Skip to content

O Problema das Hierarquias

27 de outubro de 2009

A idéia de “cobertura espiritual” como uma noção hierárquica de autoridade altamente organizativa não é um modelo criado por Jesus e seus discípulos. Infelizmente, tal prática foi copiada das estruturas que pertencem a este mundo e de nenhum modo reflete o reino de Deus. O texto é de Frank Viola.

hierarquiaA estrutura de liderança hierárquica que caracteriza a igreja Ocidental, deriva de una mentalidade posicional. Esta maneira de pensar outorga autoridade em termos de espaços a alcançar, descrições objetivas de trabalho a realizar, títulos para exibir, e postos que fazem valer seus privilégios.

A maneira de pensar posicional revela um grande interesse por estruturas explícitas de liderança. Termos tais como “pastor”, “ancião”, “profeta”, “bispo”, etc, são títulos que representam ofícios eclesiásticos.

Ou seja, um ofício é um espaço definido pelo grupo. Tem uma realidade alheia à pessoa que o ocupa. Também possui uma realidade alheia às ações que a pessoa realiza nesse oficio.

Por contraste, a noção de liderança do NT está arraigada em uma mentalidade funcional. Descreve a autoridade em termos de como as coisas operam organicamente. Ou seja, funcionam por meio da vida em Deus.

A liderança descrita no NT atribui um alto valor aos dons especiais, a maturidade espiritual e o serviço sacrificado de cada membro. Enfatiza as funções em vez dos ofícios, as tarefas em vez dos títulos. Seu interesse principal está em atividades tais como pastore-ar, profetiz-ar, supervis-ar, etc. Em outras palavras, o pensamento posicional se apaixona pelos substantivos, enquanto que o pensamento funcional acentua os verbos.

Na ênfase posicional, a igreja deve modelar-se segundo as estruturas corporativas empresariais e militares de nossa cultura. Na ênfase funcional, a igreja opera por meio da vida. O ministério mútuo surge de maneira natural. A estrutura e o ranking estão ausentes.

É comum às igrejas orientadas pela tendência posicional/hierárquica a existência de uma maquinaria política que funciona detrás do cenário, que promove diversas pessoas a posições de poder eclesiástico.

Habitualmente nas igrejas orientadas funcionalmente se manifesta a responsabilidade mútua e a interação colegiada de seus membros. Escutam juntos ao Senhor e se afirmam mutuamente em dons que recebem do Espírito.

Em suma, a orientação que o NT imprime à liderança é orgânica e funcional. Por outro lado, a orientação da liderança posicional/oficial é fundamentalmente mundana. Existe uma afinidade natural entre a orientação posicional/hierárquica e o conceito de “cobertura protetora”.

Jesus e a Idéia de Liderança Gentílica/Política

O ministério de Jesus com respeito à questão da autoridade clarifica os temas fundamentais que estão por trás da moderna doutrina da “cobertura”. Consideremos como o Senhor contrastava o modelo hierárquico de liderança do mundo gentílico com a liderança no reino de Deus. Depois que Tiago e João lhe pediram que lhes concedesse altas posições de poder e glória ao seu lado no Seu trono, Jesus os contestou dizendo:

Vocês sabem que os governantes das nações AS DOMINAM, e as pessoas importantes EXERCEM PODER sobre elas. NÃO SERÁ ASSIM ENTRE VOCÊS; ao contrário, quem quiser tornar-se importante entre vocês deverá ser servo, e quem quiser ser o primeiro deverá ser escravo, como o Filho do Homem, que não veio para ser servido, mas para servir e dar sua vida em resgate por muitos. (Mat. 20:25-28)

E mais uma vez,

…Os reis das nações DOMINAM sobre elas, e os que EXERCEM AUTORIDADE sobre elas são chamados de benfeitores; MAS VOCÊS NÃO SERÃO ASSIM. Ao contrário, o maior entre vocês deverá ser como o mais jovem, e aquele que governa como o que serve. Pois quem é maior, o que está à mesa, ou o que serve? Não é o que está à mesa? Mas eu estou entre vocês como o que serve. (Luc. 22:25-27).

A palavra grega traduzida por “exercem sua autoridade” em Mateus é katexousiazo que é uma combinação de duas palavras gregas: katá, que significa sobre, e exousiazo, que significa exercer autoridade. O Senhor também utiliza nesta passagem a palavra grega katakurieuo que significa “controlar” ou “dominar” aos demais. O que Jesus condena nestas passagens não é apenas os líderes opressores como tais, mas a forma hierárquica de liderança que domina o mundo gentílico.

Isto merece ser repetido: Jesus condenou não apenas os líderes tirânicos, condenou também a própria forma de liderança hierárquica!

Qual é a forma hierárquica de liderança? É o estilo de liderança fundado na idéia pobre de que o poder e a autoridade fluem de cima para baixo. Essencialmente, está construída em uma estrutura social de cadeia de comando.

A liderança hierárquica está baseada em um conceito mundano de poder. Isto explica porque esta fórmula é comumente usada em todas as burocracias tradicionais. Está presente nas formas corruptas do feudalismo senhor/vassalo e amo/escravo. Também pode ser vista nas esferas altamente estilizadas e reguladas das sociedades militares e empresariais do primeiro mundo.

O estilo de liderança hierárquico, mesmo que não seja cruel, é prejudicial para o povo de Deus, porque reduz as relações humanas a associações estilo comando. Com isto quero dizer que as relações se ordenam na forma de uma estrutura militar do tipo cadeia de comando. Estas relações são alheiras à prática e ao pensamento do NT.

A liderança hierárquica está estabelecida em todas as esferas da cultura pagã. Lamentavelmente foi adotada pela maioria das igrejas cristãs de nossos dias.

Resumindo o ensino de nosso Senhor acerca deste estilo de liderança, tornam-se evidentes estes marcantes contrastes.

  • No mundo gentílico, os líderes operam sobre a base de uma estrutura social política, tipo cadeia de comando – uma hierarquia. No reino de Deus, a liderança flui da mansidão e do serviço sacrificado.
  • No mundo gentílico, a autoridade está baseada na posição e no ranking. No reino de Deus, a autoridade está cimentada no caráter piedoso. Note a descrição que Cristo faz dos líderes: “será vosso escravo” e “seja… como o menor”. Aos olhos do Senhor, ser precede ao fazer, e o fazer surge do ser. Em outras palavras, a função segue o caráter. Os que servem, fazem assim porque são servos.
  • No mundo gentílico, a grandeza se mede pela proeminência, pelo poder externo e pela influência política. No reino de Deus, a grandeza se mede pela humildade interna e pelo serviço externo.
  • No mundo gentílico os líderes se aproveitam de suas posições quando governam os demais. No reino de Deus os líderes rechaçam toda classe de reverência especial e vêem a si mesmos como “o menor”.
  • Em suma, as estruturas hierárquicas de liderança caracterizam o espírito dos gentios. Portanto, a implantação destas estruturas entra em choque com o cristianismo do NT. Nosso Senhor não exitou quando declarou Seu implícito desprezo pela noção gentílica de liderança, porque claramente disse: “não será assim entre vocês”.

Considerando tudo isso, no ensino de Cristo não há lugar para o modelo de liderança hierárquica que caracteriza a moderna igreja.

Fonte: Quem é Tua Cobertura?

Anúncios
8 Comentários
  1. Evelin Olívia Fróes permalink
    27 de outubro de 2009 9:36

    Excelente texto, mas a hierarquia não é privilégio da moderna igreja. a Igreja Católica Apostólica Romana surgiu na Antiguidade e a Igreja Ortodoxa, tanto a russa quanto a grega, surgiu na Baixa Idade Média e são extremamente hierárquicas. Onde está a modernidade aqui?

  2. Hugo permalink*
    27 de outubro de 2009 14:10

    Bem, levando em consideração que estamos na era pós-moderna, diria que trata-se de um modelo da modernidade. Os protestantes foram reformados em sua doutrina, somente. Mas, estruturalmente falando, ainda são católicos medievais, com a diferença de que cada igreja tem o seu “papinha”.

  3. 20 de abril de 2011 14:03

    Para início de conversa a hierarquia não existe para dividir um grupo e ,sim, para se dividir responsabilidades dentro de um grupo. Na Igreja Primitiva existia uma organizacionabilidade dada pelo Espírito Santo. Em primeiro plano, havia a liderança do colégio apostólico(Cf Atos 6:2),que cuidava do pastoreio congregacional e do doutrinamento dos crentes, razão pela qual a Bíblia afirma peremptoriamente que a igreja perseverava na doutrina dos apóstolos(Cf Atos 2:42); num segundo plano, os profetas e mestres(Cf Atos 13:1) que cuidavam do ensino e capacitação do rebanho de Deus; num terceiro plano, os diáconos(Cf Atos 6), que tinham a responsabilidade de cuidar das necessidades particularizadas da congregação( viuvas,órfãos,doentes,etc.).Se esta palavra não for convincente,ouso afirmar que havia uma hierarquia na Igreja Primitiva: os apóstolos, os profetas , os mestres, os operadores de milagres e os líderes(pessoas com capacidade de governo e comando),como bem ordena Paulo em Atos 12:28.

  4. Santidade ao Senhor (Ph.D) permalink
    24 de julho de 2011 14:34

    Senhor tenha misericórdia!!!

    Já vi algumas pessoas utilizarem texto fora de contexto, mas inserir texto é demais (At 12.28, extrapolou). Leva-me Senhor, pois não aguento mais.
    Ontem, numa reunião de pastores em Natal/RN (reunião interdenominacional e com pastores de outras cidades, inclusive de instituições reconhecidas), ouvi um “hierarquiólatra” (ou nicolaíta, como preferirem) dizendo que depois dos ministros de louvor da igreja (denominados levitas) os quais estão debaixo da autoridade dele (não sei como ele chegou a essa ideia), concluíssem um curso em determinada instituição, voltariam engraxando seus sapatos.
    Que Deus tenha misericórdia dos pobres indefesos, e ilumine a mente deles para se libertarem desses lobos corrompidos pela sede de poder. Tais idolatram títulos, cargos, superioridade, elogios, são bajuladores egoístas. Por isso renunciei, renuncio e continuarei renunciando qualquer honra humana (cargos oferecidos). Não me deixarei subornar pela astúcia de tais homens.
    O caríssimo doutor deve saber que a palavra grega apostélõ (sig. envio) ou a palavra grega apóstolos (substantivo enviado) equivale, hoje, à comissionar ou missionário. E lembre que na glória, vossa “doutoragem”, “mestragem” ou seja lá o que for que você tem, não vai existir.
    Para o Pai, o ser supera o ter.

    PS: Havia representantes de uma revista missionária reconhecidíssima.

  5. 24 de julho de 2011 21:55

    prof.dr.Paulo Vicente Ferreira, você usou versículos bíblicos para refutar outros versículos bíblicos citados no texto, o que não contribui para nosso diálogo. Em momento nenhum você se preocupou em oferecer uma interpretação às palavras de Jesus acima citadas no tocante à hierarquia.

    Que fique claro que não estamos negando o óbvio, ou seja, não estamos questionando a a legitimidade do governo da Igreja por meio do presbitério, mas sim a maneira como o presbitério funciona na Igreja dos dias atuais. A noção de autoridade espiritual e ministério na Igreja infelizmente foi usurpada pelo institucionalismo greco-romano.

    A estrutura de governo de uma Igreja moderna em nada se difere da de uma multinacional, algo claramente condenado nos versículos acima. Eu gostaria de ouvir a sua interpretação a respeito disso, para que nosso diálogo seja mais produtivo.

    No grego, em 1 Cor 12:28, o apóstolo Paulo não delineia hierarquia e sim ORDEM. A expressão “primeiramente apóstolos” não embasa a criação de um sistema greco-romano, com apóstolos operando no topo como papas, mas delineia a ORDEM em que estes dons devem operar na Igreja, ou seja: a Igreja precisa primeiramente de apóstolos e profetas para lançar o fundamento sobre os quais demais dons possam edificar (1 Cor 3 e Ef 2:20). Em uma casa, o telhado não é mais importante que as paredes, no entanto, as paredes precisam ser edificadas antes que o telhado seja colocado. Na Casa de Deus, os dons e ministérios devem operar da mesma forma. Não é uma questão de importância ou hierarquia, e sim de ordem.

  6. Servo do Senhor Carlos Carvalho permalink
    27 de julho de 2011 1:54

    “Eu, João, sou quem ouviu e viu estas coisas. E, quando as ouvi e vi, prostrei-me ante os pés do anjo que me mostrou essas coisas, para adorá-lo. Então, ele me disse: Vê, não faças isso; eu sou conservo teu, dos teus irmãos, os profetas, e dos que guardam as palavras deste Livro. Adora a Deus. Disse-me ainda: Não seles as palavras deste livro, porque o tempo está próximo. Continue o injusto fazendo injustiça, continue o imundo ainda sendo imundo; o justo continue na prática da justiça, e o santo continue a santificar-se” (Pv 22.8-11)

    Não estranhem o título que uso para me identificar. Pode parecer apenas uma demonstração de humildade, mas é o mais precioso título que um verdadeiro cristão (servo de Jesus) pode ter. Apenas quem é lavado pelo sangue do Cordeiro pode ostentar este título. Título humano “hierárquico”? um dia aceitei um deles, mas ele nada me acrescenta, além de responsabilidade ainda maior com Deus por influenciar ovelhas que a ELE pertencem.

    Prezado “professor doutor”, se há em seu coração honestidade e você realmente pensa conhecer a Cristo, sugiro de coração que jogue fora suas conquistas e argumentos vazios. Cauterizar sua consciência não vai funcionar quando estiver diante do Senhor naquele Grande Dia para prestar contas… “pois a quem muito é dado, muito será cobrado”, lembra?

    Comentar o texto? Ia me esquecendo. A instituição humana tornou-se mais importante do que o Corpo ao qual deveria servir. Ovelhas de Cristo são expulsas e humilhadas quando, por exemplo, questionam as opiniões de seus “chefes”. Sim, “chefes”. Assim se comportam a grande maioria da liderança que se chama “evangélica” nos dias de hoje. Apenas líderes religiosos que se enquadram perfeitamente na descrição de seus pares hipócritas confrontados pelo próprio Senhor Jesus há quase dois mil anos. Na verdade nada mudou e nem mudará até que o Senhor retorne. E é assim que deve ser.

    Para aqueles que sentem revolta contra tudo isso, não se esqueçam que importa que seja assim (meditem no texto de Apocalipse que inicia este comentário). Joio e trigo, meus irmãos e irmãs, somente serão separados no fim. Façamos diferença nesta terra, não importe o quanto isto custe, pois se o Senhor nos levasse antes do tempo, restariam apenas os líderes que não conhecem a Cristo e, exatamente por isso, jamais serão capazes de entender a Sua Palavra. Sigamos em frente pois os verdadeiros homens e mulheres de Deus, aqueles usados por Ele para mudar a história de muitas e muitas vidas ao longo dos séculos, sempre foram e sempre serão minoria. E sempre estarão à margem do império, no deserto, como bem descreve o texto recente sobre João Batista.

    Abraços calorosos a todos no Amor do Pai,

    Carlos Carvalho.

  7. marli permalink
    1 de agosto de 2011 15:02

    Querido IRMÃO você precisa escrever mais,falar mais ,há muitas vidas escravizadas e,exploraDAS AINDA NAS DENOMINACOES

    DEUS ABENÇOE.

    MARLI

  8. 13 de janeiro de 2013 16:10

    A questão denominacionalista cria extruturas com regimes clericais oriundos do sistema de governo nstitucionais com seus Estatutos como regra de fé. Isto deturpa a Verdadeira Doutrina Eclesiológica do plano horizontal de governo comunitário e não ligado a nenhuma forma de governo estabelecido por sistemas de comando onde o lider lidera a forma do Antigo Testamento no Império do rei Davi e outros lideres levantados por Deus. Já na forma extrutural de governo na Ekklésia de Cristo foi instituído que o menor seria servido pelo maior e que o grande para ser grande teria que abrir mão da sua grandeza para ser humilde, que seria melhor dar que receber, amar que ser amado, perdoar que ser perdoado e por estas e outras coisas o homem preferiu seu próprio sistema de governo buscando honras e louros da fama. Mas já existem pessoas que começaram a dizer não a toda hierarquia denominacional e começam a se debandarem dos apriscos cercados com arames farpados e começam a buscar sua liberdade como rebeldes, ditos apostatas, sem pátria, e descongregados com o taxativo das igrejas que dizem que toda esta dita escória ´vão para o inferno. O mesmo fizeram com o Mestre Iehsuá porque não sseria diferente com os discípulos Dele?

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: