Skip to content

Pastores Voadores

20 de março de 2010

Desafiando a crise, líderes evangélicos brasileiros investem na compra de aviões particulares.

Dizem que um homem pode ser medido pela grandiosidade dos seus sonhos. Se é mesmo assim, um seleto grupo de ministros do Evangelho anda sonhando alto – literalmente. Desde o ano passado, diversos pastores brasileiros andam cruzando os céus em aviões próprios, um luxo antes somente reservado a altos executivos, atletas milionários e sheiks do petróleo. A justificativa para as aquisições, algumas na faixa das dezenas de milhões de dólares, é quase sempre a mesma: a necessidade de maior autonomia e disponibilidade para realizar a obra de Deus, o que, no caso dos grandes líderes, demanda constantes deslocamentos pelo país e exterior a fim de dar conta de pregações e participações em palestras e eventos de todo tipo. Eles realmente estão voando alto.

O empresário e bispo Edir Macedo, dirigente da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd) tem feito a ponte aérea Brasil – Estados Unidos a bordo de um confortável Global Express, avaliado no mercado aeronáutico por US$ 50 milhões (cerca de R$ 85 milhões). Para comparar, o preço é semelhante ao do Rafale, o caça-bombardeiro francês que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sonha comprar para as Forças Armadas brasileiras. Equipado com sala de estar, dois banheiros, minibar e lavabo, além de um confortável sofá, o jato permite deslocamentos dos mais confortáveis até os EUA, onde Macedo mantém residência, e tem autonomia suficiente para levá-lo à Europa ou à África. O Global, adquirido em setembro numa troca por um modelo mais antigo, veio juntar-se à frota da Alliance Jet, empresa integrada ao grupo Universal e que já possuía um Falcon 2000 e um Citation X, juntos avaliados em 40 milhões de dólares.

Edir Macedo justifica o uso de aviões particulares dizendo que precisa levar a Palavra de Deus pelas nações onde a igreja atua, que já são mais de 120, e também para evitar transtornos aos passageiros dos aviões comerciais, pois sua pessoa costuma atrair muita atenção da mídia. Pode haver também outros motivos. Foi em voos particulares que a Polícia Federal descobriu, em 2005, que deputados e empresários ligados à Iurd transportavam dinheiro em espécie, no episódio que ficou conhecido como o caso das malas. Os valores, explicou a igreja na época, teriam sido arrecadados nos cultos e eram transportados dessa maneira por questão de segurança e praticidade até São Paulo e Rio de Janeiro, onde a denominação tem sua administração.

Já o missionário R.R.Soares, mais discreto que o cunhado Macedo, não fez alarde da aquisição do turboélice King Air 350, em novembro, fato noticiado pela revista Veja.. Avaliado em cerca de R$ 9 milhões, a aeronave transporta oito passageiros. Como tem uma agenda das mais apertadas, Soares viaja praticamente toda semana pelos mais de mil templos que sua Igreja Internacional da Graça de Deus tem no país, além de realizar cruzadas e gravar programas diários para a TV. Ele realmente tem pensado alto: a igreja também mantém parceria com a empresa de aviação Ocean Air, através da qual um percentual sobre cada passagem comprada por um membro da Graça reverte para a denominação.

“Conquista” – O que chama a atenção no aeroclube dos pastores são as justificativas espirituais para a compra das aeronaves. Renê Terra Nova, apóstolo do Ministério Internacional da Restauração em Manaus (AM) e um dos grandes divulgadores do movimento G12 no Brasil, conta que o seu Falcon é fruto de profecias de grandes homens de Deus como o pastor e conferencista americano Mike Murdock. Em abril de 2009, durante um evento em que ambos estavam, Murdock incentivou uma campanha de doações a fim de que Terra Nova pudesse realizar seu “sonho”. Após chamar Terra Nova à frente, ele mesmo anunciou que ofertaria R$ 10 mil reais, atitude logo seguida por dezenas de pessoas. O avião foi comprado em julho. Dizendo-se “constrangido” com a atitude, Terra Nova admitiu que aquele era seu desejo e que se submetia ao que considerava a vontade de Deus. “O Senhor é testemunha que este avião não é para vaidade, mas para estimular que outros ministérios a que também tenham aviões e, juntos, possamos voar para as nações da terra, pregando o evangelho de Jesus. Assim está estabelecido”, diz o líder em seu site.

“Conquista” e “resultado da fé” também foram as expressões usadas pelo pastor Samuel Câmara, da Assembleia de Deus de São José dos Campos (SP), para comemorar a compra de seu King Air C90, de quatro lugares. O religioso, que durante anos liderou a Assembleia de Deus em Belém (PA) – onde montou a Rede Boas Novas, conglomerado de rádio e TV que cobre vinte estados brasileiros –, se diz muito grato a Deus pela bênção, avaliada em R$ 8,5 milhões. Ele espera juntar-se a outros líderes para montar “uma esquadrilha de aviões para tocar o mundo todo”. Ano passado, Câmara também esteve no noticiário pelas denúncias que fez contra supostas irregularidades nas eleições para a presidência da Convenção Geral das Assembleias de Deus (CGADB).

Mas a aquisição aérea que mais chamou a atenção, dentro e fora do meio evangélico, foi concretizada pelo famoso pastor e apresentador de TV Silas Malafaia, da Assembleia de Deus da Penha, no Rio. Possuir uma aeronave própria era um objetivo anunciado pelo líder já há algum tempo, inclusive em seu programa Vitória em Cristo, um dos campeões de audiência na telinha evangélica. Além dos insistentes pedidos por ofertas para manter-se no ar, Malafaia constantemente tocava no assunto avião em suas falas. O empurrão que faltava foi dado pelo pastor americano Morris Cerullo, outro profeta da prosperidade proprietário de um luxuoso Gulstream G4. Num dos programas, levado ao ar em agosto, Cerullo admoestou os telespectadores a desafiar a crise global e participar de uma campanha de doações ao colega brasileiro – um chamado “desafio profético”, no valor de 900 reais, estipulado graças a uma curiosa aritmética que associava a cifra ao ano de 2009.

Aparentemente surpreso, Silas Malafaia assentiu com o pedido. Não se sabe quanto foi arrecadado a partir dali, mas o fato é que em dezembro o pastor anunciou que o negócio foi fechado por cerca de US$ 12 milhões, cerca de 19 milhões de reais. Trata-se de um jato executivo modelo Cessna com pouco uso. Um “negócio espetacular”, na descrição do próprio. Bastante combatido pela maneira ostensiva com que pede ofertas para seu ministério, o pastor Malafaia, que dirige também a Editora Central Gospel, recorre à consagrada oratória para se defender: “Quem critica não faz nada. Você conhece alguma coisa que algum crítico construiu? Crítico é um recalcado com o sucesso da obra alheia.”

Fonte: Cristianismo Hoje.

Anúncios
12 Comentários
  1. Eugênio Morais permalink
    20 de março de 2010 10:54

    Quão diferente são eles da Pessoa de quem alegam representar! Aliás, Jesus no discurso deles, é claramente um meio, uma escada, uma franquia!
    Na época de Cristo o mais luxuoso “carro” era a carruagem rica e luxuosamente ornamentada, e que Cristo preferiu um jumentinho emprestado, é claro!
    A situação do mundo “gospel” é um escândalo que me dá vontade de vomitar de tanta agonia e vergonha!

  2. Luciano Martins permalink
    22 de março de 2010 11:30

    Nossa.

    Apesar de saber disso tudo, ao ler uma matéria desssas, me dá ´náuseas também.

    Dá um nó na garganta.

    Só de lembrar do Silas vociferando no púlpito, e acochando e oprimindo com sua boa retórica, me dá vontade de chorar.

    Gente, que cambada tranvestida de ministros do evangelho é essa?

    Hugo, qual é a nossa postura, qual a atitude que devemos tomar?

    Temos que denunciar, temos que silenciar, o que fazer?

    Caramba, confesso que isso mexe comigo, eu fico fulo da vida, com estas maracutaias evangélicas.

  3. Hugo permalink*
    23 de março de 2010 0:38

    Luciano,

    Não há mais o que denunciar. Agora é só observar:

    “Não faça nada. Se você quiser eliminar um sistema fundalmentalmente comprometido, tudo o que deve fazer é sair do seu caminho, e ele se auto-destruirá. A natureza tem sua própria maneira de corrigir a si mesma.” (Javier Salazar – do filme The Line)

  4. 1 de abril de 2010 10:23

    Realmente o assunto é muito polêmico a questão de pastores adquirirem para si aviões particulares. Gostaria de comentar esse assunto tão debatido esse mês.
    A questão é a seguinte: O ministério desses pastores exige que tenham um meio de transporte que encurte as distâncias? Já que suas agendas são muito imprevisíveis. Talvez, seria a resposta mais apropriada. Por quê? Se olharmos para o passado homens de Deus como D.L. Moody, Jonh Wesley, George Whitefield, Hudson Taylor, todos eles e muitos outros que viveram uma vida devotada ao ministério evangelistíco tiveram a oportunidade de ora ou outra atravessar o oceano, e outros países para levar a semente do evangelho.
    Por exemplo, o Grande Evangelista George Whitefield, cruzou o oceano sete vezes entre o Reino Unido e a América. Pensemos se George Whitefield vivesse nos dias de hoje! Quantas vezes ele iria atravessar o Atlântico e outros continentes para levar o evangelho? Com certeza, responderíamos, muitas vezes! Logo os números que vemos na contabilização de almas salvas através desses homens também seriam muito maior.
    Mas o que nos chama a atenção não foram somente as riquezas espirituais que eles alcançaram na vida, porque alguns deles tiveram condições de acumular muitas somas de dinheiro com a venda de suas obras, mas ainda sim tiveram um epitáfio como o de João Wesley:
    “Aqui jaz o corpo
    de JOHN WESLEY
    Um ramo tirado do incêndio;
    Que faleceu de tuberculose aos cinqüenta e um anos de idade;
    Não deixando, após o pagamento de suas dívidas, dez libras sequer;
    Orando: “Deus tenha misericórdia de mim, servo indigno!”
    (KIRTON, 1884, p. 103)
    Veja ainda o que o livro Heróis da Fé de Orlando Boyer diz sobre Jonh Wesley:
    “João Wesley nasceu e criou-se em um lar onde não ha via abundância de pão. Com a venda dos livros da sua au toria ganhou uma fortuna, com a qual contribuía para a causa de Cristo; ao falecer, deixou no mundo “duas colheres, uma chaleira de prata, um casaco velho” e dezenas de milhares de almas, salvas em épocas de grande decadência espiritual”.
    Então queridos leitores, não é de se esperar que o fato desses pastores adquirirem aeronaves particulares gere uma polêmica, não só no meio evangélico!
    O que esperamos é que junto com a riqueza acumuladas para os seus ministérios, acumulem também (como os grandes Heróis da Fé da história da igreja) milhares de almas para o Reino de Deus.

  5. Hugo permalink*
    1 de abril de 2010 13:45

    Calebe,

    Obrigado por sua participação.

    Você está retratando alguns exemplos que, em minha opinião, representam extremos.

    Gosto muito de John Wesley. Inclusive, minha teologia é wesleyana. Entretanto, devemos saber/lembrar que seu casamento com Susana Wesley foi um desastre. Portanto, o voto de pobreza pode ser até admirado, mas somente demonstra que Wesley morreu sozinho e não pensou em sua família. Muitos obreiros no passado sacrificaram suas famílias por causa do ministério, mas a Palavra nos ensina justamente o contrário: que devemos nos preocupar com prover nossa família espiritual e financeiramente primeiro, e depois se preocupar com a obra de Deus.

    O extremo oposto ao voto de pobreza é a ostentação que vemos nos dias de hoje. O problema já começa no culto à personalidade (também conhecida como “idolatria evangélica”) que faz com que certos homens de Deus tenham que se tornar praticamente onipresentes – o que supostamente justificaria aquisições de jatinhos e brinquedinhos do tipo. Concordo que o avanço dos transportes certamente deve ser usufruído pelo povo de Deus na expansão de seu Reino. Uma viagem de barco ou nos lombos de um cavalo que antes levava meses, agora leva horas. Mas várias pessoas importantes no Brasil e no mundo (incluindo celebridades) voam em companhias aéreas como qualquer outro mortal. Até poucos anos atrás, voar de jet privado era coisa de alto executivo, sheiks do petróleo e chefes de governo. Por que, de repente, esta prática começou a ser aceita entre os servos de Deus, que poderiam muito bem estar voando na TAM, na GOL ou qualquer outra companhia aérea?

    A resposta é simples: por causa da MEGALOMANIA que infestou o meio evangélico. Do ponto de vista financeiro, os altos custos envolvidos na aquisição e na manutenção de uma aeronave particular permitiriam a tais pastores viajarem ao redor do mundo diversas mais vezes do que fazem em seus jatinhos privados. Está bem claro que a questão aqui não é rapidez ou conveniência, e sim aparência.

    Devemos encontrar um equilíbrio entre o voto de probreza e a luxúria. Nenhum dos dois representa o plano de Deus para seu povo, especialmente para aqueles que dizem representá-lo.

  6. Felipe permalink
    30 de abril de 2010 9:25

    Na minha opinião seria melhor conhecer o outro lado da moeda…afinal, toda a história tem dois lados.

  7. Alexandre permalink
    30 de abril de 2010 16:02

    Viu como tu é medroso e sem vergonha??? Tu sabe que meus comentários te derrubariam, né? Foi só eu me passar por “Felipe” e postar algo que não te derruba que tu posta no blog? Tu é tão hipócrita, ordinário que chega a dar nojo! Causa ancia de vômito!

    Vê se pelo menos tu cria vergonha nessa tua cara e tira o comentário do “Felipe”…

  8. Hugo permalink*
    1 de maio de 2010 16:21

    Você realmente acha que eu não sabia que era você, sabichão? Você se julga a personificação da inteligência, não é verdade? Por acaso você sabe o que é Internet Protocol (IP)? Preste bem atenção ao que vou escrever agora, porque será a única coisa que você lerá de mim, dirigindo-se a você:

    Como pelo visto você não entende muito de internet, vou lhe explicar uma coisa: todas as vezes em que você visita o meu blog ou deixa um comentário, seu numero de IP aparece. Sei quem você é, independente do nome que usa. Sei exatamente de onde você está postando na região de Porto Alegre. Sei até mesmo o nome do seu provedor. Você pode se rebaixar e mentir quantas vezes quiser, a exemplo do que fez acima. Pode usar o nome que quiser nos comentários – Alexandre, Felipe, Maria ou Mafalda – mas NA INTERNET VOCÊ É UM NÚMERO e o seu número está marcado, GÊNIO DOS PAMPAS.

    Não tenho medo de seus comentários. Ao contrário daqueles a quem você serve, não tenho absolutamente nada a perder com a verdade. Quando bloqueei seus comentários e publiquei o comentário do “Felipe”, apenas quis lhe ensinar uma lição, cujo entendimento pelo jeito está além de sua capacidade: pelo menos neste blog, somente comentários CIVILIZADOS serão publicados. Leia as instruções abaixo do campo para comentários – preste bem atenção onde diz que COMENTÁRIOS OFENSIVOS NÃO SERÃO PUBLICADOS.

    Estou aberto à crítica, à exemplo da que você publicou com o pseudônimo, mas não a qualquer crítica. Somente DIALOGO (preste atenção ao verbo DIALOGAR) com pessoas inteligentes que saibam discordar de maneira cristã, argumentando com sensatez, e não da maneira baixa, deselegante, animal e anti-cristã como você fez. Você me chama de advogado do diabo, mas o ódio com a qual você se expressa me faz pensar que que o diabo é seu cliente e não o meu.

    Já fiz uma pesquisa na internet e sei que você anda querendo aparecer em todos os blogs que publicaram este artigo. Você é mais um dos milhares de IDÓLATRAS que lambem as botas destes pop stars evangélicos ou, muito provavelmente, trabalha para um destes mercenários da fé. Não me espantaria em nada se estes marajás gospel começassem a contratar desocupados como você para servir-lhes como Relações Públicas – na vã tentativa de tentar limpar sua imagem, a estas alturas mais suja do que pau de galinheiro. Tamanha insistência em aparecer por aqui (desde o dia 16 de abril) me faz pensar que você deve ser tão mercenário quanto estes vendilhões megalomaníacos. Na pior das hipóteses, deve ser mais um destes que arrancam o couro juntamente com a lã das ovelhas, e quer espaço para argumentar em sua própria defesa. E como não tenho tempo para perder com apóstatas da sua estirpe, vamos resumir este assunto:

    Se quiser dar seu dinheiro para estes mercenários queimarem com gasolina azul, é problema seu. Afinal, ser trouxa ainda é um direito no Estado Democrático. Se você for um dos integrantes desta máfia de estelionatários, saiba que haverá juízo para aqueles que usam a fé alheia como fonte de lucro. Agora, seja qual for a sua situação, vê se desencana deste blog e deixe de envergonhar o povo gaúcho com demonstrações de tamanha “inteligência” como essa sua acima. Não vou lhe dar a publicidade que você deseja. Se quiser aparecer, abra seu próprio blog (seria bom que aprendesse um pouquinho mais sobre a internet antes de fazê-lo) e vá buscar audiência entre outros discípulos de Mamon como você.

  9. 1 de maio de 2010 20:16

    Paz Amados,

    Este assunto é especialmente delicado, pois aqui estamos falando da locomoção de homens de Deus. Mas vamos falar do Ide de Jesus evangelizar, pregar o evangelho!

    Vou ser mais direto e sem rodeios, estes mega-pastores estão falando que seus aviões são para atingir mais povos, mais pessoas. Vamos pensar nisso, eles estão indo onde? Estão indo para a China apresentar Jesus para não convertidos ou para um país Islamista onde não se aceita Jesus ou será que eles estão indo para uma cidade grande pregar para uma igreja lotada de convertidos recebendo um belo cachê, vendendo seus DVDs, vendendo suas Bíblias e se hospedando em grandes e luxuosos hoteis?

    Preciso responder?

    Onde está o Ide? Ah mas eles pregam para muitas pessoas! Estas pessoas por um acaso não tem quem pregue para elas?

    Recentemente o Pr. Silas Malafaia criou o Clube dos 1000 reais, para ganhar um milhao de almas. Você acha que alguém assistindo um programa onde 70% do tempo se vende artigos gospel e fala de ofertas pode ganhar alguém para Jesus?

    Será este o ide que Jesus nos mandou?

    Nada contra ter coisas boas, nada contra viver com conforto pois acredito que Jesus nos de bênçãos materiais sim, acredito que as bênçãos sem medida q o Senhor diz derramar sobre nós não são apenas espirituais e sim materiais também. Mas Deus nos dá o suficiente para viver no conforto e pregar sua palavra, sem ostentação.

    Esta é minha opinião, meu ponto de vista, só quem sabe o que realmente se passa é o Senhor Sei também que não devemos julgar o Pastor Silas ou qualquer um que seja, se não concordamos com aquilo que ele prega, simplesmente não sejamos participantes daquilo q ele fala. Se aquilo que ele estiver fazendo não for do agrado do Senhor, o próprio Deus tratará com ele, não nós!

    Quanto ao Ide de Jesus, leia o Estudo do Link abaixo:
    http://www.nascidodenovo.org/evangelismo-e-missoes/o-significado-do-ide-de-jesus.html

    Deus Abençoe a todos.

    Nascido de Novo

  10. Edye permalink
    20 de maio de 2010 20:14

    Lucas 16, 13 – “Nenhum servo pode servir dois senhores; porque, ou há de odiar um e amar o outro, ou se há de chegar a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom.”

    Bem, vemos que alguns pastores já escolheram a quem servir, pena que fizeram uma escolha ruim… Por mais que seus jatinhos alcem alturas elevadas, não serão eles que os levarão ao céu.
    Que se arrependam enquanto houver tempo, para não caírem nas mãos do Deus vivo.

  11. Edye permalink
    20 de maio de 2010 20:25

    @Hugo:
    Acho que isto tem a ver com a teoria do caos, mas na verdade, sob meu ponto de vista, quando lidamos com a natureza humana, a natureza em si não pode fazer nada, afinal, Deus dá o sol tanto para os justos quanto para os injustos, e entendamos justo por justificado pelo Sr Jesus. Porém todo sistema humano viciado, com certeza cai em determinado momento, afinal o que o homem plantar ele colherá, isto é bíblico. Oooops não quero dizer com isto que algum desses aviões “santos” cairá. LOL

Trackbacks

  1. Al Capones Evangélicos « Jovens Igreja do Deus Forte

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: