Skip to content

O Transtorno de Personalidade Narcisista

18 de março de 2010

Muitos líderes evangélicos, em sua sede de poder e reconhecimento, podem estar padecendo de uma patologia, clinicamente diagnosticada como Transtorno de Personalidade Narcisista, como nos explica o psicanalista clínico Tony Ayres.

O cinema, muitas vezes, nos instrui de forma bastante didádica acerca dos fatos da vida, sejam eles positivos ou completamente negativos. No campo da Psiquiatria, por exemplo, muitos filmes têm sido produzidos, para mostrar a realidade de uma patologia.

Em Uma Mente Brilhante, tomamos contato com a esquizofrenia e ficamos sabendo como essa doença se manifesta. Em Amadeus, ficamos conhecendo, através de comportamento de Mozart, como vive e enxerga o mundo uma pessoa que sofre do Transtorno Bipolar de Humor.

Neste post, sirvo-me de um outro filme que mostra as características de uma outra patologia psiquiátrica que, honestamente, acredito, esteja afetando a vida de vários daqueles homens que conhecemos como “líderes evangélicos” (entre aspas), cujas atitudes não condizem com suas responsabilidades.

Refiro-me ao filme O Diabo Veste Prada, em que a personagem principal, Miranda (interpretada pela atriz Meryl Streep) constitui um bom exemplo de pessoa que é vítima daquilo que é conhecido como TRANSTORNO DE PERSONALIDADE NARCISISTA.

Sintomas

Quem quer que tenha assistido ao filme se lembrará que Miranda, em sua sede de poder e reconhecimento, possui uma personalidade na qual estão presentes os seguintes sintomas:

  1. Sentimento grandioso da própria importância ( exagera suas realizações e talentos, espera ser reconhecida como superior e possui realizações que considera incomensuráveis);
  2. Fantasias de sucesso ilimitado, poder, inteligência, beleza e capacidade de manipulação;
  3. Crença de ser “especial” e única, além de somente pode ser compreendida e associar-se a outras pessoas especiais ou de condição elevada;
  4. Exigência de admiração excessiva por parte de outras pessoas;
  5. Sentimento de intitulação, ou seja, expectativas irracionais de receber um tratamento especialmente favorável ou obediência automática às suas expectativas;
  6. É exploradora em relacionamentos interpessoais, isto é, tira vantagem de outros para atingir seus próprios objetivos;
  7. Não possui empatia: reluta em reconhecer ou identificar-se com os sentimentos e necessidades alheias;
  8. Freqüentemente sente inveja de outras pessoas ou acredita ser alvo da inveja alheia;
  9. Apresenta constantes comportamentos e atitudes arrogantes ou insolentes.

A despeito de termos a Bíblia que nos instrui acerca do amor, da benignidade e da mansidão, entre tantas outras virtudes; não é preciso muito esforço para que reconheçamos, AO INVÉS DELAS, as características ou os sintomas do TRANSTORNO DE PERSONALIDADE NARCISISTA naqueles que, um dia chegaram humildes, mas hoje são, de fato, arrogantes e presunçosos “donos de igrejas”.

Que tenhamos discernimento para reconhecermos esses tais, e não deixarmos nos enredar pelo suntuoso aparato que apresentam, firmando-nos na cruz de Cristo, único lugar onde é possível gloriarmo-nos. E gloriarmo-nos unicamente no Senhor.

Fonte: Psicoterapeuta Cristão.

Anúncios

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: