Skip to content

Ordem no Caos

15 de março de 2011

Comportamento japonês em meio à tragédia surpreende o mundo.

Japoneses esperam várias horas em fila para receber comida em frente a supermercados. Na falta de combustível, as pessoas caminham várias horas para conseguir alimentos. Apesar de tudo isso, todos se mantêm calmos e cordiais.

Vizinhos compartilham entre si aquilo que têm. Ao contrário do Haiti e de Nova Orleans (EUA), não há notícias de tumultos ou saques. Ordem social se mantêm mesmo após a catástrofe que afligiu o país. Tudo isso se deve às profundas raízes de uma cultura que historicamente sempre enfatizou a ordem social. Laços familiares, respeito às hierarquias sociais e espírito solidário são importantes no Japão, ao contrário do individualismo ocidental.

“Não é que o japonês seja passivo ou naturalmente submisso. Há valores sociais que historicamente se desenvolveram. As pessoas praticam estes valores e funciona. Se esquecer alguma coisa no metrô, você a recuperará. Se alguém encontra algo, imediatamente leva ao “Achados e Perdidos” – diz Carol Gluck, professora de História Japonesa Moderna na Universidade de Columbia.

De acordo com Gluck, estes valores têm suas raízes em uma sociedade agricultural de mútua cooperação e no Confucionismo – uma filosofia chinesa que enfatiza a moralidade social e a solidariedade – em contraste com a prática do cristianismo ocidental que coloca mais ênfase na fé individual e em uma relação transcedental com Deus.

“Mas a resiliência japonesa tem limites” – esclarece William Bodiford, especialista em religiões japonesas da Universidade da Califórnia. “Se as autoridades não responderem ao caos de maneira efetiva, os laços de confiança que sustentam esta resiliência podem se romper.”

Reportagem Completa: ABC News. Tradução: Pão & Vinho.

Link indicado por @gondimricardo.

Anúncios

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: