Skip to content

Igreja simples ganha destaque na mídia

9 de janeiro de 2010

Uma comunidade evangélica no nordeste brasileiro chama a atenção da mídia por sua simplicidade e por seu enfoque missional. A igreja sem nome e sem sede promove os seus cultos nas casas de seus membros, debaixo de viadutos, árvores ou na rua. A comunidade religiosa afastou de sua caminhada tudo aquilo que, na opinião de seus integrantes, atrapalha o foco central de sua fé, que é a figura única de Cristo.

Atualmente, apesar de todo o avanço científico, o fenômeno religioso sobrevive e cresce, desafiando previsões que anteviram seu fim. A maioria da humanidade professa alguma crença religiosa direta ou indiretamente. A religião continua atraindo milhares de fiéis e enriquecendo alguns pregadores. Em alguns casos, o fanatismo religioso confirma o pensamento do filósofo alemão Karl Marx que definiu a religião como “o ópio do povo”.

No Cariri, marcado pelo misticismo e pela devoção ao Padre Cícero, cresce o pluralismo religioso das mais diversas formas. O pastor da Igreja Batista, Samuel Lobo, diz que são incontáveis os cultos religiosos que chegam a Juazeiro. O “loteamento” de um espaço no céu está levando muitos cristãos a procurarem práticas religiosas diferentes das igrejas convencionais. Paralelamente, cresce também o número daqueles que, embora se professem cristãos, não frequentam nenhuma denominação religiosa.

Caminhada pessoal

“São pessoas convertidas, mas que, decepcionadas com os rumos da pregação e da instituição, optaram por uma caminhada pessoal, vivida na intimidade, ou então pela formação de pequenos grupos nos lares, reeditando o cristianismo do primeiro século”, analisa o advogado Emerson Monteiro, lembrando que existe uma tendência, principalmente entre jovens, de procurar novos caminhos.

No Crato, está nascendo uma religião sem nome, sem igreja, sem padres e pastores e que tem como único líder Jesus Cristo. “É a restauração do antigo cristianismo, quando os seguidores de Jesus pregavam de casa em casa e exerciam a verdadeira partilha, a solidariedade, principalmente, para com os mais pobres, abandonados, que nunca, por exemplo, comemoraram o seu próprio aniversário”, define o radialista José Jesus de Almeida Júnior, integrante da nova comunidade evangélica.

É o caso da mendiga Francisca Ribeiro da Silva, que vive debaixo de uma algaroba, ao lado da via férrea, que liga Crato à Juazeiro. Ali, ao relento, ela faz a própria comida e dorme em cima de um colchão velho. Não sabe de onde veio, para aonde vai e não se lembra da idade. “Os crentes comemoraram o meu aniversário, foi uma festa bonita”, diz ela, referindo-se a iniciativa dos integrantes da igreja sem nome.

Na contramão da maioria das religiões, a nova tendência evangélica não cobra dízimo de seus integrantes. Ao contrário, eles tiram dinheiro do seu próprio bolso para ajudar pessoas pobres e abandonadas. Mendigos, alcoólatras, desempregados, ou pessoas com deficiência mental são retirados das ruas e reintegradas à sociedade com ações sociais que vão desde a entrega de cestas básicas até a realização de festas de aniversario.

Caminho, verdade e vida

“Somos seguidores do Caminho, que é Jesus. Estamos a caminho do céu. Este céu que já começa aqui e se planifica na eternidade, pois Jesus trouxe os valores do Reino de Deus, com a sua entrada na história, no tempo, no espaço, em vista da plenitude dos tempos”, explica Almeida Júnior.

Criado numa família de católicos praticantes, ex-funcionário de uma emissora católica, Almeida Júnior frequentou uma igreja evangélica durante 10 anos. Descobriu nos textos bíblicos que o único caminho é Jesus. “Eu sou o caminho, a verdade e a vida”. Este ensinamento do apóstolo João levou Almeida a fazer uma reflexão sobre o seu itinerário religioso.

A partir daí, ele passou a questionar os conceitos doutrinários das religiões. Terminou se isolando em seu mundo particular procurando uma resposta para suas dúvidas. Encontrou na internet a indicação do livro “A Igreja de Casa em Casa”. Foi a senha para o reencontro consigo mesmo. O livro trata de um movimento religioso internacional, com ramificações em alguns estados do Brasil.

No contato virtual com outros irmãos de fé, o radialista descobriu que não estava só na sua maneira de pensar. De acordo com a nova vertente evangélica, Jesus é apresentado como um exemplo individual cujo modelo de vida é o caminho. “Seus ensinamentos, sermões e instruções são os meios que podem nos conduzir ao conhecimento da verdade eterna, diferente das verdades transitórias ou passageiras. E, por último, entende que Jesus é o representante da vida perpétua”.

Almeida sonha com um cristianismo que acolha o viciado, o mendigo, a prostituta e todos os pobres e doentes da terra, como Jesus fazia. Com esta concepção, a comunidade religiosa afastou de sua caminhada tudo aquilo que, na opinião de seus integrantes, atrapalha o foco central de sua fé, que é figura única de Cristo, a começar do dízimo, uma contribuição, paga voluntariamente, ou como imposto, normalmente para ajudar organizações religiosas e, muitas vezes, utilizada como moeda de compra e venda do reino do céu.

[…]

Por enquanto, apenas três famílias, na cidade do Crato, estão participando da nova religião. O grupo não está preocupado com o crescimento. Só permanecem na comunidade aqueles que têm o espírito de solidariedade, o sentimento cristão de partilha, diz o irmão Francisco de Assistis, integrante dos “Sem Igreja”. Há poucas indicações na Internet sobre esta nova vertente evangélica. No entanto, de acordo com o último censo, os sem-igreja aparecem nas pesquisas. O fato de não ter nome, igreja e hierarquia torna-se difícil a sua identificação. Porém, há registros de grupos de cristãos independentes em vários Estados do Brasil e, também, no exterior.

[…]

Para adeptos, igreja é povo de Deus

A igreja sem nome e sem sede promove os seus cultos nas casas de cada dos seus membros, viadutos, árvores ou rua.

O radialista José Jesus de Almeida Júnior, integrante da nova comunidade evangélica, lembra que, em Roma, os primeiros cristãos encontravam-se em subterrâneos, chamados catacumbas, onde partiam o pão durante os encontros, perpetuando o gesto de Jesus na noite em que foi preso. Esses primeiros cristãos deram prova de muita confiança e coragem. “Este é o caminho que nós tentamos seguir, adaptando, naturalmente, os costumes da época ao tempo de hoje e partindo do princípio bíblico de que a igreja somos nós, o povo de Deus”.

A igreja sem nome e sem sede promove os seus cultos nas casas de cada um dos seus membros, debaixo de viadutos, árvores, ou no meio da rua. Eles partem do pressuposto de que “Deus não estabeleceu a construção de igrejas”. O culto começa com uma pequena palavra de abertura, segue-se um momento de oração e, logo após, um período de cânticos de louvor. Após o término deste período, é iniciada a pregação fundamenta em textos bíblicos. O término do culto se dá com avisos, pedidos de oração e confraternização entre as famílias presentes.

Tudo idêntico a uma igreja evangélica qualquer, se não fosse o fato de ela não ter nome, estatuto, livro ata, não possuir CNPJ ou ser oficializada. O que diferencia é que cada culto é diferente um do outro. Os “sem igreja” não obedecem a nenhum ritual pré-estabelecido. Cada um dos seus integrantes, tratados como irmãos, pode fazer a sua pregação. Não existe hierarquia.

A mulher de Almeida, Mara Aparecida, que também já pertenceu a uma igreja evangélica, diz que agora encontrou a sua verdadeira religião. “Somos ´caminheiros´ e no ´Caminho´ que seguimos temos quedas, encontramos atalhos, passamos por obstáculos, andamos em passos mais largos ou mais lentamente. O importante é ter os olhos fixos na nossa meta que é o céu, andando pela via da nossa salvação, ou seja, olhando fixamente para Jesus, o Caminho, a Verdade e a Vida, pois ele já fixou o olhar sobre nós por primeiro e nos amou com um amor sem limites”, cometa.

Aparecida acrescenta que nas grandes igrejas as pessoas não se conhecem. “Aqui a gente divide as alegrias e tristezas da vida. O Cristo é revelado na pessoa de cada irmão sofredor, oprimido abandonado”. É com este espírito que os “sem igreja” promovem festas de aniversário, distribuem alimentos e facilitam empregos para pessoas anônimas que vivem à margem da sociedade e da família.

Fonte: Diário do Nordeste. Via: Igreja nos Lares em Altinho-PE.

Anúncios
27 Comentários
  1. 8 de junho de 2010 3:03

    A proposta deste grupo de seguir os passos dos primeiros cristãos é bonita, mas a igreja, o corpo conforme Paulo diz é constituída do cabeça Jesus Cristo e dos membros. E entre estes membros há mestres, pastores e evangelistas. O grupo pode não adotar em suas práticas se reunir em prédios mas apenas em casas, debaixo de viadutos e árvores, mas é necessário haver líderes que norteiem a direção do grupo, até porque para evitar que se falem heresias. O conhecimento bíblico é importante. A proposta é ótima, mas tem que haver lideranças!

  2. 8 de junho de 2010 3:47

    Correto.

  3. 28 de julho de 2010 19:48

    Queria apenas esclarecer aos irmãos que escreveram os comentários anteriores (e também aos leitores deste site), que nas igrejas orgânicas, que, dentre outras práticas do Novo Testamento se reúnem nas casas dos irmãos, existe liderança sim. Só que a liderança surge naturalmente da congregação, sem a necessidade de cargos hierárquicos nem eleição. Os pais de família mais maduros na fé e na idade exercem naturalmente a função de pastores e líderes da igreja local. Além desses, surgem os mestres e os evangelistas. A grande diferença é que esses amados irmãos exercem suas funções nas igrejas primitivistas sem dominação e sem remuneração. O pastoreio é exercido no discipulado pessoal e na ajuda material que os presbíteros-pastores dão aos demais irmãos. Aliás, todas as heresias de que se tem conhecimento surgiram de igrejas e grupos institucionalizados, e não de pequenas igrejas nos lares.

  4. 28 de agosto de 2010 12:38

    O Irmão Marcio Rocha Falou bem, deve ter liderança e que esta surja naturalmente da congregação; Mas só por que nenhum dos Irmãos se Intitulou não quer dizer que não aja Liderança. Amém

  5. 28 de agosto de 2010 15:10

    É isso aí.

  6. Carlos permalink
    11 de setembro de 2010 23:54

    Não concordo com “haver lideranças” é justamente aí que começa a dar errado.

  7. Carlos permalink
    11 de setembro de 2010 23:57

    Concordo sim com o tipo de liderança citado por Marcio Rocha.

  8. Farley permalink
    28 de novembro de 2010 17:59

    Gostaria muito de obter contato com irmãos em minha cidade, Belo Horizonte MG.

    Agradeço ajuda.

    FJ Araújo.

  9. DANIEL permalink
    28 de outubro de 2011 13:10

    Eu sou integrante da obra de Deus em Turvo-SC. Nós servimos a Deus , seguimos a Palavra, temos como foco único em nossas vidas o céu, e o Caminho que nos conduz a ele (Sr. Jesus). Não temos placa, CNPJ e outras instituições mundanas. Simplesmente servimos o Sr. Deus na pureza do seu Espírito. E é através Dele que nossos pastores e diáconos são separados, vivendo eles somente por FÉ.. Procuramos viver na humildade e simplicidade que nos ensinou Nosso Mestre Jesus, santificando nossas vidas , tanto externa, quanto internamente. ESTA É A VERDADEIRA OBRA DO ESPÍRITO E DA PALAVRA. A IGREJA PRIMITIVA.

    Existimos há mais de 40 anos e poucos nos conhecem, pois não temos vinculação a nenhum tipo de meio de comunicação (rádio, TV, até mesmo internet… ressalva eu, que uso esse veículo para meu trabalho, mas espero em breve me afastar disso aqui, que não provém do SENHOR).

    ESSES IRMÃOS DO NORDESTE PODEM ATÉ SER OS MESMOS, NÃO SEI, PORQUE A OBR DE DEUS ESTÁ PELO MUNDO TODO…

    A PAZ DO NOSSO SENHOR JESUS CRISTO A TODOS.
    AMÉM.

  10. DANIEL permalink
    28 de outubro de 2011 13:22

    O Caminho onde trilhamos é estreito. Porque estreita é a Porta.

    Hoje as denominações em geral se desviaram dos caminhos retos e deixaram que o fermento levedasse toda a massa. Infelizmente, no afã de aumentar seus rebanhos, alargaram as portas, criando liberdades que passam à libertinagem, fugindo da santificação necessária para o fim… O Reino de Deus. Hoje o dinheiro está acima de todas as coisas. Conhece-se pouco ou nada da verdadeira Palavra de Deus. As igrejas antes espirituais, hoje são puramente carnais, onde quem organiza é o homem e não o Espírito Santo. Não dão liberdade ao Espírito e não tem suas vidas santificadas o suficiente para que o mesmo habite e se manifeste…

    Não julgo ninguém, pois sou o mais miserável dos homens, que o Senhor tenha misericórdia de mim, mas procuro me esforçar em nome do Sr. Jesus.

    Paz a todos e, procurem o POVO DA PALAVRA , provavelmente acharás em tua cidade.
    Como referência, as nossas irmãs se vestem com vestidos compridos, parecidas com freiras, mas com longos cabelos, é claro…

  11. Antonio Teixeira permalink
    21 de fevereiro de 2012 9:02

    Certa vez encontrei um grupo assim no sul do Brasil. Cheguei até a ter uma grande amizade com um pescador perto de Florianópolis – SC que pertencia a essa igreja sem nome e sem CNPJ que me deu belas lições de vida. Eu gostei muito, tentei seguir os passos desse grupo, mas as forças que surgem nesse mundo é tão forte que eu não aguentei. Hoje, estava pensando que talvez pudesse encontrar aqui o mesmo espirito. A verdade é uma só. O resto é ficção científica.

  12. Elizabeth permalink
    25 de março de 2012 13:32

    Fiquei feliz em ver esta reportagem. Descobri que nao estamos sozinhos, minha familia e eu.
    Hoje mesmo comentei com minha irma : ” Vamos morrer sem igreja “.
    pesquisando a historia da igreja na internete , descobri ha algum tempo atraz que o dizimo
    so entrou para a igreja entre os anos 321 a 326 , impostp por Constantino, imperador de Roma na epoca. Pela logica dos estudos da biblia eu ja sabia que isso estava totalmente errado e foi muito bom ter certeza.
    Tem milhares de irmaos isolados pelo mundo por nao concordarem com esse absurdo que nao tem nada a ver com a igreja.
    Gostaria de saber como encontrar alguem com este esclarecimento em minha cidade = Goiania, Goias.

  13. Maria permalink
    27 de maio de 2012 14:36

    Eu concordo com a iniciativa desse grupo, e confesso que me sinto assim, como “sem igreja”. Já passei por tantas e hoje, tão decepcionada com os rumos que o homem deu à verdade bíblica, não me sinto mais estimulada a participar de nenhuma denominação. O que se vê é que o dinheiro corrompeu as igreja, mesmo aquelas que outrora tentavam fazer o certo. A cobiça falou mais alto do que o amor pelo reino de Deus e pelas almas, e o povo, que antes de dizia de Deus, hoje tornou-se do mundo, fazendo coisas abomináveis aos olhos de Deus. Em vez de pregarem o Evangelho, com o intuito de resgatarem almas para o reino de Deus, pregam prosperidade, o medo e ameaça, levando seus féis a fazerem tudo o que elesa querem por medo das maldições com as quais são ameaçadas. O certo é que o Caminho, a Verdade e a Vida é Jesus, e é somente a Ele que devemos seguir. Não será placa de igreja, denominação ou qualquer religião que vái levar alguém à salvação, mas somente Jesus. Enteguemos nossas vidas a Ele e não nos preocupemos com o julgamento dos homens.

  14. MARCOS WILLIAM MARTINS DE OLIVEIRA permalink
    2 de junho de 2012 16:52

    CONCORDO PLENAMENTE NA CRIACÃO DO VERDAEIRO SENTIDO DA PALAVRA “IGREJA” ASSEMBLÉIA QUE ESTÁ SENDO DETURPADA PELA CRAIÇÃO DE GRANDES TEMPLOS COM O GASTO DE IMENSA FORTUNA PELO MUNDO, ONDE SE ENCONTRAM “PASTORES” EM SENTIDO AMPLO, LÍDERES RELIGIOSOS, OU MELHOR “CÃES GULOSOS” SEDENTODS DE DINHEIRO AO INV´S DA PALAVRA.
    QUERO CONHECER MELHO PESSOAS DESTE GRUPO PARA QUE POSSA PARTICIPAR DAS VERDADEIRAS AÇÕES SOCIAIS DETEMINADA POR JESUS CRISTO. ENTREM EM CONTATO

  15. 30 de junho de 2012 16:08

    @Lazaro Alves Maia:

    Há liderança entre esses irmãos. Assim como havia entre os primeiros cristãos. Cada localidade tinha um grupo de irmãos maduros espiritualmente que lideravam a igreja local, os anciães, ou bispos, ou ainda presbíteros.

  16. Lucinha silva santos permalink
    14 de julho de 2012 16:12

    Finalmente´a igreja dos meus sonhos,álias dos sonhos de Deus.Pena que são poucas e longes como essa,peço a Deus que essa ideia contagie o mundo e surjam outras.Eu morro em São Vicente-SP,e soube essa semana que no São paulo onde morra a filha de uma amiga irmã tem uma parecida com essa.Por favor me mandem mais informações.E que Deus abençõe vcs nessa obra.

  17. geane mirtes permalink
    16 de julho de 2012 12:01

    O evangelho tem que chegar a todos e através de todos.

  18. José Felix de oliveira filho permalink
    24 de julho de 2012 21:56

    Estou a procura desse sistema de evangelismo que acredito é o mais correto,e se alguem saiba q tem esses irmãos aki em brasília me informem por favor.

  19. 14 de agosto de 2012 18:13

    Hoje estava pesquisando sobre o dízimo como doutrina em certas igrejas e me deparei com a notícia dos sem igreja, gostaria de saber se tem ramificações em SP. Estou ansioso aguardando resposta.

  20. 15 de agosto de 2012 23:50

    José,

    Há uma diferença entre “sem igreja” e igreja nos lares. “Sem igreja” é um grupo de pessoas soltas que não se relacionam umas com as outras, se encontram casualmente sem compromisso, sem discipulado, sem comunhão. Igreja nos lares é composta de pessoas que se encontram regularmente, que se comprometem umas com as outras, se sujeitam umas as outras e servem umas às outras, somente não se encontram dentro de uma basílica, ou templo.

    Entre em contato com http://www.gruponews.com.br para conectar-se com pessoas em SP que se reunem desta maneira.

    Abraços!

  21. 16 de agosto de 2012 4:57

    Deus os abençoe, quero saber se tem encontros em alguns lares em Jandira SP.
    Já me inscrevi no site.

  22. Rubens Freitas permalink
    5 de setembro de 2012 13:31

    Olá bom,

    é possível alguns contatos destes irmãos que caminham como igreja simples

    no sul de SC?

    Grato,

    Rubens

  23. Maria permalink
    17 de outubro de 2012 10:42

    Eu e minha família estamos sem frequentar nenhuma igreja por causa das decepções com todas as que já conhecemos. A ganância parece já ter contaminado as igrejas e todos parece que só pensam em se dar bem. Gostaríamos de fundar em nossa cidade, Belém do Pará, se ainda não existir, um grupo com essas características, inclusive colocando a nossa casa à disposição para as primeiras reuniões. Como podemos começar? Ou, se já existe algum grupo fazendo essa obra aqui em Belém, onde encontrá-los? Estamos sentindo falta de congregar, de louvoar a Deus com outros irmãos. Reunimo-nos em casa, somente a nossa família, oramos, lemos a Bíblia e louvamos e adoramos a Deus, mas sentimos falta de mais irmãos. Quanto à liderança que o Lázaro falou, eu acho que a única liderança de que necessitamos é Jesus. Se todas as outras igrejas tivessem seguido somente a Ele, não estariam na situação que estão hoje.

  24. Rafael permalink
    19 de novembro de 2012 16:23

    Não conheço o sistema aqui proposto, como alguém que já frequenta ou já frequentou. Mas tenho “receio” pelo que tenho lido, acho que esta é a melhor palavra que posso usar sem “ofender” ninguém.
    Tenho receio pelo fato de me parecer que o “único” meio de se achegar a Deus verdadeiramente é através deste “modelo” de “igreja”, pois me parece que seus membros pensam que é o “único” meio “correto” ou seja, “ser igreja”(= ser salvo em Cristo Jesus) é ter que se condicionar a este “modelo de igreja” a salvação já não se encontra mais em Cristo Jesus mas sim em uma “forma” de ser a correta “igreja” e dai a salvação sai da pessoa e obra de Jesus Cristo e passa para “eu sendo igreja do jeito correto”.
    Tenho receio também pois muitos dizem que o “problema” esta no “dinheiro/dizimo”. E o que acontece com Malaquias? E o que acontece com os exemplos de Jesus e de tantos outros no novo testamento em relação ao dízimo? Abraão? Paulo? Davi? Salomão?
    Quanto ao “atacar” o modelo “institucionalizado” da igreja, gente, sinceramente, se vcs se denominam igreja, e conhecem verdadeiramente ao Senhor, vcs teriam pelo menos o “temor” ao dizer que estas instituições não são “igreja”… eu lembraria das palavras de Gamaliel, cuidado para não se encontrar lutando contra Deus.
    Não tenho o intuito de dizer que este povo que se reúne regularmente, como “ouvi” aqui, não é igreja… Mas tenho o intuito de dizer, não pensem que somente vcs estão “salvos, santos e que tem o Espirito Santo”, pois se pensarem desta forma, já não estão sendo a IGREJA DO SENHOR. Existem MUITAS igrejas “institucionalizadas” que verdadeiramente são igreja do Senhor, e acredito que muitas das pessoas que estão machucadas com algum tipo de abuso/decepção sofrido em uma dessas igrejas, não tenha sido tratada corretamente, indo parar em “movimento dos sem-igreja”(se é que isso existe, a Igreja sem Igreja?=pessoas que estão desligadas umas das outras), mas também acredito que tenham pessoas rebeldes que não querem se sujeitar a nenhum tipo de compromisso ou liderança, “falsos irmãos” pois a igreja do primiero século tb o tinha e Paulo “nos” alertou sobre isso e se esta igreja sem placa tb tem falsos irmão, tb pode ter falsos mestres, e enfim… se tornar exatamente como uma “igreja institucionalizada” pois o problema das instituições não são elas, mas de alguns que fazem parte dela e que são pessoas como eu e vcs, que são também, A IGREJA DE JESUS CRISTO. Tenham temor ao tratar a IGREJA (pessoas que fazem parte de instituições) como não sendo igreja de Cristo.

  25. Flávia permalink
    20 de novembro de 2012 16:47

    Hugo gostaria se possível você falasse do dízimo alguém acima sitou que foi implantado nas igreja alguns anos atrás, mas em Malaquias não é uma ordem e uma promessa?Não tenho muito conhecimento bíblico e sempre tive essa dúvida.OBG.

  26. 23 de novembro de 2012 20:37

    Rafael,
    Nada no texto demoniza a Igreja Institucional . Questionamos modelos, nao pessoas. E nunca atrelei a eclesiologia a salvacao de ninguem. Nao entendi o motivo do sermao.

  27. Anibal permalink
    28 de novembro de 2012 23:45

    A paz do Senhor Jesus ! Moro no estado de Alagoas e também compartilho desse mesmo pensamento que predomina nesses comentarios. Igreja somos nós, templo de Deus somos nós. Lutar contra esses conceitos é estar lutando contra a palavra de Deus, pois esse doutrina predomina em quase todas as cartas do apóstolo Paulo, Pedro, e o Proprio Senhor Jesus. Jesus disse que veio para cumprir a lei e não para abolir. E ele já cumpriu, o véu do templo de Jerusalem se rasgou. Ele nos fez agora o seu templo, a sua casa, como estar revelado em quase todos os livros do Novo Testamento. Não podemos entao viver mais o dízimo, o templo, o altar, o sabado. Temos que ler o novo testamento com dicernimento do Espírito Santo. Quando Jesus fala do dízimo em Mateus, ele estava sob a Lei, e falando para os Fariseus. Eles tinham que dar o dizimo mesmo, nao podiam quebrar a lei. Jesus nunca ensinou a eles para trabalharem no sabado, nao podiam quebrar a lei, apenas ele curou no sabado, pois ele era maior do que o sabado. O dizimo nunca foi dado em dinheiro durante o tempo que foi praticado pelos Judeus, eram em alimentos e animais. Sei que nao podemos julgar os irmãos pelo fato de pertencerem a uma denominação, pois quem julga é o Senhor e sua palavra. Mas, gostaria de deixar claro que o que se questiona é o sistema de governo da Igreja. Com grandes semelhanças as empresas no mundo segular, a grande maioria das igrejas viraram um meio de vida, como disse o aposto Paulo, ” farão de vós negocio”. Ou seja, voce vale na igreja pelo que voce dar. Uma certa vez sugerir a um pastor o porque ele nao pedi para os irmaos depositarem em uma conta as contribuicoes, pois assim ninguem saberá o quanto deu, somente o que estar dando e Deus. Mas… porque eles nao fazem isso ? Porque eles precisam saber quem estar dando e quem nao estar dando, e qual o valor. Parece que tudo gira em torno do dinheiro. Observem que geralmente nas denominações se prioriza mais as coisas do que as pessoas. Ou seja, mais o templo, mais o nome da empresa, o crescimimento da Organização Religiosa do que as pessoas que devem ser os verdadeiros Templos santos do Senhor. Irmaos, Passei 11 anos congregando nesse tipo de sistema, porém chegou uma hora que nao dava mais. Fiquei em casa alguns meses, e logo o Senhor preparou outras familias, e agora estamos nos reunindo por aqui, temos reunioes nas terças, quinta e sabado. Irmaos para se ter ministerios, como pastor, evangelista, etc… nao precisamos copiar a hierarquia do mundo secular. Basta simplesmento viver a Palavra de Deus como estar escrita. O Senhor tem nos Abençoado. Caso alguem queira compartilhar alguma palavra pode escrever para o email anibalpaulo@hotmail.com. Que Deus vos Abençoe, em nome de Jesus Cristo.

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: