então: “Hoje tive algumas pequenas dificuldades com a família; comecei o dia sentindo-me muito melancólico e deprimido; não me sinto muito animado agora; parece que algo não está bem; não posso, portanto, me aproximar de Deus”. Afinal de contas, qual é a base em que você se aproxima de Deus? Aproxima-se dEle na base incerta dos seus sentimentos, o sentimento de que hoje se realizou algo para Deus? Ou baseia-se a sua aproximação de Deus em algo muito mais seguro, ou seja, no Sangue derrama do no fato de que Deus olha para aquele Sangue e Se dá por satisfeito?

Fonte: A Vida Cristã Normal.

Anúncios
One Comment
  1. 3 de maio de 2011 16:14

    Esse texto é belissimo e inesquecivel. Lembro até hoje quando o li pela primeira vez e ao relê-lo aqui pude me lembrar. Glórias a Deus por sua fidelidade.

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: