Skip to content

A Igreja que eu quero ser

4 de dezembro de 2009

Por Eduardo Gazola (Duda).

ekklesia

Eu quero ser uma igreja diferente.

A igreja que eu quero ser não tem hora de culto, o culto nem é uma cerimônia.
A igreja que eu quero ser cultua em todo tempo porque cultua com a vida, vivendo.

A igreja que eu quero ser não é de parede e teto, ela é feita por mim e por você.
É feita de gente, e gente imperfeita. Gente que erra, gente que falha, gente que tropeça.
É feita de gente que ama e que ama ser amado.
Gente que sorri mas que também chora.
Gente que sofre com as mazelas do mundo.

A igreja que eu quero ser é uma igreja que se importa com a fome, com o sofrimento.
A igreja que eu quero ser sente a fome do faminto, sente a sede do sedento, sente o frio do desabrigado, sente a dor do doente.

A igreja que eu quero ser mostra o caminho da salvação, mas não tem os direitos da via nem cobra o pedágio da ponte.
A igreja que eu quero ser ilumina a estrada como um farol, para que todos possam passar pela ponte, e a ponte é Jesus.

A igreja que eu quero ser não tem nome, não tem placa nem mesmo uma sede. Ela está em mim e está em você.
Quem a governa é Deus e o seu credo não está decorado. A base dessa igreja é o amor, o amor não fingido.

Nessa igreja não tem banco, nem mesmo liturgia. Nessa igreja você não precisa baixar a cabeça pra falar com Deus.
Ali você deve ficar de olhos bem abertos ao ouvir a voz de Deus, pois ele te manda olhar para o lado, te manda ver o teu irmão.
Nessa igreja pouco importa a duração do culto, pois o culto dura o tempo todo.
Importa mesmo é que você seja essa igreja.

Você não precisa de roupa certa para vir nessa igreja.
Não importa o que você tem pintado na sua pele, nem mesmo importa a sua pele.
Nessa igreja todos somos igreja.
Também não há cargos ou obrigações nessa igreja, você não é obrigado a nada.

Eu quero ser essa igreja, eu estou tentando…

Fonte: Reflexão Blog.

Anúncios

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: