Skip to content

Pastores ateus perdem a fé … mas não o salário

15 de novembro de 2010

Dois ministros americanos admitem que não creem mais em Deus, apesar de continuarem pastoreando suas igrejas. A razão para continuarem no ministério: segurança financeira.

“Eu sou ateu”, diz ’Jack’, um pastor afiliado à Convenção Batista do Sul, com mais de 20 anos de ministério. ”Vivo minha vida como se Deus não existe”, diz ‘Adam’, que faz parte da equipe pastoral de uma pequena igreja em um dos estados mais religiosos dos EUA. Os dois, que pediram para terem suas identidades protegidas, são pastores que perderam a fé. Ambos construíram suas vidas e carreiras ao redor da fé, mas agora dizem sentir-se encurralados, vivendo uma mentira.

“Passei a maior parte da minha vida acreditando e buscando essa fé religiosa chamada cristianismo. Ao chegar a este ponto de minha vida, simplesmente não sinto mais que posso crer nele. Quanto mais eu lia a Bíblia, mais perguntas eu tinha. Quanto mais as coisas que ela afirma não faziam sentido para mim, mais dificuldade eu tinha.”, afirma Jack.

O pastor Jack disse que há dez anos começou a sentir sua fé se esvair. Ficou incomodado com as inconsistências no relato dos últimos dias da vida de Jesus, a improbabilidade de histórias como a “Arca de Noé” e as ideias expressas na Bíblia sobre as mulheres e seu lugar no mundo.

“Ler a Bíblia foi o que me levou a não crer mais em Deus”, conclui. Ele diz ainda que era difícil continuar trabalhando no ministério. “Comecei a olhar para isso como apenas uma atividade profissional e faço o que tem de ser feito”, disse. “Venho fazendo isso há anos.”

Adam disse que suas dúvidas iniciais sobre Deus vieram ao ler o trabalho dos chamados neoateístas – autores populares como o cientista Richard Dawkins. Ele disse que seu objetivo era fazer uma pesquisa para ajudá-lo a defender sua fé.

“Pensava que Deus fosse grande o suficiente para lidar com todas as perguntas que eu pudesse ter”, afirma. Mas não foi isso que aconteceu. ”Percebi que tudo que me ensinaram a acreditar era uma espécie de abrigo seguro. Eu nunca realmente me interessei pelo ensino secular ou por outras filosofias… Eu pensava, ‘Ó, meu Deus. Estou crendo nas coisas erradas? Será que passei toda minha vida e ministério pregando algo que não é verdade?’”, relata Adam.

Ele disse que temia pela salvação de sua alma. “No momento que sentia estar perdendo a fé, mas ainda temia por minha salvação, pedi a Deus que tirasse minha vida antes que eu perdesse totalmente a fé”, lembra Adam. O pastor agora se considera um ‘agnóstico ateísta’. “Não acho que podemos provar que Deus existe nem que ele não existe”, disse. “Vivo a minha vida como se Deus não existisse.”

Ele e Jack dizem que quando pregam aos fiéis, tentam ater-se às porções da Bíblia que ainda acreditam – as que ensinam como ser uma pessoa boa. Ambos disseram que gostariam de abandonar seu ministério, mas não têm condições.

“Quero sair da situação que estou o mais rápido possível, porque tento ser uma pessoa de integridade e caráter”, disse Adam. “Com a economia do jeito que está, minha falta de capacitação para o mercado e apenas com o diploma do seminário, fico em uma posição difícil.”

Revelar o ateísmo secreto ‘será devastador’

Jack disse que seu segredo o faz sentir isolado e que certamente perderia um monte de amigos se admitisse que deixou de ser cristão. Sua esposa não sabe e ele acredita que possivelmente iria perdê-la também. ”Será algo muito confuso para ela”, disse Jack. “Será muito devastador e vai levar algum tempo para trabalharmos essa questão.”

Adam disse que sua esposa sabia de sua crise de fé, mas não que ele a perdera completamente. “É uma situação muito difícil. Não consigo pensar em outra carreira que seja tão drasticamente afetada por uma mudança de opiniões ou ideias”, disse ele.

“No começo, tive medo que, se perdesse minha fé, me tornaria uma pessoa horrível“, disse Adam. “Desde que perdi a fé percebi que ela realmente não tinha influência sobre quem eu sou, meu caráter e minhas ações. Não vivo de maneira diferente do que vivia quando era um crente fervoroso.”

Título original: Pastores ateus continuam liderando suas igrejas.
Fonte: ABC News via PavablogTradução e edição: Jarbas Aragão.

Adam e Jack foram primeiramente entrevistados por Daniel Dennett – filósofo, ateu professo e professor na Tufts University. Ele e sua assistente Linda LaScola continuam suas buscas por mais clérigos ateus nos EUA. A ABC News esclarece em sua página web que sua equipe contactou os dois pastores por meio de Dennett e LaScola e, após verificar suas identidades, entrevistou-os separadamente e publicou a notícia acima.

Anúncios
8 Comentários
  1. cristina permalink
    18 de novembro de 2010 9:31

    POSSO IMAGINAR QUANTOS QUE HOJE OCUPAM CARGOS EM GRANDES E PEQUENOS MINISTÉRIOS VIVAM A MESMA REALIDADE QUE VIVEM ESSES DOIS “PASTORES” AMERICANOS, ACHO QUE TODOS NÓS CRISTÃOS UM DIA JÁ NOS ENCONTRAMOS PERDIDOS NA LEITURA DA BÍBLIA, A UNICA DIFERENÇA TALVEZ SEJA EM AMOR , E PARA ESSE AMOR NÃO HÁ EXPLICAÇÃO , EU ATÉ PODERIA CITAR INÚMERAS PASSAGENS , VERSÍCULOS BÍBLICOS PARA DESCREVER O QUE EU ACHO DA SITUAÇÃO QUE SE ENCONTRAM ESSES DOIS “PASTORES”, MAS FAÇO QUESTÃO DE DEIXAR AQUI MEU QUERIDO AMIGO HUGO , MEU PESAR POR ESSAS DUAS VIDAS , E POR OUTRAS TANTAS QUE ELES “PASTOREIAM”… OREMOS POR ESSAS VIDAS …

  2. Antonio permalink
    22 de novembro de 2010 11:10

    Eu me identifico muito com a história desses dois pastores, mas com uma pequena (grande) diferença. Sou cristão a 15 anos e pastor ordenado a 19 anos. E, hoje, há vários pontos fundamentais da fé cristã que eu não consigo mais acreditar… Por exemplo: Não creio mais na literalidade dos relatos de gênesis que falam da criação até a torre de babel; Não acredito que os que rejeitarem a Deus seram lançados num lago de fogo para sofrerem eternamente sem chance de perdão ou aniquilação; Não creio que Deus saiba o exato futuro a exaustão e nos mínimos detalhes de pessoas dotadas de livre-arbítrio; Não sei o que quer dizer a expressão “Deus sempre exixtiu” ou o que isso significa; Não aceito, de forma alguma, a idéia de predestinação; Não acho que a bíblia é a palavra de Deus de capa a capa, mas acho que pessoas foram inspiradas por Deus em suas idéias e as colocaram nas escrituras da melhor forma que conseguiram dentro de suas limitações; vejo claramente e irrefutavelmente erros e contradições nos textos bilbicos e entendo que muitos mandamentos ou padrões serviram para época em que foram excritos mas que não se aplicam hoje. Tudo isso me leva a olhar para as escrituras com reservas e descrença. Mas não sou Ateu.
    Me considero um ‘agnóstico místico’. “Não acho que podemos provar que Deus existe nem que ele não existe” mas, apesar disso, podemos ter experiências com Deus, ver manifestações Dele em nossa vida e tercomunhão com Ele. Tenho tido muitas destas experiências com Deus e caminhado com Ele. Você deve perguntar então: – Afinal como fica a sua fé em meio a essas contradições? Bom, Eu procuro me humilhar para admitir que eu não sou Deus e não sei de tudo, não tenho certeza de muitas coisas, não posso afirmar muitas coisas também mas tenho caminhado com Ele e sei que Ele tem se revelado a mim dia a dia em certa porção que consigo compreender e experimentar.
    Agora conhecemos em parte mas depois nos veremos face a face!

  3. 25 de novembro de 2010 15:07

    olá, Hugo, apz.

    eu escrevi um post sobre o tema, embora sob outro prisma:

    Os piores ateus estão na igreja

    http://wallysou.com/2010/11/17/o-piores-ateus-estao-na-igreja/

    parabéns pelo blog,e convido-o a conhecer o meu.

    gde abço.

    wally.

  4. fabio pimentel permalink
    30 de novembro de 2010 7:58

    @Antonio:
    amado irmão antonio, tenho certeza da sua busca pela verdade e por um ponto direcionador da sua fé, existem questões na bíblia que de fato são de difícil interpretação, porém a aceitação de suas palavras é uma questão de fé, pois principalmente em gênesis e êxodo nós encontramos as leis da natureza como a conhecemos hoje serem drasticamente desafiadas, no entanto a própria ciência, movida principalmente pela pá dos arqueólogos autentica e amplia a confiabilidade da palavra de Deus, os seus questionamentos devem ser resolvidos o mais rápido possível, pois vejo que suas principais dúvidas colocam os atibutos de Deus( onipresença, onisciência e onipotência) em desconfiança, lembre-se que onde as respostas científicas não lhe satisfazem, as respostas do espírito de Deus reforçam a nossa aliança com o Senhor e alicerçam a nossa fé, como você mesmo diz: Agora conhecemos em parte mas depois o veremos face a face!
    não permita que as dúvidas lhe furtem o privilégio deste encontro. a paz do Senhor.

  5. fabio pimentel permalink
    30 de novembro de 2010 8:06

    triste ver que após tantos anos ” servindo ao Senhor” estes pastores ainda não tiveram um encontro pessoal com Jesus, esta história nos prova que se estivermos com sede não basta apenas entrar dentro da água, é preciso beber um copo dela para que ela entre dentro de você e sacie a sua sede, o mais triste é que muitas pessoas se encontram exatamente da mesma maneira destes irmãos, que Deus possa lhes proporcionar um verdadeiro encontro com o Senhor Jesus, a fim de que suas estruturas possam ser de fato moldadas pelo Senhor.

  6. 22 de dezembro de 2010 18:57

    “Me sinto bem quando duvido, me sinto mal quando acredito sem pensar”…(Catedral)…

  7. 26 de dezembro de 2010 0:02

    Olá Hugo, graça e paz. Saudades de ler e comentar aqui no Pao e Vinho.

    Perder a fé é algo tão difícil, porque até para se declarar ateu é necessário uma certa dose de fé. Mas ouso dizer que o problema dos citados está na profissão que exercem: pastores profissionais, contratados, como fui. Isto rouba nossa fé mesmo.

    Outra coisa é a frase: construí minha fé em torno do ministério. Não em um relacionamento sincero com Deus, quebrantado.

    Que o Deus de paz alcance o coração destes homens.

    Graça e paz. Marcus

  8. 26 de dezembro de 2010 0:07

    Bom lê-lo novamente, Marcus.

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: