Skip to content

O que acontece quando morremos?

27 de fevereiro de 2010

morte

A Bíblia não dá muitos detalhes sobre o que acontece logo após nossa morte. Com certeza é seguro dizer que nós entraremos numa realidade que é muito além do que imaginamos. Também há cinco coisas que a Bíblia diz sobre o que devemos esperar no momento de nossa morte e o que acontece depois dela.

Primeiro, cristãos serão levados à presença de Cristo no céu. Cristo está no céu agora (Atos 1.2; 3.21; 1Ts 1.10; 4.6; 2Ts 1.7), e cristãos irão se encontrar com Ele. Jesus disse ao ladrão na cruz: “Eu lhe garanto: Hoje você estará comigo no paraíso.” (Lc 23.43). E em duas ocasiões diferentes Paulo falou sobre a morte como nós estivéssemos sendo introduzidos à presença de Cristo:

Estou pressionado dos dois lados: desejo partir e estar com Cristo, o que é muito melhor; contudo, é mais necessário, por causa de vocês, que eu permaneça no corpo. (Fp 1.23, 24)

Portanto, temos sempre confiança e sabemos que, enquanto estamos no corpo, estamos longe do Senhor. Porque vivemos por fé, e não pelo que vemos. Temos, pois, confiança e preferimos estar ausentes do corpo e habitar com o Senhor. Por isso, temos o propósito de lhe agradar, quer estejamos no corpo, quer o deixemos. (2 Co 5. 6-9)

Em segundo lugar, o céu é um lugar de glória resplandecente, e estar com Cristo na glória do céu será muito superior a nossa vida presente e terrena. Note que nas passagens listadas, Paulo diz que sair desta vida para estar com Cristo “é muito melhor” (Fp 1.23) e que ele preferia estar ausente do corpo e habitar com o Senhor (2Co 5.8). Perceba também que estar no céu com o Senhor é dito como se estivéssemos “ em casa”. Uma das coisas que fará do céu algo tão grandioso é que nós finalmente sentiremos que estamos em casa.

Em terceiro lugar, nós continuaremos esperando (assim como devemos esperar nesta vida) para a ressurreição de nossos corpos. Uma existência fora do corpo não é o grande e final propósito de Deus para nós. Por tão grandioso que seja estar no céu quando morremos, Deus tem algo, maior para nós: Ser ressuscitado dos mortos para que vivamos em corpo e alma para sempre no novo céus e nova terra. Enquanto vivo, Paulo afirmou que estava esperando ansiosamente pela redenção do seu corpo (Rm 8.23). Esta espera por nossa ressurreição não pára quando morremos, mas sim quando finalmente recebemos o cumprimento de nossa expectativa na ressurreição de nossos corpos. Entender isto deveria aumentar grandemente o nossos desejo para a grande vinda do reino de Deus. (John) Piper diz:

Parece-me que a esperança da ressurreição não tem o mesmo poder e centralidade para nós, hoje, do que tinha para os cristãos primitivos. E eu penso que uma das razões disso é porque temos uma visão errada da era porvir. Quando falamos sobre o futuro e o estado eterno, tendemos a falar sobre céu, e céu parece implicar em um lugar longe e caracterizado coisas não materiais, etéreas e corpos sem espíritos.

Em outras palavras, nós tendemos a assumir que a condição que os santos que já se foram estão agora, sem seus corpos, é a maneira como sempre será. E sempre nos encorajamos, também ao pensar quão bom está para eles agora que sempre esquecemos que na verdade este é um estado imperfeito. E não como será, nem como Paulo desejava que acontecesse com ele mesmo. Sim, morrer é lucro, e sim, estar ausente do corpo é estar em casa com o Senhor, mas não, esta não é nossa esperança final. Este não é o estado final de nossa alegria. Este não é nosso conforto principal quando perdemos nossos amados queridos que são cristãos.1

Quarto lugar, no momento da morte os crentes serão feitos perfeitos e limpos de todo o pecado. Isso decorre do ponto anterior que os crentes são levados para o céu imediatamente após a morte. O céu é completamente puro e livre de toda mancha e pecado, e, portanto, quando Deus nos leva ao céu, Ele nos torna aptos para a experimentá-lo, fazendo nossos corações perfeito em santidade. Isso está de acordo com seu propósito de nos fazer completamente semelhante a Cristo (Romanos 8:29) e, no retorno de Cristo, para nos apresentar a si mesmo sem mancha nem ruga, nem pecado (1 Tessalonicenses 5:23, Efésios 5:27).

Quinto, aqueles que não colocaram sua confiança em Cristo nesta vida serão separado de Deus e introduzidos numa realidade completamente desprovida de sua graça comum e de bênção. Na parábola do rico e Lázaro, Jesus fala de Lázaro sendo levados para o céu quando morre, mas o homem rico, porque ele não prestou atenção as Escrituras, imediatamente entra em grande tormento e é excluído da bênção do céu (Lucas 16:22-26). As Escrituras falam freqüentemente da dolorosa realidade que espera aqueles que não depositam sua fé em Cristo para serem salvos do pecado (Mateus 13:30, 25:41, Lucas 12:5, João 3:36, Romanos 2:8-9; Hebreus 10:29).

Finalmente, vemos em todas estas coisas que a morte não é o fim da nossa existência. Temos corpos e almas. A morte é a separação do corpo da alma, não o fim da nossa personalidade. Quando morremos, nossos corpos tornam-se sem vida e já não são o lugar onde “residimos”, mas continuamos a existir como almas, quer com Cristo na glória ou separados de Cristo na vergonha.

Sabendo que a morte inaugura-nos diretamente para as realidades do céu ou do inferno deve fazer-nos olhar para Cristo como nosso refúgio e salvação e deve fazer-nos esforçar-se, como Paulo, “Por isso, temos o propósito de lhe agradar, quer estejamos no corpo, quer o deixemos.” (2 Coríntios 5:9). Mesmo para os crentes, a perspectiva da morte às vezes é uma coisa terrível, porque a morte está envolta em grande mistério como o reino ao qual nunca deveríamos ter ido. Mas podemos tomar coragem e colocar de lado nossos medos na confiança que temos um Deus que de tempos em tempos, diz ao seu povo: “Não tenhais medo” (Josué 11:6; Isaías 44:8, Mateus 14:27; 17 : 7; 28:10, Apocalipse 1:17). Deus quer que Seu povo seja confortado em face da morte:

Não temas, porque eu te resgatei, eu te chamei pelo nome, você é meu! Quando você passar pelas águas, eu estarei com você, e através rios, eles não te submergirão. Quando você anda pelo fogo, você não será queimado, nem o fogo irá queimá-lo.  (Isaías 43:1-2).

Fonte: Desiring God via iPródigo.
Tradução: Rafael Bello.

Nota

[1] John Piper, What Happens When You Die? The Dead Will be Raised Imperishable.


Anúncios
5 Comentários
  1. 27 de fevereiro de 2010 23:02

    A Paz do Senhor Jesus a todos, suas famílias e igrejas!

    Irmão Hugo, se o amado continuar publicando artigos ótimos como esse, eu me tornarei seu sócio neste site de tanto que irei escrever por aqui.

    Esse é para mim um assunto “empolgante”, pois, como eu disse em comentários passados, eu creio em revelações dos últimos dias, revelações que edifiquem as igrejas. E quero passar para os amados a minha própria sobre o paraíso.

    Há uns sete anos atrás, eu tive um “sonho” maravilhoso e esclarecedor.

    “Eu estava fazendo a minha mudança na casa do meu ex-senhorio, que já dorme no Senhor, e minha mãe me dizia para embrulhar bem os pratos em jornal para não quebrar. Eu ia me virando e falando com ela, quando me vi em uma espécie de corredor pequeno com, aproximadamente, 2,5 metros de largura por 8 metros de comprimento. Em uma das extremidades, na qual eu estava, e também nas laterais do corredor, haviam umas placas de vidro, como janelas para se ver através delas, com 2 metros de largura por 1,5 metro de altura. Na outra extremidade havia uma porta de madeira lisa, ela estava fechada. O que vi foi o cenário mais lindo de toda minha vida. Vi como que um campo imenso com árvores e relva, e sobre eles pairava suavemente uma neblina fina. Ao fundo, bem longe no horizonte, vi montanhas. O tom da luz que havia era belíssimo, como o amanhecer. A felicidade que emanava daquele lugar era magnífica, espetacular, incomparável, ela não somente me envolvia, mas penetrava em mim. Hoje eu creio que era o paraíso! Ela me atraía como um imã atrai o metal. Foi aí que me virei e percebi que estava em um corredor com as tais janelas de vidro, e vi a porta que estava fechada, e ia em direção a ela quando acordei.”
    Mas vamos agora as considerações:
    Eu, após este “sonho”, entendi o ódio que o diabo tem contra nós, pois nós, pela fé em Jesus Cristo, entraremos naquele lugar maravilhoso, e ele nunca mais. Sei que há uma “discussão” sobre se Satanás foi expulso quando Jesus subiu ao céu, ou se ele será expulso nestes fins dos dias para assumir o corpo do anticristo, não irei entrar nessa questão, mas é fato que, como o irmão citou, o ladrão foi para o paraíso e não para o céu. Há irmãos que pregam e crêem que ambos são o mesmo lugar, mas vejamos: Em Apocalipse 20:14 diz que até o inferno será lançado no lago de fogo eterno, e creio que por conta do inferno é que a igreja católica Romana o transformou em purgatório, pois realmente os que lá estão sairão de lá, mas para o lago de fogo eterno após a segunda ressurreição, a do julgamento. Ora, se o inferno será lançado no lago de fogo eterno, poderíamos pressupor que assim também ocorrerá com o paraíso, ou seja: O inferno seria um lugar provisório para as almas que morreram sem Cristo, e o paraíso seria um lugar provisório para os santos, o qual seria transportado para o céu, assim como o inferno para o lago de fogo, e tudo isso após o fim deste mundo, após o milênio e ao julgamento na segunda ressurreição. Vejam no “mapa” gráfico que criei há uns anos atrás. http://www.bjcv.blog.br/htm/estudo_29.htm
    Mas voltando ao “sonho” que tive, é importante eu destacar que enquanto eu lá estava olhando para o paraíso, eu não pensava em minha esposa, em meu filho, em nada desta vida, eu só queria entrar naquele lugar maravilhoso. O que certamente nos conduz a outro assunto muito discutido sobre o que iremos ou não nos lembrar deste mundo. Pelo que eu já cria e entendi como confirmação neste meu “sonho”, é que não nos lembraremos de nada deste mundo, mesmo relacionados à obra da evangelização.
    Sobre a ressurreição dos mortos há também outra perspectiva bem interessante que envolve o tempo como o conhecemos, pois para Deus somos como que filmes velhos, pois Ele já vil o fim. Quando um irmão nosso “morre”, dizemos que ele está agora com Deus, mas como se isto só ocorrerá na primeira ressurreição? Mas cremos que quando “morremos” fechamos os nossos olhos aqui e “imediatamente” o abrimos no céu, como disse Paulo: Num abrir e fechar de olhos. Até certo ponto isso seria fácil de entender, pois sairíamos do mundo físico no qual regem leis físicas, e passaríamos para um mundo espiritual, no qual regem leis espirituais. É realmente fascinante!
    Bem, vou parar no momento por aqui, pois o irmão vai acabar me pedindo para escrever menos, mas eu entenderia.
    Um forte abraço a todos!
    Seu irmão na fé e na esperança em Jesus Cristo,

    André M. dos Santos

  2. Hugo permalink*
    27 de fevereiro de 2010 23:30

    Obrigado por compartilhar este tremendo testemunho, André.

  3. Welbert Yuri permalink
    2 de março de 2010 22:06

    Era por isso que os Cristaos primitivos eram tao desprendido deste mundo, e das alegrias que esta vida pode nos da, eles estavam com os Olhos muito alem dos nossos hj, hj pensamos em prosperidade, de vida nesta vida, hj queremos mesmo é ser abençoados (queremos a bençao) e antes os primitivos sabiam que a vida deles nao estava aqui na terra, a bençao deles nao poderia ser deste mundo, que o Senhor faça-nos voltar nossos olhos para a Eternidade , ai vamos achar tudo neste mundo coisas Infimas…

  4. Guilherme permalink
    18 de março de 2010 0:33

    Hugo,

    Já que foi citado no seu artigo, confesso que o termo “Paraíso” me desperta alguma curiosidade. Na língua portuguesa ele aparece apenas 3 vezes na Bíblia, ou seja:

    Lc 23:43 E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no PARAÍSO.

    2Co 12:2-4 Conheço um homem em Cristo que há catorze anos (se no corpo, não sei, se fora do corpo, não sei; Deus o sabe) foi arrebatado ao terceiro céu. E sei que o tal homem (se no corpo, se fora do corpo, não sei; Deus o sabe) foi arrebatado ao PARAÍSO; e ouviu palavras inefáveis, que ao homem não é lícito falar.

    Ap 2:7 Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao que vencer, dar-lhe-ei a comer da árvore da vida, que está no meio do PARAÍSO de Deus.

    Em primeiro lugar, entendo que não tem nada a ver com o Jardim que estava no Éden. A expressão “Adão e Eva no Paraíso” não tem fundamento bíblico.

    Paulo disse que esteve no Paraíso, o qual ele também chama de “terceiro céu”. Aí vai uma curiosidade: se existe um “terceiro” céu, é um indicativo de que também existem pelo menos o “primeiro” e o “segundo” céu! A Bíblia se refere diversas vezes ao plural “céus”. Também fala de “céu dos céus”.

    Jesus disse ao malfeitor na cruz que naquele mesmo dia estariam juntos no PARAÍSO. O corpo de Jesus ficou no túmulo da sexta até o domingo (3 dias). O que exatamente aconteceu à “alma” e ao “espírito” de Jesus nesses 3 dias? A Bíblia indica que em algum momento ele desceu ao inferno. Ouvi alguém dizer que ao expirar Jesus (alma?) teria no primeiro dia ido até o terceiro céu, ou Paraíso, onde passam (ou ficam?) também os que morrem em Cristo. No segundo dia ele teria descido ao inferno e no terceiro ressuscitado.

    Sobre Ap 2:7, já ouvi dizer que indica que Deus retirou do Éden a “árvore da vida” e a transportou para o terceiro céu, o PARAÍSO, onde permanece desde então.

    Tudo isso parece muito especulação, mas, como disse no ínicio, me desperta curiosidade!

  5. nayara permalink
    17 de maio de 2012 14:06

    eu queria na verdade, fazer uma pergunta!
    Quero saber se quando morremos, vamos ter contato, ver ou saber das coisas da terra (ver nossos parentes, saber se estao bem, enfim), como base na biblia????

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: