Skip to content

Novo livro de Rob Bell incendeia debate sobre o inferno no Twitter

27 de fevereiro de 2011

O nome do pastor Rob Bell estava entre os 10 assuntos mais comentados no Twitter deste sábado. São os chamado TT ou Trending Topics, que servem para medir a popularidade de uma termo no microblog. Tudo por conta de uma crítica ao seu novo livro.

O teólogo Justin Taylor postou no blog The Gospel Coalition uma análise bastante negativa de Love Wins: Heaven, Hell, and the Fate of Every Person Who Ever Lived [O amor vence: céu, inferno e o destino de todas as pessoas que já viveram] que será lançado no final de março pela editora Harper One.

Bastou o pastor John Piper tuitar um enigmático “Adeus Rob Bell” com um link para o texto de Taylor para o debate começar.

Em pouco tempo, mais de 12.000 pessoas haviam “curtido” o post de Taylor no Facebook. O artigo foi comentado no blog mais de 650 vezes. Muitos defendiam Bell, enquanto outros o atacavam. O debate cresceu e, como é comum no Twitter, pessoas tuitavam sem parar, perguntando por que o pastor estava nos TTs, enquanto alguns defendiam Bell e outros defendiam Piper e Taylor. Sobrou até para o perfil @realRobBell, que pertence a um artista plástico inglês que não entendeu porque estavam falando tanto em seu nome e fazendo perguntas de algo que ele desconhecia.

“Eu nunca vi nada parecido com isso. A explosão de tráfego testemunha o poder dos blogs para o debate teológico de hoje em dia”, disse Collin Hansen, diretor editorial do Gospel Coalition. “Mas o grande interesse pelo assunto também nos lembra que estamos lidando com vida e morte, questões de importância eterna.”

http://vimeo.com/moogaloop.swf?clip_id=20424961&server=vimeo.com&show_title=1&show_byline=1&show_portrait=1&color=ff9933&fullscreen=1&autoplay=0&loop=0

O teólogo Scot McKnight minimizou o caso: ”Ainda não vi nada parecido. A rapidez das redes sociais fizeram essa questão ser muito debatida… hoje. Daqui a uma semana tudo será passado… Mas preciso esperar e ver o que Rob Bell escreveu neste livro para então formular uma opinião… É lamentável que alguém da envergadura de John Piper tenha escrito uma mensagem pública de desaprovação… ele deveria ter ligado ou escrito uma carta pessoal…”

Com toda a atenção que Taylor recebeu, acabou reescrevendo parte do post devido às acusações de críticas excessivas a Bell e por tê-lo julgado publicamente. Assim, o teólogo preferiu eliminar a citação que encerrava a postagem: 2 Coríntios 14:15, que fala sobre Satanás tomar a aparência de um anjo de luz. Mas o tom crítico permaneceu. Em seu texto, Taylor afirma:

“É indescritivelmente triste quando os que são chamados para serem ministros da Palavra pervertem o evangelho e enganam o povo de Deus com falsas doutrinas. Mas é melhor para os que ensinam falsas doutrinas colocarem suas cartas na mesa (como faz Brian McLaren) ao invés de usar uma terminologia cuidadosamente ambígua.

Fico feliz que Rob Bell tenha a integridade de colocar suas cartas na mesa ao falar sobre o universalismo. Parece que não se trata de otimismo quanto ao destino daqueles que não ouviram as Boas Novas, mas parece ser um universalismo escancarado, onde o inferno está vazio e todos se salvarão”.

Estranhamente, Taylor admitiu não ter lido todo o livro, apenas alguns capítulos a que teve acesso. Contudo, ele afirma que viu o bastante no vídeo de lançamento produzido pela editora, onde Bell afirma que ninguém pode dizer com certeza quem está ou não está no inferno.

O argumento-base de Rob Bell, que dá título ao livro, é que o amor vencerá no final. O release da editora explica que em seu livro novo “Bell aborda um dos temas mais controversos da fé: a vida após a morte. Ele argumenta que um Deus amoroso nunca condenaria almas humanas ao sofrimento eterno. Com sua percepção aguçada, Bell coloca o inferno em julgamento. Sua mensagem é, decididamente, que a vida eterna não começa quando morremos, começa agora. E, no final, o amor vence.”

Para os seus críticos, essa parece ser uma “confissão” de que Rob Bell está se afastando de um dos alicerces da fé cristã contida na Bíblia: a salvação apenas daqueles que creem em Jesus.

A conceituada revista Christianity Today rapidamente abordou o debate em sua edição online. A colunista Sarah Pulliam Bailey menciona que nenhuma das outras resenhas disponíveis, assinadas por Denny Burk, Alex Chadiak, ou Kevin DeYoung foram tão contudentes.

Antes de seu lançamento, muitos cristãos já estão falando sobre o livro de Bell. O que certamente garantirá vendas elevadas. Dada a influência que ele possui sobre um grande número de jovens evangélicos, é de se esperar que o debate chegue rapidamente às igrejas. Julgando pelos milhares de tuites que o assunto já gerou (pró e contra) nos últimos dias, não será surpresa se voltar outras vezes aos TTs.

Fonte: Pavablog.
Título original: Novo livro de Rob Bell  faz o Twitter discutir teologia e chega ao TT mundial.

Ver também:
Brian McLaren questiona as doutrinas do inferno e da expiação (video legendado em português).
Piper: Igreja Emergente – apostasia da burguesia branca, estará morta em 1o anos (video e texto em português).
Uma análise exegética de LOVE WINS de Rob Bell por Kevin DeYoung.

Demagogia à parte, este vídeo é somente mais uma confirmação de que Bell adotou uma postura universalista quanto à salvação. Além de dinheiro no bolso de Bell, o novo livro somente acrescentará mais poesia , mas não conteúdo ao assunto. Não creio que Taylor tenha se equivocado em sua análise. Piper tampouco tem a obrigação de ser “politicamente correto”  para falar de algo que já está mais do que óbvio nas literaturas anteriores destes mesmos autores. Portanto, não é necessário que fiquemos com pudores e meios termos ao dizer aquilo que pensamos, como se este livro fosse revelar algo que já não sabemos a respeito da soteriologia de Bell.

Anúncios
12 Comentários
  1. cristina permalink
    27 de fevereiro de 2011 14:52

    OLÁ HUGO, NOSSA QUE TREMENDA POLÊMICA, EU NÃO CONHEÇO NEM BELL, NEM TAYLOR, NEM PIPER, MAS CONHEÇO A JESUS DE NAZARÉ , UM HUMILDE FILHO DE CARPINTEIRO, QUE SE TORNOU O CRISTO , ESSE MORREU POR MIM E POR AQUELES QUE NELE CREEM, NÃO MORREU EM VÃO , DUVIDAR QUE A VIDA ETERNA É A NOSSA SALVAÇÃO EM CRISTO SERIA ANULAR A CRUZ NO CALVÁRIO, EU VEJO ASSIM. NÃO SEI NADA DE TEOLOGIA, O POUCO QUE EU SEI VEM DA BÍBLIA E ALGUNS LIVROS QUE LI. ENTÃO NÃO HAVERIA DE TER JULGAMENTO? E A NOIVA DO CORDEIRO? FARIA SENTIDO UM DEUS AMOROSO NÃO CONDENAR ALMAS HUMANAS AO SOFRIMENTO ETERNO, FARIA SIM … SERÁ QUE É ISSO QUE DEUS QUER ? CONDENAR ? SABEMOS BEM QUE NÃO É ISSO QUE ELE QUER, O QUE IMPORTA PARA ELE É QUE TODOS CHEGUEM AO ARREPENDIMENTO E ASSIM A VIDA ETERNA… HUGO QUE TEMPOS DIFÍCEIS … E IRÃO FICAR PIOR AINDA, SABEMOS QUE MUITOS SÃO OS QUE DEIXARÃO A SÃ DOUTRINA, E NÓS OREMOS , OREMOS , PARA ASSIM GUARDAR A FÉ , E COMO DISSE APÓSTOLO PAULO TERMINAR A CARREIRA GUARDANDO A FÉ… ABRAÇOS.

  2. 27 de fevereiro de 2011 18:21

    O universalismo realmente seduz não é? Eu realmente estou esperando a argumentação de Bell sobre isto – quem sabe ele trará algo de novo que não vemos desde a Escolástica.

    Quanto a ser bíblico ou não, me abstenho de falar qualquer coisa. Reconheço a integridade lógico-epistemológica das duas correntes (representadas por Piper e Bell), e é só.

  3. rene carpintero permalink
    28 de fevereiro de 2011 1:53

    é incrivel como temos medo de pensar, de questionar o que esta estabelecido,rob bell apenas esta pensando, qual o problema?
    Em vez de criticamos com nojento preconceito , vamos ler e analizar o que rob esta escrevendo, depois sim, sem preconceito algum daremos nossa opinião.

  4. Bill permalink
    28 de fevereiro de 2011 12:46

    Fico com o pesnsamento da Cristina, é isto ai Cristina DEUS já te deo o don.

  5. 28 de fevereiro de 2011 20:37

    @rene carpintero: Não duvido da sinceridade de Bell em fazer tais questionamentos, mas tanto ele quanto seus “fãs” devem saber lidar com as críticas de maneira mais realista. Nada do que Bell venha a trazer sobre a mesa sobre este assunto é novo, apesar de seus “fãs” pensarem que sim. Todos os argumentos de Bell, McLaren e Cia Ltda já foram respondidos pela apologia clássica. Eles não são os primeiros e sob o sol, nada há de novo.

    Portanto, não se trata de preconceito e sim de “pós-conceito”, embasado na História da Igreja. Isso sem contar que a literatura anterior de Bell já pende ao universalismo, com suas dúbias insinuações, e o vídeo que já deixa muito claro aquilo que o autor pensa. Penso que o mais decente é sair do armário de uma vez e lidar com a crítica sem ficar “dodói.”

  6. Adriana Helena permalink
    28 de fevereiro de 2011 21:46

    Não importa o que achamos e sim, o que está escrito na Bíblia: todos os homens são pecadores e merecem a morte, mas Deus, na sua infinita misericórdia e por amor, resolveu salvar alguns.
    Todos somos pecadores: “Que se conclui? Temos nós qualquer vantagem? Não, de forma nenhuma; pois já temos demonstrado que todos, tanto judeus como gregos, estão debaixo do pecado; ” Rm. 3. 9.
    “Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram.” Rm. 5.12.
    Deus vai manifestar a sua ira: “Mas, se a nossa injustiça traz a lume justiça de Deus, que diremos? Porventura, será Deus injusto por aplicar a sua ira? Cero que não. Do contrário, como julgará Deus o mundo?” Rm. 3. 5,6.
    Deus é soberano!
    “Que diremos, pois? Há injustiça da parte de Deus? De modo nenhum! Pois ele diz a Moisés: Terei misericórdia de quem me aprouver ter misericórdis e compadecer-me-ei de quem me aprouver ter compaixão. Assim, pois, não depende de quem quer ou de quem corre, mas de usar Deus a sua misericórdia.” Rm 9.14-16.
    “Ou não tem o oleiro direito sobre a massa, para do mesmo barro fazer um vaso para honra e outro, para desonra?” Rm. 9. 21.

  7. 1 de março de 2011 19:04

    BOM, CREIO QUE OS 2 LADOS ESTÃO UM POUCO EQUIVOCADOS, MAS DEVEMOS LEMBRAR QUE QUANDO SE FALA DE “INFERNO” NAS ESCRITURAS SEMPRE SE COLOCA UM TEMPO PARA TAL, AS ESCRITURAS NOS DIAS QUE O “INFERNO” VAI SER LANÇADO NO LAGO DE FOGO.AP-20,14. O GRANDE PROBLEMA QUE VEJO HOJE QUANDO SE FALA DE INFERNO, SALVAÇÃO, CONDENADOS, NOS PRECIPITAMOS AO FALAR QUE UM SER HUMANO CRIADO POR DEUS SERÁ CONDENADO PARA “ETERNIDADE”, COMO VEMOS A ETERNIDADE DE DEUS NÃO É COMO A NOSSA, ELA TEM UM CERTO TEMPO PARA ACABAR, NA BÍBLIA DEUS NOS FALA QUE JÁ TEVE UMA ETERNIDADE (ETERNIDADE PASSADA), ENTÃO COMO VAMOS DIZER QUE UMA PESSOA SERÁ CONDENADA PARA “SEMPRE” SENDO QUE ATÉ A ETERNIDADE DE DEUS TEM UM “CERTO FIM”. SO ACHO QUE É MUITO PRETENSÃO DE UM SER ACHAR QUE SABE QUEM ESTA ESCRITO NO LIVRO FICAR APONTADO QUEM É SALVO OU QUEM É CONDENADO, ESSE PODER APENAS O CORDEIRO TEM.
    ELE É O ÚNICO DIGNO DE DESATAR OS SELOS.

    MAS FICO COM A FRASE FINAL DE BELL: O AMOR VENCERÁ NO FINAL..

    (MAS COMO ESTA ESCRITO:TUA MISERICÓRDIA ULTRAPASSA TUA JUSTIÇA.

  8. Erisvaldo permalink
    2 de março de 2011 12:03

    Eu gostaria de saber do Leandro, onde que está escrito: “Tua misericórdia ultrapassa tua justiça”, é na Bíblia?

  9. 2 de março de 2011 16:31

    OLÁ ERISVALDO, VOU TENTAR TIRAR TUA DUVIDA NO SALMO98 VERSÍCULO 14 NOS DIZ:
    (Justiça e juízo são a base do teu trono; misericórdia e verdade irão adiante do teu rosto.)
    ESSA NOSSA TRADUÇÃO ESTA UM POUCO EQUIVOCADA, POIS NO ORIGINAL HEBRAICO É MELHOR TRADUÇÃO PARA O PORTUGUÊS FICARIA ASSIM:
    (O PILAR DO TEU TRONO É JUSTIÇA E JUÍZO, MAS TUA INFINITA MISERICÓRDIA OS ULTRAPASSA E ESTÃO DIANTE DE TUA FACE) ESPERO QUE TENHA AJUDADO..POIS TRADUZIR PARA O PORTUGUÊS TOTALMENTE FICARIA SEM SENTIDO A FRASE, MAS
    A BASE DESSE SALMO É QUE A MISERICÓRDIA DO SENHOR(GRAÇA) ESTA ACIMA DE TUA JUSTIÇA..(TRADUÇÃO-Rabino Menachem Mendel Schneerson)
    MAS ISSO ESTA EXPLICITO EM TODA A BÍBLIA NÃO NECESSITAMOS DE ORIGINAIS, SABEMOS QUE A GRAÇA DELE ULTRAPASSA TODA E QUALQUER JUSTIÇA.

    UM GRANDE ABRAÇO…

    SHALOM

  10. rene permalink
    7 de setembro de 2011 0:22

    Leandro, talvez no tocante a colocar a misericórdia como sinônimo de graça, creio eu que vc esteja equivocado, pois pelo que eu entendo miséricórdia seria algo que merecemos e que Deus não nos imputa, e graça seria (creio eu) algo que não merecemos e que Deus nos Dá.

  11. Wilson Cohen permalink
    24 de dezembro de 2011 16:27

    Adriana Helena você deveria ter ido até o verso 18, onde está escrito o seguinte:

    Rm 5.18 Pois assim como, por uma só ofensa, veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também, por um só ato de justiça, veio a graça sobre todos os homens para a justificação que dá vida.

    Vejo esse versículo mais coerente com a obra de Cristo.
    1 por todos e todos por 1!

Trackbacks

  1. Aprenda Rob Bell: Deus bonzinho é Deus inócuo, supérfluo e dispensável at Desafiando Limites e Vencendo Barreiras

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: